Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho, Romário ou Ronaldo?, por Adilson Filho

Por Adilson Filho

Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho, Romário ou Ronaldo?

Andam pipocando enquetes pra saber quem foi o melhor dos 4 erres: Essa eu cravo sem hesitar: Rivaldo foi o mais completo e impressionante jogador de sua era. Ainda assim, cabe a comparação mano a mano. No caso de Ronaldinho Gaúcho eu vou pular porque jogador que só viveu de auge (relâmpago) não merece sequer ser comparado. Dois anos num ritmo alucinante e o resto da carreira absolutamente mediana alternando inclusive fases pífias como no Milan, onde passou uma temporada inteira sem assinalar um tento, ou na fase decisiva da libertadores pelo Atlético onde ficou as três últimas partidas sem tentar um único peteleco a gol. Ou na Copa de 2006, onde viu Zidane veterano passeando do seu lado enquanto caia de bunda em cima da bola fazendo muito feio no momento em que estava no topo. Não dá, jogador assim não dá, isso nunca chegou nem perto de acontecer com os outros.

Com Romário e Ronaldo, essa sim, é briga de cachorro grande. Romário era matador nato, extremamente talentoso, com dribles curtos, raciocínio rápido e tecnicamente perfeito, embora seu forte fosse os gols por penetração que exigem mais habilidade. Artilheiro por onde passou, impôs sua convocação em 94 foi lá e trouxe o caneco.

Ronaldo foi mesmo um fenômeno, uma força da natureza, jamais um jogador brasileiro teve ou talvez terá aquele nível de explosão e condução de bola em velocidade rumo ao gol. Super habilidoso e com ótima técnica também, foi lá e trouxe o caneco em 2002 depois de longa recuperação o que foi sim um feito épico.

Mas e Rivaldo, frente a esses monstros, como então os superaria? Pois Rivaldo foi, quer a imprensa esportiva queira ou não, o camisa 10 brasileiro mais genial depois de Pelé. Brilhou aqui dentro, brilhou lá fora, brilhou com a seleção, brilhou no Barcelona, jogou pra caralho em duas copas, foi melhor do mundo com sobras nesse intervalo, levantando a taça na última. Sua carreira foi inteiramente luminosa. O grande diferencial de Rivaldo é que ele poderia ter sido um camisa 9 como os outros, poderia ser um Cavani ou um Ibra, pois tinha nível, velocidade e faro de gol pra isso, mas Rivaldo foi um camisa 10 irretocável. Aliou essa capacidade ofensiva nata ao futebol plástico bonito de se ver, com passes longos e lançamentos perfeitos.

O que eu vi Rivaldo fazer em campo, foi praticamente de tudo. Pedia a bola na cabeça de área, ditava o ritmo, cadenciava, e municiava o ataque, ao mesmo tempo em que podia se adiantar jogar na intermediária do adversário e infernizar a vida da defesa com seus chapéus, canetas tapas precisos de fora da área ou aquela bicicleta por conta da casa . Romário e Ronaldo, espetaculares. Mas Rivaldo, pra mim, indiscutivelmente, o maior.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora