Teto de gastos vai prejudicar saúde pública, diz Ipea

Jornal GGN – Através de nota técnica, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplica (Ipea) afirma que o regime fiscal da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que limita o aumento dos gastos públicos à inflação do ano anterior, pelos próximos 20 anos, terá efeitos negativos sobre a saúde pública no Brasil.

A nota diz que o Novo Regime Fiscal tenta reverter uma trajetória de crescimento real do gasto público, “o que implica uma ruptura dos acordos políticos e sociais relacionados com essa dinâmica”. O estudo traz projeções sobre os possíveis cenários do orçamento para a saúde com a adoção do teto de gastos, e a conclusão é que a PEC terá impacto negativo sobre of inanciamento do direito à saúde no país.

“Congelar o gasto em valores de 2016, por vinte anos, parte do pressuposto equivocado de que os recursos públicos para a saúde já estão em níveis adequados”, diz nota, que também ressalta que a população brasileira vai crescer e ficar mais velha, aumentando a demanda e os custos do Sistema Público de Saúde.

Os economistas responsáveis pelo estudo também dizem que a redução do gasto com saúde e com políticas sociais vai afetar os grupos mais vulneráveis da sociedade, “contribuindo para o aumento das desigualdades sociais”.

A íntegra da nota técnica do Ipea pode ser lida aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O dia em que Bolsonaro viu que seu cobertor é curto

8 comentários

  1. revista…

    estou tentando assinar com renovação automática, mas estou perdidão…

    se coloco cartão, e só tenho 1, diz que não pode estar registrado no paypad ou paypag, sei lá, enfim que já tenho conta lá

    se tento logar lá, me perguntam se quero me identificar pelas perguntas secretas ou pelo meu cartão

    escolho por meu cartão, coloco o número, e pedem as respostas secretas que nem me lembro mais

    detono tudo, tento de novo mudando e-mail para contornar pagamento direto no paypad, e nada, também não dá

    eu não me dou muito bem com essas coisas online não

    a bem da verdade, detesto

    não dá pra pagar o ano todo com boleto não?

  2. limitando-me ao que li…

    até desconfio no que vai dá…não temos médicos, não temos remédios e, com Temer, passamos a não ter mais teto

    mas quem reclamou da Dilma ou não a levou a sério, indo na onda da Globo, merece mesmo

    que se fodam com Temer, Globo e Moro

  3. Os Bandidos Voltarm?

    Nassif: lembra quando o hoje senador e então ministro Jose Serra, no governo FHC, quebrou algumas patentes de remédios e, em seguida, criou um laboratório para produzir os mesmos (e alguns outros) medicamentos? Tenho que o plano segue aqueles mesmos propósitos. Considerando até que o grupelho é o mesmo e as intenções, em nada diferente.

  4. É realmente complicado. O

    É realmente complicado. O caminho escolhido é muito complicado e ainda tem uma intermediação do pay nao sei das quantas. Poderia ser simples como quando se paga a compra da passagem de avião. Fiz a minha assinatura a duras penas e depois de um longo tempo tentando em tentativas frustadas. Agora não consigo acessar matéria para assinantes porque exige o nome – será o nome ou o mail – e ainda pede uma senha. Que senha? Estou no mato sem cachorro!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome