Conflitos deixam 337 feridos em referendo na Catalunha


Os policiais da Catalunha, conhecidos como Mossos d’Esquadra,em locais de votação do referendo marcado para este domingo (1°) Foto: Lusa/EPA/Enric Fontcuberta

Da Agência Brasil com EFE

Pelo menos 337 pessoas ficaram feridas ou contundidas em distúrbios hoje (1°) entre cidadãos e forças da ordem nos centros de votação do referendo sobre a independência da região da Catalunha, segundo as autoridades catalãs. As informações são da agência EFE.

O Ministério do Interior da Espanha indicou que nove policiais e dois guardas civis também ficaram levemente feridos ao apreenderem urnas para impedir a votação, conforme ordenou a Justiça.

A pasta pediu tranquilidade nas ruas e colaboração e respeito nos centros de votação para que as forças de segurança possam cumprir a ordem judicial de impedir de forma pacífica a realização da consulta popular, suspensa pelo Tribunal Constitucional do país.

O porta-voz do governo catalão, Jordi Turull, atribuiu os feridos e contundidos à violência “policial do Estado” e os aconselhou a comparecer a centros de saúde para obter um atestado médico e apresentar denúncia à polícia da região, conhecida como Mossos d’Esquadra.

Turull responsabilizou o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, pelos incidentes, entre os quais também mencionou uma “agressão” à conselheira regional de Ensino, Clara Pontsatí.

O ministro de Interior espanhol, Juan Ignacio Zoido, explicou que os agentes têm encontrado situações “complicadas”. Segundo Zoido, em apenas um caso foi necessária a utilização de métodos de defesa devido a um “encurralamento”.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. #

    Na casa dos outros é muito bonito… Já, aqui, quando alguns gaúchos falam em separatismo são abominados e chamados de párias (com razão).

    A Catalunha é a região mais rica da Espanha. Imagine se SP quisesse se aventurar da mesma forma.

     

    • Maqs tem uma galera em SP que

      Maqs tem uma galera em SP que só não sai para a rua pedindo separaçõa pq seria reprimida , o Estado usaria o direito constitucional q tem a força, para cumprir a Constituição, que impede aventuras separatistas.

      • #

        Essa galera existe nos estados mais ricos, mas são uma pequena minoria em todos eles. O separatismo proposto por essa galera eu chamo de mesquinharia.

  2. catalonia

    A útima conta passa de 850.

    O franquismo do Rajoy tirou a máscara, o os catalães acordaram.

    Acho que o próximo ato é guerra civil aberta.

    Há vídeos dos Mossos d’Esquadra enfrentando a Guardia (criação do Franco) e apanhando grosso.

    • rajoy

      deve-se notar que o franquismo do Rajoy não passa de franquia (sem trocadilho) de coisa maior e mais nociva (temos nossa franquia local).

      E não podemos traçar paralelos com a nossa situação. A espanha viveu uma guerra civil catastrófica, vencida pelo Francisco Franco com apoio da Alemanha nazista e da Itália facista. A resistencia da Catalunha foi um osso duro de roer para os facistas, que, após a guerra deram o troco, com juros.

      Na “redemocratização” o governo socialista nogociou um estatuto de autonomia para a Catalunha, que foi anulado pela suprema corte, majoritariamente franquista (como o é Rajoy).

      Aquí qualquer paralelo palidamente semelhante, só a Revolução Farroupilha.

  3. Brutalidade policial

    Esta é uma amostra do Estado Policial. É isso que Boçalnaro gostaria de implantar no Brasil, mas não permitiremos. Se os militares derem novo golpe e voltarem com a ditadura deles a situação atual pode evoluir para a violência tão ao gosto de policiais e militares em geral:

    https://youtu.be/J4U0EPAHYQI

  4. Separatismo no país dos outros é uma beleza.

    Separatismo no país dos outros é uma beleza. Só não pode ser tolerado no nosso país.

  5. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome