MST passa a ocupar o mercado de capitais

Movimento social pretende captar 17,5 milhões de reais, para financiar a agricultura familiar, oferecendo títulos do agronegócio

Gustavo Marinho - MST-AL

Jornal GGN – O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) decidiu se lançar no mercado de capitais. A fim de captar R$ 17,5 milhões, para financiar a agricultura familiar, o grupo irá emitir um Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA), uma modalidade de título de renda fixa para investir no produtor ou na cooperativa agrícola.

A ação será aberta ao público em geral, que poderão comprar os títulos a partir de R$ 100 e terão como retorno uma remuneração pré-fixada de 5,5% ao ano, com isenção do Imposto de Renda (IR). O prazo para o resgate é de cinco anos.

Os recursos serão destinados para sete cooperativas, que geram a renda de 13 mil famílias, e produzem alimentos orgânicos, como leite, milho, arroz, soja, açúcar mascavo e suco de uva, no Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Essa não é a primeira vez que o movimento social busca recursos por meio do mercado de capitais. No ano passado, o MST captou R$ 1,5 milhão em uma oferta restrita para a finalização de uma fábrica da Cooperativa de Produção Agropecuária Nova Santa Rita (Coopan), no Rio Grande do Sul.

Agora, os investidores em geral podem fazer a reserva dos títulos, emitidos pela securitizadora Gaia Impacto, do dia 26 de julho até 13 de agosto. A cota R$ 100 é garantida por meio da plataforma Finapop. Vale ressaltar que a data de início das negociações dos CRAs na bolsa de valores será no dia 9 de setembro.

Com informações da Invest News.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome