Oficial de Justiça não encontra João Gilberto para desocupar apartamento onde mora no Leblon

Oficial de Justiça não encontra João Gilberto para desocupar apartamento onde mora no Leblon

RIO – A ação de despejo movida contra o cantor João Gilberto ganhou mais um capítulo. Agora, depois de terem falhado tentativas de negociação entre a proprietária e o inquilino, a Justiça não está conseguindo intimar o artista. Conforme informou na quarta-feira o blog da colunista Lu Lacerda, um oficial de Justiça do Rio já esteve quatro vezes na Rua General Urquiza, no Leblon, onde o músico vive há 15 anos, mas não foi recebido. Ele agora deverá ser citado por edital público.

Namorada disse que daria recado a cantor

Na primeira tentativa, o oficial de Justiça teria sido recebido pela portuguesa Maria do Céu, namorada do cantor, que se comprometera a avisá-lo. O oficial voltou no dia seguinte, mas ninguém atendeu o interfone. Nas duas últimas vezes, o servidor foi informado de que João Gilberto não morava lá. Nos dias 7, 8, 9 e 10 deste mês, ao serem indagados, os funcionários do prédio deram a mesma informação. O mandado citatório foi devolvido como negativo e será encaminhado à juíza Juliana Kalichsztein, da 24 Vara Cível. O não recebimento da citação pode estender o caso por muito mais tempo.

O advogado Paulo Roberto Moreira Mendes, que representa a condessa Georgina Maria Natividade Faucigny Lucinge Brandolini D’Adda – uma das herdeiras da Fiat que aluga o imóvel para o cantor – vai requerer que a notificação seja feita por edital, ou seja, com publicação em Diário Oficial.

João Gilberto se recusa a devolver o apartamento, respondendo a uma ação de despejo. Em janeiro, o advogado Mendes informara que o músico teria 15 dias para deixar o local após receber a notificação. O valor do aluguel do imóvel está em torno de R$ 8 mil. Segundo Mendes, a briga não foi motivada por falta de pagamento. Ele explicou que a condessa, que se encontra em Paris, estava aborrecida com a situação e entrou na Justiça para obter o apartamento de volta.

Procurador de condessa negociava com cantor

De acordo com ele, a condessa estava negociando, por meio de seu procurador no Brasil, desde 2010, a desocupação do apartamento de maneira amistosa. Ele afirmou ainda que, num primeiro momento, o cantor chegou a concordar. Em dezembro do ano passado, no entanto, João Gilberto teria mandado seu empresário informar que ele não sairia mais do imóvel.

http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/02/23/oficial-de-justica-nao-encontra-joao-gilberto-para-desocupar-apartamento-onde-mora-no-leblon-923871016.asp

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora