A insegurança hídrica de Alckmin em dois atos

Hoje, 22 de Julho, é um dia importante para quem acompanha a crise hídrica em São Paulo e para a cidadania paulista de modo geral. Contrariando discursos otimistas – que beiraram a arrogância, dado o não reconhecimento da gravidade dos problemas –, nos deparamos com dois anúncios fundamentais sobre o futuro de curto prazo com relação ao abastecimento de água para quase metade da população do Estado: 1) a declaração do uso, já para Agosto, do volume morto da represa de Biritiba-Mirim, integrante do Sistema Alto Tietê (conforme notícia do G1: http://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/2014/07/sabesp-preve-utilizar-volume-morto-do-sistema-alto-tiete-em-agosto.html); 2) a confirmação da solicitação da SABESP à ANA para a retirada de mais 100 bilhões de litros de água do volume morto das represas integrantes do Sistema Cantareira (conforme a notícia da Folha: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/07/1489368-sabesp-pede-para-utilizar-mais-agua-do-volume-morto-do-cantareira.shtml).

O percurso sinuoso encontrado a partir da observação dos discursos de Alckmin constitui um indício sobre a forma com que a crise hídrica tem sido gerida. O que percebemos é que, necessariamente, Alckmin apenas se pronuncia para conceder as notícias “boas”, “positivas”, “alentadoras”. Nunca o governador admitiu que a situação é dramática. Esses discursos preocupantes, quando são publicizados, provém apenas de alguns dos técnicos do governo. Caberia aqui, como um adendo, perguntar como é possível que as falas de Alckmin, conforme mostraremos abaixo, jamais tenham sido contestadas diante das realidades que vêm à tona posteriormente, que invariavelmente desmentem os seus pronunciamentos.

A complexidade e a profundidade da crise do Sistema Alto Tietê haviam sido apontadas neste artigo da semana passada (http://jornalggn.com.br/blog/sergiorgreis/um-diagnostico-sobre-a-dramatica-situacao-do-sistema-alto-tiete), no qual apresentava um diagnóstico a respeito da duração do abastecimento de água a partir desse conjunto de reservatórios e indicava as dificuldades acerca da exploração dos respectivos volumes mortos – uma necessidade inevitável.

Leia também:  São Paulo gasta mais com prisões provisórias do que com programas sociais

Curiosamente, até o final de Junho Alckmin assegurava que o Alto Tietê não se encontrava em situação adversa. Por sinal, não só não havia problemas como, em nota de 13 de Junho, a Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos ainda atacou o jornal Estado de São Paulo, numa demonstração da extrema dificuldade do governo em lidar até mesmo com críticas moderadas. Diz o texto (contido em http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,para-governo-alto-tiete-nao-estava-em-crise-ha-um-mes-imp-,1527458):

“A Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos lamenta que, depois de reiteradas e infrutíferas tentativas de provar que a água do Cantareira vai acabar, o Estadão agora encampa a tese de que outro sistema – o Alto Tietê – vai ‘secar’ e ‘entrar em colapso’”

A nota ainda dizia que “Não é razoável, como tem feito sistematicamente a reportagem do Estadão, traçar sempre o cenário mais desfavorável”. À época, o governo assegurava, com bastante confiança, a continuidade do abastecimento de água por meio desse Sistema sem a necessidade de extração do volume morto até a chegada do período mais chuvoso.

Apenas no dia 11 de Julho é que a SABESP reconheceu a necessidade de realização de estudos para a eventual retirada da água abaixo nos níveis operacionais dos reservatórios (conforme notícia do Estadão: http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,sabesp-quer-usar-mais-volume-morto-e-repetir-tatica-no-alto-tiete,1527381). Apesar disso, Alckmin garantia (conforme notícia do G1 de 13 de Julho – apenas há 9 dias, portanto):

“É sempre importante ter esta reserva técnica que possa ser utilizada, senão não tem sentido, mas nós não pretendemos utilizá-la. Todos os estudos que nós estamos fazendo mostram que nós chegaremos às próximas chuvas sem precisar utilizar a reserva técnica”, garante Alckmin.

Leia também:  Ministério Público de Contas reprova gastos de Alckmin e França em ano eleitoral

Tal qual comentado no último artigo que publiquei, a extração do volume morto, no caso do Alto Tietê, será um feito mais complexo. Há controvérsias entre a matéria publicada pelo G1 e pelo Estadão (http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,volume-morto-do-alto-tiete-sera-usado-em-agosto-imp-,1532149), já que enquanto dá a entender que serão retirados 25 bilhões de litros da represa Biritiba, o segundo (linkado no começo deste texto) aponta para a sucção de 15 hm³ dessa represa e mais 10 hm³ de Jundiaí. Mesmo na segunda hipótese, mais plausível, essa extração significará o esvaziamento praticamente completo das duas represas, conforme diagnóstico que apresentei.

Esses 25 bilhões de litros significarão mais 25 dias de sobrevida ao Alto Tietê. O problema é que, quando essa água acabar, é bem provável que isso signifique o seu fim. Isso porque a represa de Ponte Nova, situada anteriormente no fluxo de encaminhamento da água, envia o líquido via estação elevatória, e não por gravidade. Como Biritiba se encontra com apenas 6,4 hm³ e Jundiaí com 6,7 hm³, é extremamente possível que o esgotamento dessa represas ocorra em prazo ainda inferior ao que dispõe a SABESP para a extração da água. É bastante plausível supor, a essa altura, que o esvaziamento dessas duas represas esteja crítico ao ponto de inviabilizar o transporte da água via gravidade, tornando inevitável, já nesse momento, o uso das bombas. Trata-se, então, eventualmente, de uma situação ainda mais crítica do que a aventada no diagnóstico.

No que se refere ao Cantareira, a proposta de extração de mais 100 bilhões de litros já havia sido ventilada há algum tempo. De fato, o presidente da ANA, Vicente Andreu, já havia se manifestado publicamente contra a autorização dessa retirada em audiência pública de 3 de Junho (conforme esta notícia da Isto É: http://www.istoe.com.br/reportagens/366584_RESERVA+DO+CANTAREIRA+PODE+ACABAR+EM+OUTUBRO+DIZ+SABESP ). Alckmin, pelo contrário, mais uma vez concedia declarações extremamente confiantes sobre a situação desse sistema. De acordo com matéria publicada pelo Estadão em 07 de Julho (http://www.diariodolitoral.com.br/conteudo/37667-sistema-cantareira-alckmin-fala-em-minima-da-minima), o governador de São Paulo assegurava que não pretendia retirar ainda mais água situada abaixo dos mínimos operacionais: “Ainda há uma reserva de 218 milhões de metros cúbicos que não pretendemos destacar”.

Leia também:  Loteamento de cargos do governo Bolsonaro é consolidado

Mais uma vez, após uma série de afirmações contundentes a respeito da não-gravidade da crise da água em São Paulo, verificamos práticas que vão de encontro a essas convicções. A cada vez em que isso ocorre (e já notamos esse imenso descompasso em outras ocasiões, como na negativa da existência de crise aguda do Cantareira – ainda em Janeiro –, e na rejeição sobre a necessidade de extração da primeira parcela do volume morto desse sistema – em Fevereiro), nos questionamos, diante da falta de transparência, se se trata de 1) incapacidade extrema de lidar com críticas, resultando nesses discursos agressivos e completamente descompassados; 2) falta de capacidade de diagnóstico; 3) concepção de que não é direito do cidadão entender o que ocorre; 4) a noção de que a crise é ainda muito mais grave do que pensávamos. Particularmente, creio que seja uma combinação explosiva das quatro hipóteses, o que em nada nos deixa tranquilos a respeito do futuro do Estado, cada vez mais próximo da insegurança hídrica completa.

66 comentários

  1. Não há precedente conhecido

    Não há precedente conhecido de falta de água para 10 milhões de pessoas. De fato a situação que se avizinha é gravíssima. Vai faltar para muitos até mesmo água de beber, não sejamos ingênuos. Trata-se de uma situação de guerra guiada por uma avestruz.

    • O problema da  precipitação

      O problema da  precipitação hidrica nas regiões afetadas pela seca em são paulo é mais grave, não se trata de uma simples seca ou estiagem, a situação acontece a mais de dez anos, os administradores levados por otimismo não se preocuparam como deviam.

      Observações metereológicas apontam que o regime de chuvas nestas regiões foi alterado de forma definitiva, não chovera mais nestas regiões como antigamente. Como nenhuma providencia foi tomada a unica alternativa para o governo é utilizar a agua da guarapiranga e da billings, não existe outra alternativa.

      Percebam abaixo na foto da temperatura que esta mudou em regiões no mundo todo.

      Norte do EUA e do Canada a temperatura vem sofrendo um esfriamento.

      Sul da America do Sul aquece.

      Oceania e sul da Australia esfria.

      Norte da Europa e siberia esquenta.

      Estas mudanças são permanentes e influenciam o clima no mundo todo.

    • Esse avestruz atende pelo nome de Geraldo Alckimin

      Geraldo Alckimin é o principal nome do PSDB, ele é culpado pelo desabastecimento de água para metade dos paulistas, pois ele  se tornou governador após a morte de Covas, foi eleito e reeleito várias vezes, e não tomou nenhuma medida para atenuar os atuais problemas. Ele teve tempo de planejar, mas não planejou, pois isto não dava voto para ele naquela época. Hoje isto vai tirar voto dele.

      São Paulo não merece outro governo do PSDB, muito menos o Brasil.

      • não acredito que tire um único voto…

        Os governos tucanos são blindados. Nada acontece com eles nunca, não importa a barbaridade que fizerem. Já não é caso eleitoral, mas de calamidade pública se faltar agua pra 10 milhoes de pessoas. Nunca soube de algo parecido em nenhum lugar do mundo ou na historia. Quem vencer essas eleições vai ter uma catastrofe sem precedentes nas mãos e absolutamente nada pra fazer. Pior é que tb a região de Campinas vai sofrer e esta sofrendo. Além de afetar a população diretamente, muitas industrias não terão como funcionar sem a água, cerca de 60% delas não tem opção = desemprego… Onde estão o MP e a Justiça? Cadê os deputados e senadores de São Paulo pra defender (os eleitores) a população? Não serão cobrados tb pelo silencio cúmplice? temo que não.

  2. Chuchu vai secar mais rápido do que as represas

    Lamento informar que o Chuchu também já secou.

    Haverá segundo turno em São Paulo. Na última eleição eles escapou do segundo turno por 0,63% dos votos, com muita água e muita enchente e sem nenhum escandalo dos trens.

    Dessa vez ele vai conseguir escapar novamente do segundo turno. Não vai nem entrar…

    • Skaf

      Como já comentei em outro post, quem deve se dar melhor com isso é o Skaf, que tem mais tempo de TV e está muito à frente do Padilha (a incompetência do PT em São Paulo, aliás, merece um capítulo à parte), além de ter martelado na tecla da incúria dos tucanos em matéria de gestão dos recursos hídricos.

      Do Skaf e do Alckmin, não sei quem é pior…

    • NAO, JURA!  PELAMORDEDEUS!
      Eu

      NAO, JURA!  PELAMORDEDEUS!

      Eu quero ver Alkimin trazendo agua pra Sao Paulo!  PELO AMOR DE DEUS, GENTE!

      Nao deixem essa bomba estourar no colo do PT -que eh exatamente o que vai acontecer com um governador petista.

      Vou continuar dizendo isso:  quem esta em perigo gravissimo no proximo governo paulista eh O PT.

      Eu quero ver os paulistas pagando o rabo do diabo que amassou o pao com ajuda deles proprios.

      Exijo.  EXIJO!

  3. parentesco paulista

    o paulista nao descende de burro mas de camelo bebe pouca agua e nao toma banho. KKKKKKKK

  4. Água em SP

    Sergio,

    O governo estadual tucano demonstra um elevado grau de insanidade.

    Um cálculo político equivocado pode ter sido a razão que levou o desgovernador a ficar como sempre esteve diante deste problemaço, sentado na beira do vulcão..

    Conforme eu aqui já mencionei, este eventual colapso pode vir a ter uma configuração que a maioria dos milhões da Grande SP desconhece, um negócio de louco.

    Acredito que, graças ao desgovernador que não suporta críticas, os mais interessados passaram a conhecer aquilo que se chama volume morto ( uma espécie de reserva de incêndio de uma caixa dágua), ou seja, se optarem por secar estas reservas, bye bye, será o mesmo que atear fogo às vestes.

    A imprensa paulistana não cumpre com a sua principal atribuição, a de informar o seu público sobre os cenários possíveis que esta situação oferece. Isto já deveria ser matéria diária, em primeira página.  

     

    • Concordo totalmente contigo,

      Concordo totalmente contigo, Alfredo. Estou escrevendo um artigo (era p/ ser o próximo aqui, mas achei que esse duplo anúncio de retirada/pedido de retirada de volume morto mereceu uma breve análise) que conta um pouco a história dos últimos 20 anos do ponto de vista da gestão dos recursos hídricos. Uma questão fundamental é a de que enquanto Covas era governador, vários racionamentos foram declarados. Depois que Alckmin assumiu, houve uma mudança significativa da postura com relação ao tema. Um fato fundamental para tanto, pelo que percebi, é que Covas declarou um racionamento de vários meses em 2000, justamente na época em que Alckmin era candidato a prefeito. Isso parece ter sido essencial p/ a derrota dele (não foi nem p/ o segundo turno). Imagino que, desde então, ele tenha desenvolvido uma relação bastante peculiar com a questão do risco de racionamento. Então também acho que, no limiar, foi uma decisão política absolutamente cônscia, mas amparada em diagnósticos sofríveis sobre a gravidade da situação. Isso, atrelado aos outros fatores que comentei (a arrogância, a visão pobre sobre a noção de transparência) estão levando os paulistas para esse cenário absolutamente trágico. Não consigo me recordar de um case tão sério de submissão do interesse público a uma agenda de sobrevivência eleitoral (eu tenho 28 anos, mas li razoavelmente sobre outros períodos – talvez a política do Encilhamento seja um paralelo nesse sentido, mas em uma época mto distante, praticamente sem meios de comunicação e sem democracia).

  5. Também acho que ha uma

    Também acho que ha uma combinação das 4 verdades + arrogância. E se brincar, o governo paulista ainda arranja um jeito de culpar o governo federal (ja devem estar estudando o caso) e ainda processam algum ministério por não ter “socorrido SP da seca”. 

    • Se o governo fosse do PT,

      Se o governo fosse do PT, pelo menos as pessoas tratariam a crise com a gravidade que merece e os jornais estampariam manchetes todos os dias.

      O governador estaria com popularidade baixíssima, com processos na justiça para derrubá-lo e no legislativo para impeachmá-lo.

      • Ah! Isso é outra estória, com

        Ah! Isso é outra estória, com três alternativas:

        1) alguém está mentindo,

        2) a população do estado quer a continuidade para que ele resolva o problema que criou,

        3) o povo do estado é realmente imbecil.

        Vai saber.

        • Tenho dúvidas

          Às vezes eu penso que a alternativa três é a correta!

          Vamos tirar o Picolé de Chuchu! Oba! Mas vamos colocar o Skaf no lugar!

          A Alternativa três é a correta mesmo!

    • Pois e ! Assim , quando as

      Pois e ! Assim , quando as torneiras secarem , logo após a eleição do Xuxu, ele é que vai ter q se virar com o problema…já chega ficarem arrumando jeito de por a culpa no governo federal, se tiver um governador do PT , no dia seguinte da eleição , antes de tomar posse já vai começar a cobrança nos jornaloes , na Globo, na Band…

      vai ser triste, vai ser dramático , mas acho que nem assim o povo de São Paulo vai aprender.

  6. . Contrariando discursos otimistas – que beiraram a arrogância,

    Sergio :sua abordagem desse  problema  é, no minimo, hilário.

    Voce mistura  a teoria  com a  pratica.

    voce  torce declaradamente por um lado, ou ouatro.

    Esquece  que estamos num periodo eleitoral, onde  a verdade  é tratada como fraqueza.

    voce  esta fazendo parte  da midia que tenta polarizar o problema.( não reclame mais da midia )

    Tudo que voce escreveu  somente será  entendido  após o resultado das eleições.

    Por isso voce tem duas alternativas :

    a) se manter  no nivel tecnico e registrar na sua biografia ter levantado o problema

    b) se calar.

  7. . Contrariando discursos otimistas – que beiraram a arrogância,

    Sergio :sua abordagem desse  problema  é, no minimo, hilário.

    Voce mistura  a teoria  com a  pratica.

    voce  torce declaradamente por um lado, ou ouatro.

    Esquece  que estamos num periodo eleitoral, onde  a verdade  é tratada como fraqueza.

    voce  esta fazendo parte  da midia que tenta polarizar o problema.( não reclame mais da midia )

    Tudo que voce escreveu  somente será  entendido  após o resultado das eleições.

    Por isso voce tem duas alternativas :

    a) se manter  no nivel tecnico e registrar na sua biografia ter levantado o problema

    b) se calar.

  8. os tucanos sempre se saíram

    os tucanos sempre se saíram destas enrascadas pelos motivos óbvoso que todos já estão cansados de saber neste blog – consórcio midiático-ciatucanóide-justiça retrógrada´, estamento da velha república…..

    e a insanidade exposta tida como esperteza de culpabilizar o outro…

    no paraná o tucano beto richa aumentou as tarifas de luz em 34 por cento, o povo reclamou,ele usou a velha jogada que o alquimista obviamente vai repetir em são paulo: fez que que fez um pedido ao órg/ao federal que permitiu – para não interferir na companhia elétrica local – e o governador fez o que?

    propagandeou que o aumento era respomnsabiçidad do governo federal e não dele, quando todos sabem que ele quer o aumento  para beneficiar os acionists da copel…. pq não fez como outras companhias estaduais que não tiveram aumento?

    redobrtou a propaganda ao anunciar bombasticamente que ao invés dos 34 por cento ele iria baixar a tarifa para 24 por cento!!!!

    mais um ^jênio da misitificação peessedebista!!!!

    são esses mistificadores que pretndem governar o país…salve-se quem puder!

  9. Plano B?

    Nosso Chuchu  não serve nem pra dar em cerca.

    A SABESP só sabe dar lucro a acionista

    O Partido da Imprensa Golpista quer mais é que o circo pegue fogo

    Nunca antes na história desse país 10 milhões de pessoas vão ficar sem água.

    Alguém sabe como evitar uma guerra civil pela água até o final do ano?

     

  10. Culpa de São Pedro ou da Dilma? Never Alckmin!

    Ah, esta história de “culpa” na mídia é até engraçada se não fosse triste.

    Relataram-me que Boechat teria colocado culpa na Dilma, pelo não atendimento de um homem que agonizou por um hora, na frente de um hospital particular.

    Agora, a falta d´água aqui em S.Paulo é culpa de São Pedro. Never Alckmin!

    Ah, e, ex-vi a Mídia, pelas notáveis declarações, todas devidamente transmitida ao vivo pelos principais canais de TV, o governador Alckmin é um herói que está tomando  todas as medidas necessárias e, por  enquanto, salvando  São.Paulo  de uma crise  histórica de  falta d´agua para a população. Por este feito, será reeleito no primeiro turno!

    Eta Sao.Pedro endiabrado!

     

  11. INCRÍVEL!
    E esse senhor tem a

    INCRÍVEL!

    E esse senhor tem a possibilidade de se eleger no 1º turno…

    E as ações da SABESP? Valem quanto hoje?

    Tá na hora de vender e o contribuinte pagar a conta.. e ficar tudo por isso mesmo!

    E ninguém vê isso?

    O poder da mídia é muito grande!

    AH! Enquanto isso o PSDB entra na justiça contra Dilma por uso da máquina pública por denunciar a construção de um aeroporto numa cidade do interior com 25 mil habitantes… e por mera coincidencia o aeroporto fica na fazendo do tio do Sr. Aécio Neves.

     

  12. A culpa é de São Pedro!

    Como sempre, a imprensa colocará a culpa em São Pedro, como fez no caso das enchentes em São Paulo há alguns anos. Infelizmente, com uma imprensa como esta não há como haver debate de idéias e não há informações confiáveis. O que vai acabar acontecendo, Deus nos livre, é uma tragédia sem tamanho, com uma intervenção federal inevitável.

    Se ele acha que o rio Paraíba do Sul vai dar conta de abastecer Rio, Minas e agora São Paulo em tempo de estiagem histórica, ele está redondamente enganado. Pelo que ouvi dizer, o regime de cheias desse rio é equivalente ao dos sistemas Tietê e Cantareira. Durma-se com um barulho desses!

    Isso apenas adiaria a hecatombe, que ainda respigaria na região metropolitana do Rio de Janeiro. Quantas pessoas seriam atingidas? Isso tudo por falta completa de planejamento e transparência de um governo inconsequente e de uma imprensa completamente partidarizada e irresponsável.

    Um absurdo completo promovido pela pior elite financeira do mundo!

  13.  
    Uma emissora de tv paulista

     

    Uma emissora de tv paulista ligada ao PSDB  passou uma reportagem com empresária dde Itu reclamando da falta de água.A mesma ligou para  o órgão responsável e lhe informaram que  o carro pipa estava sendo usada em outro local e que  ela devia esperar a chegada do mesmo para  ser atendida .

     

    É carro pipa, virou nordeste . .

  14. Discurso

    Garanto que o discurso do chuchu Alckmin muda no dia posterior à sua reeleição, que infelizmente acho que vai acontecer, pelo fato do povo paulista sofrer de masoquismo.

    Já estou vendo, após reeleito, ele na imprensa falando que a situação está “se agravando” e que o seu governo fará “de tudo” para evitar o colapso….É um covarde irresponsável.

  15. Excelente.Um resumo da

    Excelente.

    Um resumo da gravidade do problema da água em São Paulo.

    A mídia escondeu e o governo de São Paulo corre o risco de destruir o sistema por não ter tido a coragem de fazer um racionamento programado.

      • “Povo”, esse eterno culpado.

         

        Sinceramente, por que ninguém questiona os números do datafolha?

        Porque estão mais preocupados em questionar o “apego que o  paulista sente por políticos medíocres”, como já foi dito aqui. Como se nos outros Estados e capitais só existissem petistas no poder. Uma breve consulta no google esclareceria essa tolice bairrista.

        As pesquisas dos datafolhas da vida em relação à eleição presidencial quase todos aqui questionam. Os números favoráveis ao auquimim quase todos aqui acatam bovinamente. Ninguém supõe a possibilidade de manipulação. 

        Um fato é solenemente ignorado: apesar da extrema gravidade dessa falta de água (“crise hídrica” o escambau!) não sai nos jornais. Não sai na mídia. Uma crise de proporções catastróficas está sendo descaradamente, covardemente, irresponsavelmente e acima de tudo criminosamente encoberta pela imprensa paulista e brasileira.

        Auquimim- e o papel político que ele representa para a direita reacionária e elitista – está sendo blindado, protegido num verdadeiro bunker da desinformação. O povo paulista em nada difere do restantante do povo brasileiro. E vice versa. E mais não digo, mesmo porque nada mais há pra dizer.

         

  16. “Particularmente, creio que

    “Particularmente, creio que seja uma combinação explosiva das quatro hipóteses”:

    Eh, e o nome completo dela eh esse:  “complexo de inferioridade”.  Tucano em geral tem razao de sobra pra ser complexado.

  17. E adianta contestar? Já é

    E adianta contestar? Já é histórico: depois que o paulista gruda em um político, não adianta chamá-lo à razão. Isso, pelo que lembro, acontece desde Ademar de Barros, passando por janio, maluf, FHC, serra, etc. Só quero ver qual vai ser a reação do paulistano depois que souber que terá que evacuar a cidade devido à falta d’água. Deverá ser a mesma dos nordestinos em relação a Antonio Conselheiro. Morrerão mas felizes porque estarão junto do guia iluminado. Só que neste caso não vai faltar água para o guia.

  18. Se infelizmente, mais de 50%

    Se infelizmente, mais de 50% de bucéfalos querem a reeleição de Alckimin , só há uma saída, que centenas de paulistas/pauilistanos lúcidos entrem com uma uma monstruosa ação judicial acusando-o por esta tragégia,e assim, impedindo-o de assumir qualquer cargogo público .

    Espero que esta a coleta de assinaturas para a abertura da ação judicial comece imediatamente, de preferência amanhã de manhã .

    Vambora galera, amanhã de manhã, todos com baldes de plásticos ou de alumínio (pra fazer barulho) na Praça da Sé e na Av Paulista colhendo assinaturas .

    Se fosse aqui no RJ  a galera já tinha descido as comunidades com baldes, bacias e latões .

     

     

  19. Peraí, vão ressucitar outro

    Peraí, vão ressucitar outro morto? Mais um Lázaro paulista voltando a vida, só Jesus na causa, esse Alckimin é um milagreiro mesmo, e assim segue a vida em sampa, de morto em morto.

  20. Alto Tietê,

    Alto Tietê, seco.

    Biritiba-Mirim, seco.

    Sistema Cantareira, seco. Não conheço o sistema de fornecimento de água em SP, mais pelo visto esta tudo seco.

    Quando é o proximo dilúvio?

  21. Que é isso gente?


    Vamos ser mais tolerantes com o Alckmin!

    Ele não pode ser tão imprevidente assim!

    É quase certo que a OPUS-DEI já gestionou, e o Papa em pessoa ordenou a São Pedro que cuide do problema!

    Como São Pedro deve ser amigão de São Paulo, problema resolvido!

     

  22. se realmente existe risco de

    se realmente existe risco de que 10 milhões de pessoas possam ficar sem agua, e o governo estadual está omisso, não seria obrigação do governo federal exigir medidas para defender essas pessoas sob o risco de ser acusado de conivente com a omissão estadual?

     

    • Se o governo federal se meter

      Se o governo federal se meter nesse assunto sem ser chamado, será acusado de intervenção , e o STF ainda vai dar razão pro governador… Há alguns anos o Ministério da Saúde assumiu a situação gravíssima da epidemia de dengue no Rio de Janeiro , levou médicos de outros estados, acho que envolveu forças militares, enfim, foi lá botar ordem na coai q. Estava caótica .. Pois o prefeito, que se não me engano era o César Maia , acionou a  União e teve ganho de causa…complicado !

       

    • Pronto!

      Sabia que o Bla-Bla-Blaya ainda iria por a culpa disso na Dilma. Alckmin/Serra que fizeram a besteira mas a culpa é da Dilma, entendeu, pessoal? 

  23. O maior erro de gestão do

    O maior erro do Governo Alckmin nesse tema foi transferir a gestão dos recursos hídricos da área de Meio Ambiente para a Área de Abastecimento.

    Não sei o motivo da mudança. Talvez o governo tivesse a intenção de melhorar as metas de desempenho da Sabesp, com a consequente valorização de suas ações nas bolsas de valores. Com financistas tudo é possível, desde que o acionista seja atendido em 1º lugar.

    Com isso, o governo paulista passou a gerir a questão hídrica “das represas para frente”, ignorando tudo o que acontecia “das represas para trás”. 

    A mudança climática pegou a Sabesp no contra-pé. Na área ambiental, não existe improviso ou solução de curto prazo. É que nem Brasil contra Alemanha: não trabalhou direito antes, leva um vareio de amortecer a alma.

    A incompetência gerencial tucana com a questão ambiental já está impactando a economia da região mais industrializada do país. E pelo jeito impactará ainda muito mais.

    • A gestão dos recursos

      A gestão dos recursos hídricos no estado de S.P SEMPRE foi do DAEE – Departamento Estadual de Aguas e Energia Elétrica, que SEMPRE foi vinculado a Secretaria Estadual de Recursos Hídricos (que por algum tempo também cuidou de energia).

      A área de “Abastecimento” – que sequer imagino o que seja, Sabesp, talvez ? – NUNCA esteve sob competência da Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

      Aliás, isso nao ocorre em NENHUM estado da federação, que eu saiba. Sâo competências diferentes.

      O comentador precisa se informar melhor antes de dizer asneiras.

  24. Toda vez que essa história

    Toda vez que essa história surge, me vem a cabeça a cara o bush junior ao saber do atentado ao World Trade Center. É a mesma cara que o xuxu fará!

  25. o silêncio da imprensa sempre gerou inatividade…

    como este silêncio já foi usado muitas vezes pelos tucanos como veículo dos votos, que tal trocar de veículo?

    usem a água como veículo dos votos, porque se faltar, os votos acompanham

     

    nunca foi tão fácil se livrar da inatividade tucana

  26. O Governador, a midia e a populacao de SP.

    .Embuste e o engodo do Governador e sem solução. Somente se chover.  Risco e consequências nenhuma e ousando com a população. Existe perigo nas vidas humanas e bens material em SP.

    . O que a população esta fazendo e como estão procurando soluções para o problema e como esta precavida e suprida se não tiver agua. Se não tiver agua por dias, o que acontece. Ninguém esta sem agua ainda pq não existe reclamações gritantes.

    Na administração do governador esta tudo sobre controle, não esta faltando agua e a população muito tranquila e sem problema d’água.

    . As noticias e informações das impressa escrita e falada não reportam elementos negativos, ruins e nem menciona ações preventiva para a população. Blindagem do governo paulista e inconsideração da população. Acho uma irresponsabilidade como também criar o caos com a falta de agua. Ha algo além das estrelas.

    . No Google:  CLIMA

    “Seca se espalha em cidades do interior de Minas Gerais e São Paulo

    Funcionários estão sendo demitidos pelas empresas e pescadores têm que recorrer ao dinheiro guardado em poupança para a sobrevivência …”

    – O paulista aguenta calado ate quanto e quando? Como? Agora avança para MG também.

    Será que tem alguma coisa com a eleição?

     

    • para presidente?…………………bem capaz

      e Aécio já está mostrando como pode ser feito……………………………..tucanada paraguaia

      com as bênçãos literárias do STF

  27. é um caso que precisa ser estudado com a máxima urgência…

    a garantia de votos pelo silêncio da imprensa………………….se ganhar não muda nada

    gerando ainda muita grana para acionistas e prejudicando milhões de pessoas

  28. 1) incapacidade extrema de

    1) incapacidade extrema de lidar com críticas, resultando nesses discursos agressivos e completamente descompassados;

    …resultado de anos de mimos e varrição das sujeiras pra debaixo do tapete promovidas pelo PIG

     

    2) falta de capacidade de diagnóstico;

    …resultado do DNA tucano

     

    3) concepção de que não é direito do cidadão entender o que ocorre;

    …resultado de anos de mimos e varrição das sujeiras pra debaixo do tapete promovidas pelo PIG

     

    4) a noção de que a crise é ainda muito mais grave do que pensávamos.

    …resultado do DNA tucano

  29. o que me deixa perplexa nessa

    o que me deixa perplexa nessa história é que a cidade de são paulo tem muitas fontes de água soterradas pelo o crescimento desordenado. se os rios esivessem limpos  com a sua area de varzea, a mata ciliar protegida e um crescimento plaanejado talvez  a cidade e seus habitantes ganhariam muito.

  30. O paulista não está na lama,

    O paulista não está na lama, ele está bebendo lama! Mas vota no Alckimin, no $erra, no Aloisyo 300 mil, no FHC,  no José Aníbal….. Esperar o que dessa turma e desse povo!

  31. O que vai acontecer depois da

    O que vai acontecer depois da eleição é simples e previsível: Se alckmin for reeleito, a mídia demotucana fará o possível para colocar a culpa pelo Caos Hídrico em São Pedro; se outro ganhar a eleição, a mídia golpista tratará de jogar sobre suas costas a culpa pela desgraça.

  32. falta de [agua

    Nassif – o ditador paulista que ha vinte anos esta no poder no Estado vai buscar agua aonde, pois deste modo faltara agua nas escolas, nos hospitais, nos pronto-socorros, etc. Tudo vai paralizar? As industrias ja estáo demitindo. Este cenario náo me parece sureal, Se isto acontecer, o que náo parece descartado, iremos embora para onde? Certamente para as prias poluidas da baixada Santista? Ou melhor, vamos destruir as prias do norte de Sáo Paulo? Parece que a tragedia vai se concretizar. Alkimim. Alkimim, Alkimim corramos ao palacio pois la, certamente tseremos agua.

     

  33. É exatamente como diagnostica

    É exatamente como diagnostica o Lula: o homem comum não é considerado como parte interessada para saber o que se passa em cima da mesa.

    Essa é a mentalidade autoritária típica da elite brasileira: o zé povo serve a mesa, cava buraco, levanta parede, mas não discute nem precisa ser informado sobre os assuntos das altas esferas.

    E assim conforme e apianada, La Nave (paulista) Vá.

  34. Está péssimo e pode ficar

    Está péssimo e pode ficar catastrófico.

    Imaginemos que Alckin, em algum momento, acabe por ter que implementar um racionamento.

    Pois bem. Sou funcinário da SABESP, tenho contato com todo pessoal que opera manutenção da rede na cidade. Do meu local de trabalho saem diariamente dezenas de carros para esse serviço, consertar pontos da rede.

    Todo esse pessoal de manutenção sabe, mas não pode abrir o bico: se vier um racionamento, a velha rede, cheia de tubulações muito antigas, válvulas mal dimensionadas, gambiarras em geral, NÃO DARÁ CONTA DE SUPORTAR A VOLTA DA ÁGUA QUANDO ISSO OCORRER, E MUITOS PONTOS DE ESTOURO DE REDE ACONTECERÃO.

    Ou seja, nem mesmo um racionamento eficaz a SABESP é capaz de bancar.

    Fora isso, quando uma tubulação com vazamento se esvazia, a pressão se inverte e água contaminada dos solos podem invadir a rede.

    Ou seja: ficaremos sedentos e mal pagos.

  35. Não me conformo ver professores apoiando o Alckmin

    Não chove nem na horta do professor. O estado de São Paulo é um dos membros federados que menos paga o professor e eles, professores, pelo que vejo, na sua grande e imensa maioria, estão apoiando Alckmin.

    Mesmo durante essa seca de boa remuneração que já durá décadas, promovida pelo PSDB.

    Não me conformo!

  36. Achei interessante o fato de

    Achei interessante o fato de não ter um comentario de tucano tentando justificar a incompetencia do Governador, acho que estão calados para ver se passa logo!!!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome