Uma crise local ou global?, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Foto: Divulgação/PR
 
 
Por Fábio de Oliveira Ribeiro
 
Ao analisar a greve dos caminhoneiros a imprensa está colocando o foco ora nas consequencias econômicas de curto prazo (desabastecimento, especulação, horas de trabalho perdidas, produção e distribuição de mercadorias comprometidas, colapso da produção de frangos, etc…) ou nos efeitos políticos da repressão militar ao movimento. Parente deve ou não ser demitido? Michel Temer irá ou não cair? A Petrobras deve ser pública ou privada? O monopólio do petróleo deve ou não ser restaurado?
 
O Brasil não é um país isolado. Gostemos ou não nosso país não deixará de fazer parte de um contexto maior. O século XIX foi da Inglaterra. O século XX foi disputado pelas duas superpotências nucleares: EUA e a URSS. Tudo indica que o século XXI será da China. Os chineses certamente trabalham com essa perspectiva: https://www.youtube.com/watch?v=5qmX4ccIfR0&feature=youtu.be e https://www.youtube.com/watch?v=DosxS4Iofek&feature=youtu.be.
 
Nosso país exporta uma quantidade imensa de alimentos para a China. A estabilidade do regime comunocapitalista chinês depende de 1,4 bilhão de pessoas serem abastecidas regularmente de gêneros alimentícios. Se ocorrer uma interrupção no fluxo de alimentos brasileiros (o que já deve estar ocorrendo), a China terá que encontrar fontes alternativas em outros países. Isso acarretará duas coisas: um encarecimento dos alimentos em escala planetária e uma queda abrupta dos preços dos alimentos no Brasil.
 
A capacidade de estoque do país é limitada. Portanto, a manutenção dos preços poderá acarretar a destruição de milhares de toneladas de alimentos que seriam exportadas com lucro. A greve dos caminhoneiros causará não só desabastecimento (e inflação), mas uma abundância de produtos alimentícios incapaz de gerar divisas e arrecadação fiscal. Os produtores e exportadores de produtos rurais apoiaram o golpe de 2016. e sofrerão consequencias devastadoras em razão da crise que eles mesmos ajudaram a criar.
 
Michel Temer e Pedro Parente largaram os caminhoneiros na estrada para atender os interesses norte-americanos. A esquerda insiste em criminalizar ambos por exportarem petróleo cru e importarem diesel a preços elevados. Todavia, a mim parece que a estratégia de longo prazo dos EUA não é apenas lucrar com a exportação de derivados de petróleo para o Brasil. Ao desorganizar a economia rural exportadora brasileira provocando a crise em curso, os norte-americanos conseguirão provocar um dano de grande monta à estratégia de longo prazo da China.
 
Os ruralistas serão sacrificados no altar do Tio Sam não porque são ineficientes, mas porque a eficiência deles poderia consolidar a nova Rota da Seda e comprometer a estratégia de preservação da hegemonia norte-americana. Os concorrentes deles nos EUA irão lucrar exportando mais a um preço maior para a China. E os chineses inevitavelmente se tornarão mais dependentes dos EUA do que gostariam.
 
A estratégia da Rússia é se aproximar da China e da Europa. A da China é se aproximar da Europa e da Rússia. Os norte-americanos lutam para consolidar sua posição no planeta para não ficarem isolados. Portanto, para entender o que está ocorrendo precisamos ficar com um olho no Brasil e os dois outros na China, na Rússia e EUA. Os ruralistas acreditaram que poderiam lucrar derrubando o PT com ajuda da Embaixada dos EUA. Mas os planos dos EUA para o Brasil não incluem necessariamente a preservação do agronegócio brasileiro.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

14 comentários

  1. crise LOCAL Temer deve cair

    respostas:

    A crise LOCAL 

    Temer deve cair e ser executado por ter TRAIDO e golpiado a democracia do BRASIL  ..golpeado a democracia

    Parente deve ser preso por ter entregue a Petrobrás e os interesses legítimos dos brasileiros a estrangeiros

    e que brincadeira é a ultima pergunta ?

    A Petrobras É UMA Empresa pública  ..a sociedade financiou seu risco, e DEVE colher seus louros

    Seu investidor sabe muito bem  que a composição acionária é MISTA  ..que seus lucros, PELOS MENORES RISCOS que oferece, devem ser menores do que outras empresas não possuem as mesmas garantis 

    ..a PETROBRAS deve continuar a servir ao BRASIL, SERVIR COMO FORÇA REGULADORA do mercado de energia, sem trair seus acionistas e popupadores de LP, MUITO menos se esquecer da sua missão social e de pesquisa, indutora da economia e desenvolvimento, e da sua eficiência, evidente

  2. Eu gostaria, de verdade, de

    Eu gostaria, de verdade, de me sentir mal com os prejuízos do agronegócio no Brasil. Mas como conheço a mentalidade dessa gente, não dou a mínima.

    No final das contas, existe um lado bom de todo esse caos social: o Brasil terá uma chance de se reinventar para melhor (ou se destruir de vez).

  3. Concordo plenamente. A crise

    Concordo plenamente. A crise no Brasil está relacionada à decadência da potência hegemônica. Tivéssemos um governo soberano e com um mínimo de inteligência estratégica, o Brasil se tornaria rapidamente uma potência regional, tirando proveito da guerra fria atual.

  4. Barbárie ou civilização?

    A questão, Fabio, não é incluir-se ou não no mundo, isso é ponto pacífico: não há como isolarmo-nos. A questão é a posição nessa inclusão: subordinada ou independente, obediente ou soberana, tanto para assuntos externos – admitirmos ou não atravessadores entre o que produzimos e quem compra nossos produtos – quanto internos, a forma como distribuimos entre nós o resultado do que produzimos, aceitar ou recusar a postura que estrangeiros querem que assumamos.

    Veja, os EUA não querem tomar o que temos, querem comprar. Mas mesmo sendo nós os que têm para vender – e há coisas que só nós temos, exemplo concreto, nióbio – querem comprar nas condições que eles oferecem, querem que aceitemos o preço eles querem pagar. E, claro, agregam a esse valor coisas como ideologia: não basta que aceitemos o dinheiro que nos oferecem, é necessário que acatemos a admiração que querem que tenhamos em relação a eles, algo parecido com venda casada. Mas mesmo usando a arma moral da ideologia, aquela imposição se dá pelo uso de armas físicas, hostes bárbaras e saqueadoras.

    Por isso é que os donos do capital encomendaram ao Fukuyama aquela bobagem de “fim da história”: as pessoas que ganham com a selvageria não querem que as relações entre vendedor e comprador evoluam da barbárie nem para um capitalismo porque sabem que essa evolução levará a um socialismo, “sem amos”, como diz a canção.

    • Resumido: segundo você os

      Resumido: segundo você os norte-americanos que desorganizaram nossa economia apoiando o golpe de 2016 para ter mais lucro são tão bonzinhos. Francamente… prefiro ver os EUA comendo poeira atraz da China e sob as botas da Rússia. Mais alguma observação?

      • Humm… Pelo seu resumo,

        Humm… Pelo seu resumo, deixo o convite para que você releia o que escrevi, quem sabe conseguir ultrapassar o tremor que talvez tenha sentido ao ler que os EUA não querem tomar, querem comprar, e seguir até onde aponto a barbárie que é a imposição de condições nas transações comerciais através das armas, de fogo ou morais. Ou seja, que comprar apontando armas para o vendedor não é comprar, é disfarçar o roubo. Aliás o que a mesma turma que hoje é dona do dólar tem feito há séculos e, como exemplo, fez com os chineses nos Tratados Desiguais: mero disfarce. Assim, usando seus termos, nada vejo de “bonzinho” nos EUA e sim de hipócrita e hostil, inimigos nosso bárbaros travestidos de gentis-homens. Aparência é tudo para esses dementes, é o que digo.

        E como se precisasse explicar, compartilho dos seus sentimentos: quanto menos EUA no mundo – e em nossa cultura -, melhor.

  5. Uma…

    Os ‘caras’ não conseguem largar de 64!! É surreal ” Agora a culpa é também dos Ruralistas? E os ‘malvados’ NorteAmericanos fazendo tudo isto e uma Nação de 200 e tantos milhões de pessoas, quietinha, bovina, esperando para ver o que fazem dela? É muito Fatalismo e Vitimização? E o que Nós fazemos? Esperamos a volta de Dom Sebastião? A libertação do nosso atual Caudilho? E dizem não saber o porque chegamos até este 1964? Quero dizer 2018? Inacreditável !!!  

    • O que você anda fumando,

      O que você anda fumando, cheirando e injetando está fazendo mal aos leitores. Seus comentários alucinados e lisérgicos são dispensáveis. Portanto, vá vomitar sua loucura pró EUA em outro lugar.

  6. A questão é que não …

    A questão é , não tem solução boa , segurar o preço crescente do deisel e passar a conta para a Petrobrás ou repassar o custo real para toda a cadeia produtiva.

    A primeira me parece chutar a lata mais para a frente , a Petrobrás descapitalizada fica com menos capacidade de investimento ou o estado teria de tirar dinheiro de algo para por lá.

    A segunda também não é lá estas coisas pois os preços de tudo subirão.

    Creio que a melhor solução seria repassar e se discutir a barafunda tributária.

    Mas se os preços do petroleo caírem depois , deverão cair também na bomba.

    Quanto ao Temer seria fora ele até com diesel a dois centavos …

     

  7. Terceira visão
     

    Análise estratégica bem interessante.

    Você diz:

    “Portanto, para entender o que está ocorrendo precisamos ficar com um olho no Brasil e os dois outros na China, na Rússia e EUA.”

    Então a gente só pode concluir que o olho que sobra para observar o Brasil  é aquele mesmo  onde sempre o brasileiro toma.

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome