Para financiar Renda Cidadã, governo quer acabar com desconto em declaração simplificada do IR

O objetivo do governo é utilizar estes recursos, de 20% do imposto de renda que antes era descontado, para financiar o novo programa que substituirá o Bolsa Família

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – Com a impossibilidade de implementar o programa social Renda Cidadã sem romper com o Teto dos Gastos de 2021, o governo Bolsonaro estuda acabar com o desconto de 20% na declaração de renda simplificada para pessoa física, o que pode afetar 17 milhões de pessoas.

De acordo com reportagem da Folha de S.Paulo, em substituição, a proposta para o imposto de renda seria manter somente o direito às deduções médicas e de educação.

O objetivo do governo é utilizar estes recursos, de 20% do imposto de renda que antes era descontado, para financiar o novo programa que substituirá o Bolsa Família, o Renda Cidadã. E ainda assim seria preciso abrir outros espaços no Teto de Gastos do Orçamento do ano que vem.

Inicialmente, até as despesas médicas e de educação estavam sendo cogitadas acabar pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Com a repercussão, entretanto, o Ministério da Economia diz que não quer prejudicar a classe média. Mas o desconto de 20% na declaração simplificada favorecia justamente este setor.

No ano passado, por exemplo, 17,4 milhões de pessoas optaram pelo modelo simplificado, enquanto que 12,9 milhões usaram o modelo completo.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Rede Regional de Notícias: uma agência à disposição do Governo Bolsonaro?, por Tânia Giusti

5 comentários

  1. Mais um ataque às classes médias e as mais humildes de maneira geral.
    Enquanto isso não se ouve um pio na grande mídia sobre a cobrança de IR na distribuição de lucros e dividendos, nem a criação de alíquota maior de IR para quem ganha acima de R$ 1 milhão por ano, por exemplo.
    Em nível estadual o governo Dória fala em extinguir isenções de alimentos, mas nada fala de instituir IPVA sobre jantinhos e jet-ski.
    Os grandes grupos econômicos continuam faturando e sonegando como nunca. Voce sabia, Nassif, que supermercado não recolhe IPI na venda de importados? Nem é necessária nenhuma engenharia fiscal, basta não pagar. Ninguém cobra.
    Brasil-il-il!

  2. O fim pode até ser nobre (Renda Cidadã), mas o bacana é ver quem foi eleito defendendo liberalismo e meritocracia e prometendo reduzir os impostos, criar um programa de transferência de renda e financiá-lo aumentando impostos.
    Mas, enfim, esse governo acho que não é mesmo pra entender…

  3. Bem feito! A maioria da classe média votou nesses crápulas. Agora, que os aguentem! Sugestão para a Receita Federal: fiscalizar melhor os profissionais liberais tipo médicos, dentistas, advogados, engenheiros, arquitetos, corretores de imóveis e outros picaretas da praça que, quando fornecem os serviços se recusam emitir nota fiscal ou recibo ao consumidor. Essa gente apoiou maciçamente esse governo. Paguem a conta!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome