Prêmio a Alckmin por gestão hídrica é “afronta” ao paulistano, diz Idec

Por Sarah Fernanda

Da Rede Brasil Atual

O anúncio ontem (22), pela Câmara dos Deputados, de prêmio ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, por boa gestão hídrica no estado, que enfrenta sua maior crise de abastecimento de água da história, foi considerado uma “afronta ao povo paulistano”, pelo Instituto de Brasileiro de Defesa do Consumidor, que monitora os problemas de abastecimento no estado. A premiação ocorrerá em 13 de outubro.

“É um prêmio à leniência e à omissão total”, afirmou o gerente técnico da instituição, Carlos Thadeu de Oliveira. “É uma afronta ao povo paulistano. O deputado que concedeu o prêmio (João Paulo Papa, do PSDB-SP) não sabe do que está falando.” A indicação de Alckmin ao Prêmio Lúcio Costa de Mobilidade, Saneamento e Habitação 2015 ocorreu pelo fato de ele governar o estado brasileiro que mais se aproxima da universalização do saneamento básico.

O governador disse hoje que o prêmio, “modéstia à parte, é merecido”, durante uma reunião dos Conselhos Comunitários de Segurança da Grande São Paulo (Consegs). “São Paulo é hoje um modelo para o Brasil do ponto de vista de recursos hídricos. Por quê? Primeiro, não teve seca só em São Paulo. Teve em 1.500 municípios. O único ente federativo que deu bônus para evitar desperdício foi São Paulo. Nenhum estado, nenhuma prefeitura, nem o governo federal, ninguém fez nada. Nós demos o bônus”, disse.

“Sabemos que essa crise não é inesperada e o enfrentamento em São Paulo tem sido, tecnicamente, o pior possível, sem sequer planejamento e transparência”, critica Oliveira. “Nenhuma das medidas que ele tomou tem nada de revolucionário nem de boa gestão. Ele demorou para implantá-las e ainda tem a pachorra de dizer que fez interligação de sistemas. Nós sabemos que as obras estão todas atrasadas e que são bem duvidosas do ponto de vista técnico. Além disso, não existe investimento. Na cidade de São Paulo, só 27% do esgoto é tratado. É uma vergonha.”

O Sistema Cantareira, principal fornecedor de água para a Grande São Paulo, operava ontem com apenas 16,3% de sua capacidade, segundo dados da Sabesp. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) informou que o problema da falta de água é resultado da falta de planejamento do governo paulista. O órgão relatou que a Secretaria Estadual de Recursos Hídricos (SSRH) recebeu vários alertas sobre a necessidade de um plano de contingência.

Já a coordenadora institucional da Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, Maria Inês Dolci, acredita que o prêmio pode “incentivar o governador a realmente trazer para o estado uma solução para crise hídrica, que é a maior da nossa história”. “Temos a questão também do problema de falta de água, que não é só em São Paulo, mas ele foi premiado por ações inovadoras, que podem fazer a diferença nesse momento.”

Alckmin foi escolhido para o prêmio na categoria Personalidades, ao lado de Jaime Lerner (ex-prefeito de Curitiba e ex-governador do Paraná), indicado pelo deputado Toninho Wandscheer (PT-PR) pelo modelo de mobilidade urbana, de preservação de áreas verdes e de reciclagem implantado na capital paranaense; e de Eduardo Paes (PMDB-RJ), prefeito do Rio de Janeiro indicado pelo deputado Hildo Rocha (PMDB-MA), por conta da revitalização da Região Portuária da cidade.

O Prêmio Lúcio Costa de Mobilidade, Saneamento e Habitação foi criado pela CDU no último mês de julho e ocorrerá anualmente. De acordo com as regras, cada deputado integrante da comissão, entre titulares e suplentes, pode indicar até três nomes de entidade ou pessoa jurídica, e até três nomes de personalidades, todos ligados a uma das áreas: mobilidade, saneamento e habitação. A seleção dos premiados é feita por votação entre os parlamentares do colegiado.

A cerimônia de premiação da 1ª edição ocorrerá na abertura do 3º Seminário Internacional de Mobilidade e Transportes, no dia 13 de outubro, às 20h, no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados. Os premiados receberão um diploma de menção honrosa, uma medalha e a estatueta Lucio Costa, criada e produzida pelo artista, escultor e músico Edgar Duvivier.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

16 comentários

  1. Quando não chamam paulistano e paulista

    é o inverso, o desserviço do Picolé de Chuchu afeta a grande são paulo tb, cidades como Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba e Osasco tb sofrem cortes

  2. ProTeste. Mas nem a pau.

    A ProTeste dia sim, outro também, inunda a minha caixa postal oferecendo espelhinhos e miçangas eletrônicas para que eu me torne “membro do instituto”. E aí vem a presidente do mesmo e me fala uma bobagem estratosférica dessas, sobre as “ações inovadoras que podem fazer a diferença nesse momento”. Quá, quá, quá, quá, quá, quá!

    Para mim, isso deixa muito claro qual chapeu ela e sua organização vestem, e claro fica que não é o do consumidor – tá mais para chapéu azul e amarelho com forma de tucano…

    Quanto a criticar Alckmin e a crise hídrica que ele provocou, isso é chover no molhado. (Opa!)

  3. Uma excelente oportunidade desperdiçada

    Uma excelente oportunidade desperdiçada pelos paulistanos para baterem suas prosaicas latas e/ou panelas, posto estarem vazias, sem um pingo da d’água.

    É sobre isto que falamos o tempo todo: – os tucasnos, digo, tucanos, te esfolam, te sacaneiam e tripudiam como querem e a mídia dá sempre um jeito de tornar uma catastrófe em notícia boa. Pior ainda o sujeito ainda ganha prêmio.

  4. Barro em água.

    A gestão hídrica do Alckmin é ótima. Consegue transformar barro em água. E a receita da SABESP não é afetada, pois cobra por ar no encanamento. Excelente.

    Agora, se der problema na gestão hídrica de Sumpaulo, já sabemos de quem cobrar. Recebeu o bônus, segura o ônus. Vai atrás do Alckmin IDEC.

    E assim caminham os tucanos. Patifaria pura.

  5. Esse é o poder da Mídia! E

    Esse é o poder da Mídia! E viva Miami! E viva o Playstation! E viva o Japão! E viva a América soberana e seus empresários justos e solidários que estão nos salvando das ameaças terroristas do mundo! Cobrando em troca os recursos e a riqueza do povo destes países… é claro! Nimguém é de ferro! Nem mesmo o homem de ferro! hehe

    Mas em verdade, todos sabem ou deveriam saber, que estes empresários não querem nada além de dinheiro, financiam grupos terroristas com a suas armas! Minorias sanguinárias para destruirem o país! Pois de arma a um povo pacífica e guardará em caixas, dê a loucos e sitiarão todos! Só deram armas a seus amigos destruidores e causaram todo o caos! 

  6. Ano que vem o prêmio será

    Ano que vem o prêmio será renovado, pois Geraldo “beduíno” Alckmin está trazendo para São Paulo todos os jegues aguadeiros que se tornaram anacrônicos no nordeste. 

    • Um tipo de IgNobel sim…

      É xará, assim como tem i IgNobel como uma sátira às pesquisas que são oposto das que merecem um prêmio Nobel eu acho que o Alkmin em vez do prêmio Lucio Costa deveria receber o prêmio Lucio Bosta, pois é isso que ele está entregando no lugar da água…

  7. Meritocracia !

    Premio meritocratico é assim mesmo ! ou podemos usar a lógica do Delfim, ao analisar a situaçao das contas publicas depois da gestao tucana ,´´ conseguiram aumentar a dívida vendendo passivos,´para pagarem essa divida coisa de especialista , ereceriam um premio´´.

  8. Afronta ao paulistano…

    … foi Alckmin ganhar no primeiro turno.

    Ou seja, tudo isso NÓS paulistanos merecemos.

    São Paulo é o ápice do povo que a imprensa mercenária, demagógica, cínica e corrupta formou.

    Se Pulitzer precisava de um experimento para testar essa hipótese, ele chegou.  Chama-se ˜São Paulo˜!

    Logo, logo, chamará Brasil.

  9. Fazem qualquer coisa pra
    Fazem qualquer coisa pra aparecer. Ficam se elogiando uns aos outros: “Tucanildo você é demais!!!!! Bondade sua Tucanaldo, você é que é o maximo!!!!
    Blearghhhhhh! Que nojo!

  10. Gestão hídrica.
    . AGRACIADOS.Iniciou-se a grande cerimôniaDe entrega dos prêmios NobelA plateia fumava maconhaE sorria pra dedéuA Xuxa apareceu no palcoUsando terno e salto altoE acenou pro Edir MacedoQue gritou: ‘Começa logo issoPorque tenho compromissoCom a sessão de descarrego’..Xuxa começou a leituraDos nomes dos premiadosO Nobel de literaturaPara Tiririca foi dadoE Fernandinho Beira-MarQue tinha acabado de queimarUm rival com aguarrásChorou emocionadoAo ser agraciadoCom o Nobel da paz..Um gringo presunçosoRepresentando os americanosFicou todo orgulhosoAo ver levantarem os panosE aparecerem duas medalhasPelo sucesso nas batalhasEm que inocentes são vítimasDas armas de destruição em massaEntão por suas letais fumaçasGanhou os de química e física..Francisco da Costa RochaO vulgo Chico PicadinhoQue adorava cortar em postasAs mulheres do seu caminhoTambém foi homenageadoPelos serviços prestadosÀ sociedade que o abominaEle recebeu medalha, diplomaUma considerável somaE o Nobel de medicina..Alckmin que propositadamenteSecou a água do CantareiraSó pra mostrar pra genteQue sem usar empreiteiraPoderia ladrilhar o pisoCom aqueles cacos lindosCriando o sertão paulistaFoi considerado um gênioE por isso recebeu o prêmioNobel da gestão hídrica..Eduardo de Paula Barreto  .   .

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome