A violência, irmã gêmea da estupidez, por João Sucata

A violência, irmã gêmea da estupidez

por João Sucata

Não, não vou falar de certos políticos que querem que o país vire um faroeste, com os homens carregando sua arma na cintura e pronto para mostrar quem é mais rápido no gatilho. Nem dos poderosos chefões que estão transformando o Judiciário brasileiro, instituição fundamental para a estabilidade política e preservação da democracia, em partido político.

Quero me referir ao Felipe Melo, adepto de outro tipo de violência, também covarde, que se dá dentro do campo. O cara é muito bom de bola, é craque, foi fundamental na vitória do Palmeiras contra a Chapecoense, mas é metido  a xerife, conseguiu a façanha de ser expulso do jogo do Verdão com o Cerro Portenho aos 3 minutos do primeiro tempo, em jogo da Libertadores. Decidia-se quem ficava com a preciosa vaga para as quartas de final, mas nem isso, nem o fato da partida mal se iniciava, nem de que com um jogador a menos, o restante da equipe sofreria a ameaça de perder e entrar na roda, nada impediu Felipe de dar uma botinada gratuita no adversário, o suficiente para merecer o cartão vermelho, prêmio  à sua estupidez.

 

O Palmeiras contou com a sorte e perdeu apenas de 1 x 0. Como tinha ganho a primeira partida por 2 x 0, se classificou. O técnico Felipão também parecia abestalhado: em vez de dar a bronca no açougueiro ficou vociferando covardemente com juízes. E colocou outro irresponsável, Deyverson, aos 30 minutos do segundo tempo.

O circo ameaçando pegar fogo, clima próximo ao que levou a torcida do Santos a barbarizar o Pacaembu e Deyverson começou a gesticular para elevar a temperatura da torcida do Verdão, já por demais tensa, angustiada, sendo então expulso. Felizmente ficou por aí, o Verdão terminou o jogo com nove em campo, quando era o adversário quem tinha que jogar como desesperado. Felizmente para a torcida, dirigentes e os expulsos, o Verdão ficou com a vaga. Era caso de fazer o time ir a pé até Aparecida para agradecer, Felipe Melo, Felipão e Deyverson à frente, carregando uma cruz.

 

VIOLÊNCIA EVENTUAL TAMBÉM É ESTUPIDEZ

A violência congênita, assumida, rotineira, é uma coisa, a eventual é outra e as vezes pode se manifestar em nossas atividades, muitas desenvolvidas sob pressão intensa. É assim o futebol. O cara tá lá no campo, observado por milhares de pessoas em volta, o técnico, os diretores, os olheiros que podem leva-lo para um time europeu, ou dirigentes, que se ele jogar mau, irão dispensá-lo, é pura panela de pressão. É o que pode explicar a cotovelada do são paulino Diego Souza num defensor do Fluminense, que o levou a ser expulso logo aos 33 minutos do primeiro tempo. O tricolor paulista ainda conseguiu o empate, heroicamente, mas certamente deixou de ganhar dois preciosos pontos. Caso vencesse, ficaria com cinco à frente do segundo colocado, o Internacional. Nem por isso a cotovelada deixou de mostrar um traço de estupidez de machão, superando momentaneamente a racionalidade. Mas não se compara a Felipe Melo, que já perdeu a conta das vezes que foi expulso e só no Brasileirão já levou nove cartões amarelos.

 

O  SANTOS SALVOU-SE DO PRECIPICIO ?

O Santos  venceu o Vasco em pleno Maraca na hora certa. A eliminação perante o Independiente, da Argentina, pela Libertadores, no Pacaembu, poderia tê-lo jogado no fundo do poço, lá de onde é difícil conseguir sair,  por alguns anos. Nesse jogo, boa parte da torcida, mais parecia gente infiltrada, tentou enterrar de vez o time:  jogou fogos dentro do campo, tentou quebrar o alambrado, quatro torcedores conseguiram invadir o gramado, o juiz acabou tendo que terminar o jogo antes do tempo por falta de segurança. Jornalistas irresponsáveis, os de sempre,  jogavam combustível, culpavam a Conmebol por ter divulgado pouco antes que o time sofrera punição por ter posto um jogador em situação irregular no primeiro jogo e então o Independiente foi considerado vencedor por 3 x 0. O Santos entrou em campo no Pacaembu para fazer 4 x 0, condição para se classificar, e não marcou um único gol, ficou no 0x 0, impotente ante um adversário aguerrido e milongueiro. Com o tumulto cometido pelos exaltados quase-coveiros do peixe, ao lado da diretoria incompetente, a punição que vai vir será muito mais violenta. E para um time que está na penúria, jogar de portão fechado, é desastroso. Não dá para comparar o Peixe com a Portuguesa, mas é bom que os dirigentes e seus opositores pensem bem no que devem fazer doravante. Nada é impossível. Do jeito que vai o Santos, corre o risco de continuar a se distanciar dos considerados grandes.

 

LIBERTADORES NAS QUARTAS DE FINAL

Quatro argentinos, três brasileiros e um chileno irão disputar a nova fase do troféu mais cobiçado do futebol, a Libertadores, único caminho para disputar o mundial. Dia 18 o Tucuman enfrenta Grêmio  e dia 19 será a vez do Independiente enfrentar o River e  o Boca jogar com o Cruzeiro . No dia 20 jogam Palmeiras e Colo Colo. Em seguida muda o mando e campo e teremos um segundo jogo. É futebol para ninguém botar defeito, vale tão só pela guerra e pela emoção que vão entrar em campo.

 

BRASILEIRÃO:  FLAMENGO PERDE,  SÃO PAULO E INTER EMPATAM,  PALMEIRAS E GRÊMIO AVANÇAM

O Mengo, com todo seu timão, em pleno Maracanã, empurrado por 61 mil pessoas, perdeu do Ceará por 1 x 0. O São Paulo suou a camisa para empatar em 1×1 com o Fluminense, tendo que jogar com dez desde os 33 minutos do primeiro tempo, quando Diego Souza foi expulso. O Palmeiras venceu a Chape no campo desta, 2 x 1. O São Paulo porém, ainda continua à frente, com certa folga. Vários times estão jogando com  o que seriam reservas, de olho na Copa Brasil e Libertadores. Mesmo sendo o futebol imprevisível, dificilmente os cinco primeiros deixarão de ir para a próxima Libertadores, pois o último do grupo, o Palmeiras, tem 40 pontos contra 35 do Atlético, que poderá ser o sexto; bem depois vem o Cruzeiro, com 31 e só então, com 30, em 8º, o Corinthians. Na parte de baixo dois grandes cariocas estão correndo muito risco: O Botafogo está em 15º e o Vasco em 16º.  

CLASSIFICAÇÃO,  RESULTADOS DA RODADA E PROXIMOS JOGOS

CAMPEONATO BRASILEIRO

1

São Paulo

46

2

Internacional

43

3

Flamengo

41

4

Grêmio

40

5

Palmeiras

40

6

Atlético-MG

35

7

Cruzeiro

31

8

Corinthians

30

9

Atlético-PR

27

10

Santos

27

11

Fluminense

27

12

América-MG

26

13

Vitória

25

14

Bahia

25

15

Botafogo

25

16

Vasco   

24

17

Sport   

23

18

Chapecoense  

21

19

Ceará

20

20

Paraná

15

22ª Rodada do Brasileirão

 

 Sábado – 01/09/2018

Vitória 1×0 América-MG

Grêmio 4×0 Botafogo

Vasco 0x3 Santos

Corinthians 1×1 Atlético-MG

 

 Domingo – 02/09/2018

Flamengo 0x1 Ceará  

Atlético-PR 2×0 Bahia

São Paulo 1×1  Fluminense

Sport 1×0  Paraná

Cruzeiro 0x0  Internacional

Chapecoense 1×2 Palmeiras

 

 

23ª Rodada do Brasileirão(Próxima rodada)

 

Quarta-feira – 05/09/2018

Bahia x   Sport (19:30 horas)

Botafogo x Cruzeiro(19:30 horas)

Ceará x Corinthians(20:00 horas)

Paraná x Chapecoense (21:00 horas)

Palmeiras x Atlético-PR(21:00 horas)

Atlético-MG x São Paulo (21:45 horas)

Internacional x  Flamengo(21:45 horas)

 

Quinta-feira – 06/09/2018

Fluminense x Vitória(19:00 horas)

Santos x  Grêmio(19:00 horas)

América-MG x Vasco(20:00 horas)

 

João Sucata

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Jandui Tupinambás

- 2018-09-03 20:10:09

Não vi o Diego fazendo falta...

Sucata,

sou atleticano e não sou muito chegado no São Paulo. Se morasse por essas bandas torceria pra qq um dos três menos para o São Paulo. 

Por isso não sou suspeito para analisar o lance da expulsão do Diego Souza. 

Nem falta foi. Um verdadeiro absurdo.  No máximo, encostou o braço no meliante. Mercia sim, no mínimo um cartão amarelo por simulação o jogador do fluminense. Aliás, eu daria vermelho pra essa turma que consegue ser  se machucar e se contorcer de dor com um leve toque de braço do adversário. 

Brincadeira esses erros.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador