Contratação de militares da reserva no INSS está garantida por Mourão, que assina decreto

O decreto não fala especificamente do INSS, mas é a base legal para que militares inativos possam ser contratados por todo e qualquer órgão da administração pública federal.

Divulgação

Jornal GGN – Se os desempregados não são contemplados por Decretos do governo, os militares da reserva não podem reclamar. O general Hamilton Mourão, presidente em exercício, assinou nesta quinta, dia 23, o decreto que faculta a contratação de militares da reserva para trabalhar no INSS e garante um adicional de 30% sobre os vencimentos.

O decreto não fala especificamente do INSS, mas é a base legal para que militares inativos possam ser contratados por todo e qualquer órgão da administração pública federal. A regulamentação vai fazer com que o governo possa colocar seu plano em prática.

Assim, militares da reserva serão contratados para tentar reduzir a fila de pedidos de benefícios do INSS. Está prevista a contratação de 7 mil militares para o INSS, para ‘reforçar a equipe do órgão’, que perdeu 6 mil servidores no ano passado por aposentadorias.

Segundo o decreto, o governo precisa, primeiro, de anuência das pastas da Defesa e da Economia, autorizando as contratações. Depois disso, o INSS terá que fazer pedido formal de pessoal. O INSS deverá, ainda, publicar edital público determinando as regras para a contratação específica que deverá conter os requisitos para a função. Se o INSS quiser só patentes mais altas no serviço, poderá requerer, e deverá fazer entrevistas e análise de currículo.

Os militares da reserva estão garantidos por oito anos consecutivos ou não, e depois o órgão solicitante terá que ter dado solução para o problema, com concursos públicos, por exemplo.

 

8 comentários

  1. Militar não tem traquejo nem conhecimento nem competência para este tipo de trabalho. Eles são treinados para matar, torturar, pilhar, estuprar (os soldados japonesa estouraram até crianças chinesas de 9 anos em Nanquim, China). São treinados também serem buchas de canhão nas guerras capitalistas.
    Infelizmente, eles não vão resolver os problemas do INSS. Talvez até os problemas até aumentem

  2. Alem de ja garantir boa aposentadoria, militares levaram vantagem nesta farsa de reforma.
    Outra bizarrice: Ao fixar 8 anos, consecutvos ou não para “resolver” o problema, cria uma zona de conforto para a manutenção da ineficiência na reconstrução do INSS.
    Por fim, porque não ofertar também para o aposentado civil de empresas privadas? Ficaria mais barato o retorno seria mais rápido na maioria dos casos, sem contar que o direito ao trabalho tem q ser igual para todos os brasileiros.

  3. Milicos e pastores de A a Z na máquina burocrática. E era o PT que aparelhava o estado. Chupa, zé povinho brasileiro!

  4. A PRINCIPAL FUNÇÃO DESTA GENTE SERÁ A DE DEDO DURO.
    ESTARÃO LÁ SOMENTE PARA VIGIAR OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS “COMUNISTAS”.
    DITADURA É ISTO AÍ.

  5. Nassif: aos poucos o ViceÍndio transforma Pindorama em uma caserna a céu aberto. Agora, uma boquinha pros milicos de pijama, evidentemente “los hermanos” no INSS. Se a CGU disser contrário, manda prender ministros e funcionários e põe mais milicos. Aí o Çupremu diz não (hipótese remota), novamente ministros e funcionários em cana e mais milicos. E se os corruptos do Congresso se rebelarem (hipótise impossível, pois deixam de mamar nas tetinhas públicas) manda implodir a obra de Niemayer (Kummunista) e contrata construtora estrangeira para fazer novo monumento, tipo ForteApache. Do jeito que segue, dizem os do Povo, tem gente que vai ter saudade dos campos de concentração…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome