Brasileirão: os melhores e piores em seus respectivos lugares, por João Sucata

Brasileirão na ordem natual das coisas: os melhores e piores em seus respectivos lugares

por João Sucata

Nesta quarta Corinthians e Grêmio farão o que pode ser a  final do campeonato

O Timão perdeu do Bahia (lá), um timinho teimoso que resolveu mostrar futebol quando já tinha, praticamente, a corda no pescoço. Os baianos empataram com o Palmeiras (cá) no meio da semana; só não ganharam devido a São Prass, mas  deram um empurrão final para o Cuca perder o emprego. Felipe Melo, com suas tendências equinas, deve estar gozando.

Exceto o Timão, ainda correndo pela ponta, têm seis times logo abaixo,  candidatos a cinco outras vagas na Libertadores (uma já é do Timão). Vasco e Atlético MG, tudo indica, ficarão pelo meio da tabela e o restante disputará os próximos jogos para não fazer companhia ao Atlético de Goiás, que jogou a toalha.

O campeonato continua, pois, interessante. Ainda penso que o campeão é o Timão, o Atlético-GO e o Coritiba estão degolados e o restante engalfinhado ou pela Libertadores ou para para não ocupar as duas outra vagas que levam a série B. Note-se que o Bahia, apesar de estar em 10º lugar, pode ser alcançado em pontos por  sete outros times, bastando que perca um jogo e estes outros tenham uma vitória. Haja candidatos a degola.

O São Paulo continua lutando para manter a cabeça de fora, respirando, a Chapecoense continuam caindo mais que balão apagado, Diego, do Mengo, Fred, do Atlético-MG  e Pratto, do São Paulo, finalmente encontram o caminho do gol.

No Palmeiras Keno deu um show , foram três maravilhosas assistências para os três gols contra o Atlético-GO. O estádio era em Goiás, mas mais de 70% dos torcedores eram do Verdão. Um time que está em último e é abandonado pela torcida não tem mais chances. O Coritiba também está na zona da degola, mas a torcida pelo menos está desesperada, tentando levar o time nos ombros, a do São Paulo enche o Morumbi e vende entusiasmo.

Ainda sobre a parte de cima, o Grêmio, voltou ao segundo lugar, merecidamente. O Santos também ganhou, está em terceiro e o Palmeiras em quarto, essa hirarquia tem sido constante na tabela. O Flamengo, que disputou por várias rodadas o quarto lugar com o Palmeiras, caiu alguns pontos, está abaixo do Cruzeiro e do Botafogo.  Na próxima rodada o Grêmio terá a oportunidade de ouro, jogará contra o Timão no Itaquerão; se ganhar, ficará, após muitas rodadas, há apenas seis pontos abaixo. Se perder, a distância entre eles será de 12 pontos, insuperável. Santos, Cruzeiro e Palmeiras também jogarão. Se o Timão vencer e esses três times não conseguirem os três pontos que irão disputar, poderemos ter a volta olímpica.

 

Vejamos  os resultados, próximos jogos, classificação:

 

1º Corinthians  58

 

2º Grêmio  49

 

3º Santos  48

 

4º Palmeiras  47

 

5º Cruzeiro  47

 

6º Botafogo  43

 

7º Flamengo  43

 

8º Vasco  39

 

9º Atlético-MG  38

 

10º Bahia  35

 

11º Atlético-PR 35

 

12º Fluminense  35

 

13º São Paulo  34

 

14º Sport  34

 

15º Vitória  32

 

16º Chapecoense  32

 

17º Ponte Preta  32

 

18º Avaí  30

 

19º Coritiba  28

 

20º Atlético-GO  26

 

 

28ª RODADA

Sábado (7)

16h Cruzeiro 2×1 Ponte Preta

 

Sábado (14)

19h Vasco 1×0 Botafogo

21h São Paulo 2×1 Atlético-PR

 

Domingo (15)

17h Fluminense 1×0 Avaí

17h Sport 1×1 Atlético-MG

17h Atlético-GO 1×3 Palmeiras

17h Chapecoense 0x1 Flamengo

19h Coritiba 0x1 Grêmio

19h Bahia 2×0 Corinthians

 

Segunda (16)

20h Santos x Vitória

 

29ª RODADA

Quarta (18)

19h30 Coritiba x Cruzeiro

19h30 Atlético-GO x Vasco

21h Atlético-MG x Chapecoense

21h45 Corinthians x Grêmio

21h45 Avaí x Botafogo

 

Quinta (19)

17h Palmeiras x Ponte Preta

17h Vitória x Atlético-PR

21h Flamengo x Bahia

21h Sport x Santos

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Não dá pra afirmar o título

    Não dá pra afirmar o título para o Corinthians. Carille não é um Tite, nem mesmo um Mano Menezes, que fosse. O técnico é o maior responsável pelo time ter saído  praticamente com uma mão na taça no fim do primeiro turno e fazer esta campanha digna de time rebaixado no segundo. Enfim, se o Corinthians não ganhar o campeonato será o caso de mandar todo mundo embora imediante, só poupando goleiro e roupeiro.

  2. Carille

    Carille vem insistindo, nos últimos jogos, em começar com Romero na ponta direita, onde rende menos, para: 1) dar proteção a Fagner (que vai muito mal, chutando o adversário mais que a bola e entregando o ouro – o Bahia que o diga); e 2) dar lugar a Jadson na esquerda. Só que Jadson está jogando menos que um cone de trânsito. O lateral, esquerdo, Guilherme Arana, fica desperdiçado sem poder apoiar. Fagner, que está em má fase, tem Jadson não ajudando em nada na marcação. Por aí o Corinthians se complica.

    Aí, do meio para o fim da partida, Carille põe o Romero na esquerda, mas no desespero troca, em seguida, o paraguaio legítimo por um “paraguaio” do calibre de um Giovanni Augusto (terá GA tomado um boa-noite-cinderela?). Tira Jadson (estava em campo?) para pôr Marquinhos Gabriel, que apesar de dar um gol ao Bahia ontem, pelo menos entra na partida acordado (o Jadson estava em campo?).

    No próximo jogo, tudo se repete.

    E o Santos chegando…

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome