Mais desinfetante na veia, please! – disse o eleitor norte-americano

Numa das cenas marcantes do filme Platoon (1986) o protagonista, um jovem branco que largou a universidade para ser voluntário no Vietnã conversa com um soldado negro convocado para a guerra. Reproduzo abaixo o diálogo na íntegra:

“King : Hey, Taylor. How in the fuck you get here anyway? Why, you look educated.

Chris Taylor : I volunteered for it.

King : You did what?

Chris Taylor : I volunteered. I dropped out of college, and told them I wanted the infantry, combat, and Vietnam.

Crawford : You volunteered for this shit, man?

Chris Taylor : You believe that?

King : You’s a crazy fucker, giving up college.

Chris Taylor : It didn’t make much sense. I wasn’t learning anything. I figured why should just the poor kids go off to war and the rich kids always get away with it?

King : Oh, I see. What we got here is a crusader.

Crawford : Sounds like it.

King : Shit. You gotta be rich in the first place to think like that. Everybody know the poor are always being fucked over by the rich. Always have, always will.”

TRADUÇÃO:

“King: Ei, Taylor. Como diabos você chegou aqui, afinal? Você parece ser educado.

Chris Taylor: Eu me ofereci para isso.

King: Você fez o que?

Chris Taylor: Eu me ofereci. Abandonei a faculdade e disse que queria a infantaria, o combate e o Vietnã.

Crawford: Você se ofereceu para essa merda, cara?

Chris Taylor: Você acredita nisso?

King: Você é um filho da puta louco, desistindo da faculdade.

Chris Taylor: Não fazia muito sentido. Eu não estava aprendendo nada. Eu imaginei por que apenas as crianças pobres deveriam ir para a guerra e as crianças ricas sempre se safam disso?

King: Oh, entendo. O que temos aqui é um cruzado.

Crawford: Parece isso.

King: Merda. Você precisa ser rico em primeiro lugar para pensar assim. Todo mundo sabe que os pobres estão sempre sendo fodidos pelos ricos. Sempre foi assim, sempre será.”

Donald Trump disse recentemente que as pessoas deveriam tomar injeções de desinfetante porque esse produto é capaz de matar rapidamente o coronavírus. O fato do produto ser tóxico o suficiente para matar os pacientes é apenas um detalhe. Trump nunca está preocupado com os detalhes. Ele é o presidente dos EUA. Qualquer um que o contrarie está divulgando Fake News.

É um erro dizer que Trump não se importa com a ciência. Ele certamente não tomaria uma injeção de desinfetante. O presidente dos EUA nunca deixaria que algo semelhante fosse usado para tratar os filhos dele. O que Trump fez foi apenas demonstrar o mais absoluto desprezo pelos norte-americanos pobres (chamados depreciativamente de “losers”, “damned indians”, “niggers” e “white trash”). Eles podem cair mortos de uma maneira ou de outra, pois Trump não irá se preocupar com isso.

As vítimas do “American way of life” também não se importam. Como o personagem do filme de Oliver Stone elas sabem que nos EUA os “…pobres estão sempre sendo fodidos pelos ricos. Sempre foi assim, sempre será.”

Ao receitar o uso medicamentoso de desinfetante Trump apenas se colocou na posição do discurso em que um rico norte-americano deveria estar. Se demonstrasse qualquer tipo de preocupação com os pobres ele seria visto como hipócrita ou, pior, como um traidor do partido dos ricos.

Nos EUA o partido dos pobres não pode esperar comiseração ou consideração do partido dos ricos? É impossível responder essa pergunta sem fazer uma outra: Existe um partido dos pobres nos EUA? Trump disputará a próxima eleição contra um bilionário do Partido Democrata. Qualquer que seja o resultado da eleição o partido dos ricos sairá vitorioso. Esse é o verdadeiro problema.

O sistema político dos EUA é tóxico, totalmente contaminado pelo dinheiro. Não importa qual seja o resultado da eleição presidencial. Sempre que votam os norte-americanos injetam um pouco mais de veneno elitista nas veias do Estado.”Sempre foi assim, sempre será.” O fatalismo de King (Platoon) não é uma escolha pessoal e sim um destino politicamente construído para os norte-americanos pobres desde que os EUA se tornou independente.

A certeza de que a estrutura social é imutável explica tanto as palavras de Trump quanto a reação dos norte-americanos pobres ao discurso dele. Ninguém vai injetar desinfetante nas veias. Os norte-americanos vão rir das bobagens que Trump disse. Eles sabem que os ricos gostam de foder os pobres de uma maneira ou de outra. A cumplicidade entre ricos e pobres, aliás, é uma chave para entender como e porque os EUA estão mais distantes de uma revolução social do que qualquer outro país da América Latina.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora