Trivial do Clube da Esquina

Usei o Miro para ir atrás de vídeos do Clube da Esquina e ele me trouxe esse Lô Borges colocado por alguém que se lembrou da minha mineirice.

Lô Borges – Clube da Esquina n. 02 – 04:27 – Dec 28, 2008

Lô Borges com quarteto de cordas, sopro, percussão e acompanhamento no violão do maestro Carlos Lima. 19/07/2003. Homenagem à “mineirice” de Luis Nassif.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

12 comentários

  1. Cada a um com sua visão.
    Cada a um com sua visão.

    Clube da esquina?

    Me lembra uma esquina que conspirávamos contra o governo.Tinha 16 anos.

    Os moradores deram um nome pra ela:

    A esquina dos pecadores.

    O metrô a aniqulou.

    Mas era esquina da rua Almirante Calheiros com Henrique Sertório.

    E todos embalados pela erva bendita( que alguns chamavam de maldita)

    Bons tempos.Bons dias. Nã havia a desgastante rotina que nos nos mata pouco a pouco.

    Qualquer dia lerei:Morreu do que? De rotina( maldita doença)

  2. Parabéns! Parabéns!!! Que
    Parabéns! Parabéns!!! Que delícia o pessoal de Minas e o Clube da Esquina Viva Lô borges, Telo Borges, Fernando Brant, Tavito (não sei se ele é mineiro), Luiz Guedes e Thomas Roth (também não sei se são mineiros), Beto Guedes e tantos outros que possuem um brilho intenso na maravilhosa música brasileira!! Vaelu!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. Olá pessoal. Fui eu que
    Olá pessoal. Fui eu que coloquei este video no google videos e no youtube e eu pretendia realmente fazer uma homenagem ao Nassif. Eu não sei porque cargas d’àgua, após eu tê-lo upado ele ficava preto e branco. Dai eu resolvi deletar em ambos lugares mas parece que alguem conseguiu recupera-lo. Eu vou tentar novamente upar este arquivo em outro formato pra ver se fica colorido. Pra quem não sabe, este show ocorreu na cidade de Mogi-Mirim (SP) em 19/07/2003 e eu estava lá, junto com minha filinha cantando “Trem Azul” que ela adora. Este show foi gravado por uma TV local e eu o possuo na integra em uma cópia de 1ª geração tirado a partir da “master”. Ainda hoje, após o jogo do meu querido Palmeiras tentarei upar uma versão com imagem mais decente.

  4. Alagoas continua luta contra
    Alagoas continua luta contra volta de deputados taturanas através do STF. Se o Sr. Gilmar Mendes continuar a afirmar que a Lei de Improbidade Administrativa não se aplica a parlamentares, vai ter briga.

    MP convoca sociedade civil organizada para manter afastamento de deputados ‘taturanas’
    Flávia Duarte/Alagoas24horas
    http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/?vCod=61259

    Representantes de diversos movimentos sociais e da sociedade civil organizada participaram nesta quarta-feira, dia 11, da reunião convocada pelo procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares, para traçar uma linha de atuação contra o retorno dos deputados afastados do cargo por decisão judicial, por envolvimento no desvio de recursos da Assembléia Legislativa.

    Segundo Eduardo Tavares, o retorno dos deputados deverá acontecer em breve, uma vez que que os deputados afastados entraram esta semana com novo pedido de extensão da liminar e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, entende que a Lei de Improbidade Administrativa não se aplica a parlamentares.

    “Ele [presidente do STF] não vê o agente público como gênero e deixou claro, em conversa que tivemos, que os parlamentares fazem parte de uma casta de agente político. O Ministério Público Estadual entende diferente, pois os parlamentare são agentes públicos, logo a lei se aplica a eles e deveria mantê-los afastados dos cargos”, explicou.

    O procurador-geral informou ainda que o MP está preparado caso a decisão do STF seja pelo retorno dos deputados e se prepara para enveredar por outras linhas de atuação. “Caso decidam pelo retorno, não vamos cruzar os braços. O MPE não vai retroceder, pelo contrário, vai dar mais força para lutar. Mas por enquanto o que está em vigor é a decisão do juiz da 16ª Vara, Gustavo de Souza Lima, que mantém os deputados afastados. E no entender do MP é o que vale”, acrescentou Tavares.

    Com a reunião, Tavares pretende manter a sociedade civil mobilizada. “Essa reunião é para não deixar a coisa esmorecer. Vamos fazer um balanço do que está acontecendo e centrar esforços para manter o afastamento dos deputados e trabalhar pela condenação dos culpados. Estamos trabalhando com o Ministério Público Federal para que as ações entrem agora na esfera penal, pois provas para condenação já existem”, completou.

    Manifesto do MP aos ministros do Supremo
    http://www.tudonahora.com.br/noticia.php?noticia=39105

    Excelentíssimo Senhor Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal – STF

    Excelentíssimos Senhores Ministros do Supremo Tribunal Federal – STF

    MANIFESTO ALAGOANO

    O Estado que foi palco das mais importantes manifestações da história do Brasil; terra dos Marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto; dos incomparáveis vultos da literatura Graciliano Ramos e Jorge de Lima; do lexólogo Aurélio Buarque de Holanda Ferreira; do jurista Pontes de Miranda; recanto que viu nascer o menestrel Teotônio Vilela, paladino da democracia hoje vivenciada; paraíso das águas, cortado por lagoas reluzentes e embalado pelas ondas anis do mar de Pajuçara e de Ponta Verde está perplexo, atônito, estupefato.

    Um grupo de pseudo-representantes do povo, levados ao parlamento estadual por conduto da soberana vontade popular, ao invés de envidar esforços na elaboração de normas jurídicas que implementassem políticas públicas e sociais, valeu-se das prerrogativas dos cargos de Deputado Estadual para se locupletar às expensas do erário das Alagoas.

    A quadrilha que se instalou no Legislativo Alagoano, desbaratada em razão da comunhão de esforços da Polícia Federal e dos Ministérios Público Estadual e Federal, logrou desviar mais de R$ 280.000.000,00 (duzentos e oitenta milhões de reais) dos cofres públicos do Estado Membro que possui um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano do país, que tanto carecia dos recursos subtraídos ladinamente.

    O golpe se materializou com a manipulação da folha de pagamento da Assembléia Legislativa Alagoana, intumescida com “funcionários fantasmas”, cujos vencimentos eram percebidos por seus criadores – Deputados Estaduais.

    A senda criminosa daqueles eleitos para legislar em prol da sofrida Sociedade Alagoana levou à contratação de empréstimos junto à entidade financeira da rede privada, assegurados por cheques do Parlamento Estadual que, na data do vencimento das prestações, eram depositados nas contas correntes dos favorecidos dos empréstimos – os Legisladores do Estado.

    Objetivando ocultar seus delitos, os Membros do Legislativo Alagoano ameaçaram, intimidaram, juraram malefícios, anunciaram castigos; promessas todas factíveis em razão do passado de violência de muitos deles – inclusive de crimes contra a vida.

    Com o advento das provas dos desmandos perpetrados na Assembléia Legislativa de Alagoas, materializadas em Inquérito Policial que conta com mais de 370 (trezentos e setenta) volumes e em Ação Cautelar Preparatória, o Ministério Público Estadual não se furtou a cumprir sua missão constitucional, submetendo todos os Deputados Estaduais envolvidos a Ação Civil de Responsabilidade por Ato de Improbidade Administrativa.

    O Poder Judiciário Alagoano, brava e exemplarmente, por conhecer de perto a realidade espelhada nos autos, o sofrimento proporcionado por aqueles que roubaram muito mais que dinheiro público, que arrebataram os ideais alagoanos, embasado na prova estreme de dúvida, afastou – e mantém afastado até os dias atuais – os Deputados Estaduais que transgrediram frontal e mortalmente os preceitos éticos e legais que norteiam suas atividades.

    O tempo é de aflição Senhor Ministro Presidente, Senhores Ministros, o modelo de honorabilidade alagoana está em vossas mãos, o que vamos dizer aos filhos das Alagoas depende de Vossas Excelências, o pão que faltou na mesa da família humilde, o estudo que o sertanejo analfabeto não pôde ter, o leito que o enfermo carente se ressentiu, bens furtados por agentes políticos detentores da missão constitucional de defender aqueles mais carentes; utilidades que não foram ofertadas aos contribuintes porque o erário foi sangrado vorazmente pelos Taturanas, título alusivo a uma série de lagartas, da família dos megalopigídeos, caracterizadas por possuírem uma potente toxina que, liberada na pele humana (ou no tecido social), é capaz de causar desde leves queimaduras até reações graves, como a anafilaxia, conduzindo sua incauta vítima ao óbito, e também pelo voraz apetite floral (em sentido denotativo e conotativo).

    O povo de Alagoas, Excelentíssimo Senhor Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal, Senhores Ministros, aguarda ansiosamente pela decisão a ser proferida no Pedido de Suspensão de Liminar nº 283/2008, submetido à apreciação da Presidência desse Egrégio Sodalício, pois, certamente, dela se poderá abstrair o que é certo ou errado, recomendável ou não no exercício da atividade pública.

    O Estado das Alagoas confia na decisão que será prolatada pela Presidência do Supremo Tribunal Federal no referido pedido, que certamente fará brilhar a estrela radiosa que refulge ao sorrir das manhãs alagoanas, cantada em prosa e verso no hino da nossa terra, envergonhada que está com gatunagem perpetrada na Casa de Tavares Bastos (Assembléia Legislativa).

    Convém exercitar, diuturnamente, a lição do Pe. Manuel Bernardes, em seus Sermões, irando-nos com o fito de evitar injustiças; visto que, nem toda ira é maldade, pois esta, se mais das vezes se rebenta agressiva e daninha, muitas outras, oportuna e necessária constitui o específico da cura. Quando um braveja contra o bem que não entende ou que contraria é ódio iroso ou ira odienta. Quando verbera o escândalo, a brutalidade, o orgulho ou o roubo, não é agrestia rude, mas exaltação virtuosa; não é soberba que explode, mas indignação que ilumina; não é raiva desaçaimada, mas correção fraterna. Então; não somente não peca o que se irar, mas pecará não se irando. Cólera será, mas cólera da mansuetude, cólera da justiça, cólera que reflete Deus – o amor.

    Por fim, Senhor Ministro Presidente, Senhores Ministros , Alagoas toda, o seu povo honesto e trabalhador, não vê a hora de poder parafrasear seu hino e dizer, mais uma vez, que nossa terra tem sonhos ardentes, corações, corações de valentes, almas grandes, de grandes heróis e tu liberdade formosa, justiça triunfal entoas, salve ó terra gloriosa, berço de heróis – nossa Alagoas.

    Alagoas confia no Supremo Tribunal Federal

  5. Me lembro que na década de 80
    Me lembro que na década de 80 eu frequentava um bar em Belo Horizonte, na Savassi, chamado Lugar Comum onde eu podia ver o Milton Nascimento, Lô Borge, Yuri, Fernando Brant e o Beto Guedes, dando uma canja. De graça.

    Até o Zé Coco do Riachão — que também é de Montes Claros como o Beto Guedes — já deu canja no Lugar Comum. Depois eu saía do Lugar Comum e ia jantar em um excelente restaurante, também na Savassi, chamado Casa dos Contos. Lá eu comí o melhor fetuccine aos quatro queijos.

  6. Olha, devo grande parte da
    Olha, devo grande parte da minha evolução musical ao Clube da Esquina de 1972. Até então, adorava música estrangeira e menosprezava o trabalho de artistas brasileiros, por pura ignorância dos trabalhos efetuados por grandes músicos, instrumentistas e interpretes. Milton Nascimento entrou em minha vida (pra nunca mais sair) através desse disco.
    Discutíamos em outro post sobre o Rock Progressivo, e devo dizer que a banda de apoio do Milton nessa época, o Som Imaginário, foi uma das melhores bandas do gênero no Brasil em todos os tempos.
    Por consequência desse disco, conheci mais a fundo o trabalho de nomes como Wagner Tiso, Robertinho Silva, Lô Borges, Eumir Deodato, Tonhinho Horta e tantos outros que participaram dessa obra prima da música brasileira.

    Disco obrigatório em qualquer acervo que se preze!!

    Abraços!

  7. Adoooro Lô Borges! Sua obra
    Adoooro Lô Borges! Sua obra tem um tipo de poesia tão singela, cuja beleza está na naturalidade, numa aparente simplicidade… Bem, é verdade que ele também tem umas composições “meio underground”.
    Lô é tão desconhecido do grande público, tão anti-comercial… e quem perde somos nós, brasileiros, que não conhecemos as nossas pérolas.

  8. Fantástico, Nassif. Lô é um
    Fantástico, Nassif. Lô é um patrimônio da música nacional. Vocês sabiam que sua capacidade de harmonização já foi elogiada por Paul McCartney? Escrevi um pequeno livro de poemas, ” A Flor e o Tempo”, cujo prefácio foi escrito_ claro que devido à generosidade_ pelo seu irmão, Márcio Borges, que tem desenvolvido o projeto ” Museu do Clube da Esquina”, do qual foi precursor, juntamente com Milton Nascimento ( vide o maravilhoso livro ” Os Sonhos Não Envelhecem”) Ah, há dias estou querendo falar. Há uns dois anos, fui a um barzinho cuja especialidade é choros, de altíssima qualidade, chamado ” Pedacinho do Céu”. E há um espaço destinado a caricaturas de pessoas públicas que honraram o lugar. Reconheci a sua ali, Nassif, ao lado de ícones da MPB.

    Foi no lançamento de um de meus livros ou do meu CD, não me lembro.

  9. Yamandu, o Beto é natural
    Yamandu, o Beto é natural dessa maravilhosa Montes Claros, como seu pai, o belo compositor Godofredo Guedes; mas reside em BH desde os dez anos, de forma que o desapropriamos de vocês, rrsrr. Abraços, Marco.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome