Mostra apresenta registros da cultura indígena pelo olhar de Ricardo Stuckert

Projeto traz registros de 12 etnias indígenas. Exposição será aberta nesta quinta-feira, 23 de janeiro, em Brasília

Ricardo Stuckert/Divulgação

Jornal GGN – O fotojornalista Ricardo Stuckert apresenta nesta quinta-feira, 23 de janeiro, uma mostra com seus maiores registros da cultura indígena do país. O projeto “Índios Brasileiros” conta com fotografias da cultura de 12 etnias, expostas na Aliança Francesa de Brasília.

Stuckert foi fotógrafo oficial da presidência da República durante o governo Lula e coleciona registros de grandes nomes da história do país. Sua relação com a fotografia é uma herança familiar, seu bisavô deu o pontapé na profissão que se espalhou para mais de 30 membros da família, incluindo seu pai Roberto.

.“Meu pai foi o fotógrafo do último presidente militar, João Figueiredo; eu, do primeiro operário (Lula); e, meu irmão, da primeira mulher (Dilma Rousseff)”, contou Stuckert em entrevista ao Correio Braziliense.

Mas, foi por meio dos registros expostos na edição Veja Amazônia, que Stuckert decidiu mergulhar na cultura indígena. “Eu fiquei com o tema indígena, e cobri os Yanomamis. Em 1997, fotografei uma índia chamada Penha Goes, de olhos claros e olhar forte”, descreveu.

18 anos depois, o fotojornalista conseguiu um novo registro da índia, que agora tinha 39 anos. A foto foi comparada à imagem de grande repercussão da afegã Sharbat Gula, de Steve McCurry, para revista National Geografic.

Foi a partir dessas experiências com índios, que Stuckert decidiu dar continuidade ao projeto. “Pensei, eu não vou ficar só aqui, preciso fazer um trabalho com os povos originários do meu país”, disse

Assim nasce a iniciativa de registrar 12 etnias indígenas, retratando a riqueza cultural desses grupos. “Índios Brasileiros” está instalada na Aliança Francesa de Brasília, a convite da Embaixada da França, como parte da programação do evento Noite das Ideias (La Nuit des Ideés), projeto que surgiu em Paris, há quatro anos.

Leia também:  Ex-missionário nomeado para Funai é acusado de manipular indígenas e dividir aldeias

Esta é a primeira edição brasileira da Noite das Ideias, sediada simultaneamente em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. O tema deste ano, discutido em cinco continentes ao mesmo tempo, é “A Floresta – como ser vivo e lugar de seres vivos”.

“O projeto começou há bastante tempo. Foi tomando forma e tomou proporções enormes, sendo sediado simultaneamente em vários países”, disse Fernanda Isidoro, assessora da embaixada da França.

A mostra de Stuckert  tem curadoria do italiano Fábio Scrugli e não contém todas as obras da série indígena, mas apresenta uma narrativa capaz de transmitir o olhar dos povos originários que é, segundo o fotógrafo, algo marcante desses grupos.

Stuckert  ainda destaca a escolha do local. “O interessante é que montamos a exposição em uma escola, que é um espaço frequentado e ocupado naturalmente, e aberto a reflexões tanto sobre nossa cultura como sobre as outras”, explicou.

A Noite das Ideias acontecerá em 30 de Janeiro, com diversas atividades como conferências, mesas-redondas, performances artísticas, comidas típicas, projeções de vídeo. Além disso, os convidados franceses e brasileiros irão compartilhar estudos sobre as florestas e os desafios da preservação ambiental.

Com informações do Correio Braziliense.

Ricardo Stuckert/Divulgação
Ricardo Stuckert/Divulgação

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome