Times argentinos batem brasileiros com facilidade, por João Sucata

Times argentinos batem brasileiros com facilidade 

por João Sucata 

As semifinais da Libertadores deixaram claro a superioridade do futebol jogado na argentina sobre o brasileiro no momento. Os argentinos ganharam 24  Libertadores contra 18 dos brasileiros, mas algumas vitórias poderiam ser debitas a ter questões eventuais, como terem um time mais preparado ou algo parecido. No entanto, a diferença nesta última foi muito marcante: dois grandes times brasileiros, o líder do Brasileirão entre eles, ficaram em evidente inferioridade.

O River eliminou o Grêmio e o Boca Juniors, o Palmeiras.  Os times brasileiros jogaram na defesa na Argentina, o Grêmio saiu de lá com uma vitória surpreendente de  1 x 0, enquanto  o Palmeiras perdeu por  2 x 0 do Boca. Nos jogos no Brasil o Grêmio perdeu de 2 x 1 do River; no acumulado dos 180 minutos ficou 2 x 2,  mas como o River marcou dois gols fora de seu campo, classificou-se. O Palmeiras nem isso conseguiu; empatou no Allianz em 2 x 2, e como tinha perdido de 2 x 0 em Buenos Aires, caiu fora da disputa, mais um título que o Felipão perde.

Técnicos brasileiros estão defasados

O fato é que os argentinos jogaram futebol corajoso, aberto, hábil, enquanto os brasileiros apostava em trancar-se na defesa, amedrontados, jogando feio. A diferença pode estar nos técnicos, e isso explica como os treinadores argentinos estão dirigindo seleções e times grandes pelo mundo, sendo raro os brasileiros que conseguem tais postos. E o pior é que havia alguns jovens aparecendo no atual Brasileirão, treinavam alguns times grandes, mas foram afastados e tiveram seus cargos ocupados por outros mais velhos, os mesmos de sempre.

Leia também:  Buzuca, o zagueiro que destruiu os meniscos de Reinaldo

Também no futebol o negócio é ser “esperto”

O Grêmio pediu a anulação do jogo contra o River em Porto Alegre, vez que o técnico do time argentino, que estava suspenso, orientou-o, via rádio, o tempo todo de um camarote onde ficou. Imagens de TV flagraram a infração, mas é possível que a CONMEBOL se limite a punir o infrator, sem punir o time todo. Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, é um que insiste na anulação, dizendo inadmissível desobedecer a regra. Mas um repórter lembrou que ele usou um de “esperteza” em jogo anterior, contra o Lanús, quando contratou um espião. Dizem que este teria usado um drone para espionar o treino dessa equipe argentina. Como se vê, pelo menos no futebol, “esperteza” se paga com “esperteza”.

REAL MADRID, COM VINICIUS, FINALMENTE VENCE

Após seis jogos sem ganhar, três derrotas consecutivas, o Real ganhou de 2 x 0 do Valladolid. A outra novidade foi a entrada de Vinicius, quando faltavam 18 minutos para terminar o jogo. O brasileiro teve uma sorte de calouro: chutou uma bola em direção a área, ela bateu no zagueiro e entrou. O garoto comemorou como se tivesse marcado diretamente. A torcida, 68 mil pagantes, comemorou, pois o jogo se aproximava dos 40 minutos do segundo tempo e mais uma vez o Real não estava passando de um empate. No final, o jogo terminou por 2 x 0, um alívio para o técnico provisório, pois o antigo ganhou bilhete em branco.

BRASILEIRÃO

O Palmeiras ganhou do bravo Santos, de Cuca, 3 x 2, em um jogo que teve 48 faltas. Algo precisa ser feito para o futebol  ficar mais bonito e corrido, menos tempo truncado e parado pela violência . Enquanto o Verdão manteve-se líder isolado, o Peixe ficou no 7º lugar, mas atrás do Atlético MG, que por ter melhor performance mantém-se  entre os seis times que tem direito a disputar a Libertadores.

Leia também:  Com camiseta manchada de óleo, Bahia entra em campo para cobrar medidas do Governo

Por sua vez, Flamengo e São Paulo empataram n Morumbi e estão respectivamente a seis e nove pontos do líder Palmeiras.  Enquanto isso o Internacional venceu o Atlético PR por 2 x 1, ultrapassando o Flamengo e indo ao segundo lugar, o Furacão segue vivo na disputa por uma vaga na Libertadores 2019, a três pontos do G6.

O Timão foi ao  Rio e perdeu do Botafogo, 1 x 0. O Vasco ganhou do Fluminense por 1 x 0, o que lhe permite um pouco de oxigênio. O Atlético-MG perdeu do Grêmio mesmo jogando em casa. Os mineiros trocaram de técnico mas continuam em má fase.

 

CLASSIFICAÇÃO E JOGOS

CAMPEONATO BRASILEIRO

1

Palmeiras

66

2

Internacional

61

3

Flamengo

60

4

São Paulo

57

5

Grêmio

55

6

Atlético-MG

46

7

Santos

46

8

Cruzeiro

46

9

Atlético-PR

43

10

Fluminense

40

11

Bahia

40

12

Corinthians

39

13

Vasco

38

14

Botafogo

38

15

Ceará

37

16

Vitória

34

17

América-MG

34

18

Chapecoense

34

19

Sport

33

20

Paraná

18

 

32ª Rodada do Brasileirão

 

Sábado – 03/11/2018

Fluminense 0x1 Vasco

Palmeiras 3×2 Santos

Atlético-MG 0x1 Grêmio

 

Domingo – 04/11/2018

Paraná 1×1 Vitória

América-MG 1×2 Cruzeiro

Botafogo 1×0 Corinthians

São Paulo 2×2 Flamengo

Bahia 1×0 Chapecoense

Internacional 2×1 Atlético-PR

 

Segunda-feira – 05/11/2018

Sport x Ceará(20:00 horas)

 

33ª Rodada do Brasileirão(Próxima rodada)

 

Sábado – 10/11/2018

Corinthians x São Paulo(17:00 horas)

Atlético-PR x Cruzeiro(19:00 horas)

Botafogo x Flamengo(19:00 horas)

América-MG x Paraná(21:00 horas)

 

Domingo – 11/11/2018

Atlético-MG x Palmeiras(17:00 horas)

Vitória x Bahia(17:00 horas)

Ceará x Internacional(17:00 horas)

Grêmio x Vasco(17:00 horas)

Fluminense x Sport(19:00 horas)

 

Segunda-feira – 12/11/2018

Santos x Chapecoense(20:00 horas)

3 comentários

  1. Culpar os tecnocos é sempre o
    Culpar os tecnocos é sempre o mais facil. É a cultura do esporte quefoi corrompida.

    Eu noto há decadas: o toque de bola brasileiro é muito provavelmente o PIOR entre as maiores naçoes do futebol. Sao uns 40 passes errados por time a cada partida em média. Finalizaçoes tambem errafas aos montes. E isso dos times da cabeça da tabela.

    Gol, praticamente so acontece de contra ataque. Quando sai uma tabela esperta até surpreende. Cobrança de falta, nunca mais…

    É a qualidade do jogador brasileiro que decaiu e muito. Principalmente quando deixaram de ser “craques” pra se tornarem “idolos”.

    Enquanto isso todos seguem valorizando a pedalada, a embaixadimha, o drible inutil…

    A publicidade gosta, os jornalistas gostam…e a torcida vai atrás. No campo, que é bom…

    Sem falar nesse estranhissimo “profissionalismo” em que os caras aprendem a se jogar (em pelada nao tem isso) e a nao treinar…

    Se nao fosse um pais de 200 milhoes de habitantes, nao daria pra formar sequer dois times mais ou menos competitivos.

  2. O tal …
    O tal “clima de Libertadores” faz com que os jogadores entrem num nível de tensão alto fazendo besteiras por conta disto.
    Mas achar também uma “superioridade” argentina é exagero.

  3. O autor do artigo não

    O autor do artigo não acompanhou a Libertadores e a sucessão de roubos explíccitos de arbitragem em jogos de brasileiros contra argentinos. Tampouco acompanhou o absurdo que foi o julgamento do River Plate. 

    Desconsiderar isso na análise é imperdoável. 

    A Conmebol é uma máfia que sempre beneficia os clubes da Argentina. Algo que até parte da imprensa daquele país admite.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome