Para financiar Renda Cidadã, governo quer acabar com desconto em declaração simplificada do IR

O objetivo do governo é utilizar estes recursos, de 20% do imposto de renda que antes era descontado, para financiar o novo programa que substituirá o Bolsa Família

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – Com a impossibilidade de implementar o programa social Renda Cidadã sem romper com o Teto dos Gastos de 2021, o governo Bolsonaro estuda acabar com o desconto de 20% na declaração de renda simplificada para pessoa física, o que pode afetar 17 milhões de pessoas.

De acordo com reportagem da Folha de S.Paulo, em substituição, a proposta para o imposto de renda seria manter somente o direito às deduções médicas e de educação.

O objetivo do governo é utilizar estes recursos, de 20% do imposto de renda que antes era descontado, para financiar o novo programa que substituirá o Bolsa Família, o Renda Cidadã. E ainda assim seria preciso abrir outros espaços no Teto de Gastos do Orçamento do ano que vem.

Inicialmente, até as despesas médicas e de educação estavam sendo cogitadas acabar pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Com a repercussão, entretanto, o Ministério da Economia diz que não quer prejudicar a classe média. Mas o desconto de 20% na declaração simplificada favorecia justamente este setor.

No ano passado, por exemplo, 17,4 milhões de pessoas optaram pelo modelo simplificado, enquanto que 12,9 milhões usaram o modelo completo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora