Diário da Peste 26

Hoje o dia foi muito agradável. Meu ombro amanheceu doendo menos.

A prece feita para Aton ontem https://jornalggn.com.br/cronica/diario-da-peste-25/ foi atendida. Hoje pude ficar 30 minutos aquecendo ao sol na sacada do apartamento. Uma delícia. Como é bom mergulhar completamente na luz solar…A cerveja ficou mais gelada e menos amarga.

Escrevi um pouco, como de hábito. Não consigo entender ou aceitar o fato do mercado exigir e comemorar o extermínio de idosos pela pandemia. Esse comportamento não tem nenhuma raiz histórica https://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/um-passeio-pela-historia-romana-a-convite-do-covid-19/ .

Banho, almoço, cafézinho. No período da manhã o maníaco da furadeira voltou a esburacar o apartamento dele. A tarde decido rever uma série da BBC: Meet the Romans with Mary Beard. Recomendo.

Capítulo 1 https://m.youtube.com/watch?v=rggk_H3jEgw&feature=share
Capítulo 2  https://youtu.be/9JFw8M4PBUI
Capítulo 3 https://youtu.be/1UvG0LDeYBA

Fiz um pequeno corte num dedo da mão esquerda. Sangrou muito, mas não ficou dolorido. O mesmo não pode ser dito das veias abertas da América Latina. A dor causada pela pandemia no Equador é insuportável. No Chile o horror: o presidente contabiliza os mortos como pessoas curados.

Nos filmes pós apocalípticos os seres humanos fogem dos zumbis para não serem devorados. No mundo real o neoliberalismo decadente sofreu uma mutação nazifascista e se transformou em zumbiralismo. Governantes insanos como Donald Trump, Jair Bolsonaro e Sebastián Piñera demonstram um desprezo pela vida humana que não era visto desde que o regime de Pol Pot foi derrotado.

A mão macabra do mercado celebra a maximização dos lucros em virtude do aumento do número de vítimas da pandemia. E os políticos adeptos do zumbiralismo esquecem que os mortos tem filhos, pais, tios, primos, esposos, esposas e amigos que são eleitores.

Hoje Bolsonaro foi à manifestação que ele mesmo convocou para tentar revogar a decisão do STF em favor do isolamento social. Ele ergueu uma imagem de Zezuis para impressionar a população.

Pessoalmente não sou muito fã do Zezuis bolsonariano. Os pastores e políticos dele defendem o ódio racial, o coronavírus, a violência política e a venda de armas de fogo à população. O deus deles parece até uma representação ocidental de Kali, a deusa devoradora de homens dos hindus.

O capitalismo comunista chinês construiu hospitais para cuidar da população. O neoliberalismo sorridente de Doria Jr. quer abrir quantas sepulturas forem necessárias. Com seu fordismo funerário, o zumbiralista Jair Bolsonaro pretende exterminar centenas de milhares de idosos.

Se as coisas continuarem assim vou aderir ao comunismo chinês. A vida é melhor do que a morte com Zezuis arminha.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora