Dilma escreve carta a investidores estrangeiros projetando melhoras em 2015

Jornal GGN – A presidente Dilma Rousseff (PT) enviou uma carta a investidores estrangeiros nesta terça-feira (2), na qual promete controle da inflação e fortalecimento das contas públicas em 2015. O ofício foi lido pelo presidente do BNDES, Luciano Coutinho, por ocasião da Brazil Opportunities Conference. 

Dilma afirma que “o crescimento da economia tem estado abaixo do que todos nós esperávamos no início do ano – tanto no governo quanto no mercado – e isso tem se traduzido num desempenho fiscal menor do que o previsto.”

Clique na carta abaixo para ter acesso à íntegra. 

“A nova equipe econômica trabalhará em medidas de elevação gradual, mas estrutural, do resultado primário da União, de modo a estabilizar e depois reduzir a bruta do setor público em relação ao PIB”, escreveu.

A presidente também afirmou perseguir o aumento da participação de fontes privadas no financimento de longo prazo, em especial, na infraestrutura.

“Olhando para 2015 e além, contamos com a participação do mercado na construção de um novo ciclo de desenvolvimento da economia brasileira, em que pretendemos continuar nossa política de inclusão social e geração de igualdade de oportunidades para todos os brasileiros e brasileiras. Para isso, a profundidade, a diversidade e a qualidade regulatória do nosso mercado financeiro terão um papel cada vez mais relevante.”

4 comentários

  1. acho que a ideia foi

    acho que a ideia foi convencer a iniciativa privada de que

    haverá com nelson barbosa no planejamneto a efetivação

    do programa de infra-estrutura com as ppps.

  2. com Lula em 2002

    foi Carta aos Brasileiros, com Dilma em 2014 Carta aos Banqueiros Estrangeiros, em breve teremos: Carta de Pero Vaz, no mucho, de Caminha II..de carta em carta vamoss escrevendo a nossa História no bico da pena..

  3. A tendência do Brasil, em

    A tendência do Brasil, em 2015 e em diante, é voltar a ser o quarto maior destino de investimentos do mundo, como em 2012, após retomadas de maiores investimentos em todo o mundo, e que já está acontecendo, lenta e gradualmente 

    Percebe-se claramente a crise mundial funcionando em W desde 2008, devido à diminuição do mercado consumidor nos países centrais em decorrência ao arrocho imposto pelo sistema financeiro, e com o desemprego em alta e a renda per capaita em baixa nos países mais desenvolvidos.

    Esta crise em W foi prevista por Paul Krugman em 2009, famoso e grande economista americano e ganhador do prêmio nobel de 2008, e que acertou de novo (muitos economistas apostaram na crise em V).

    Foi um dos únicos economistas a prever a crise global de 2008, e ainda em vigor, com muita antecedência.

    É um crítico mordaz das políticas de austeridade, adotadas por USA e Europa após a crise global, ao contrário das políticas anticíclicas adotadas pelo Brasil  na mesma época, por exemplo. 

    – Paul Krugman: http://pt.wikipedia.org/wiki/Paul_Krugman

    Assim, como na China, nosssa referência principal, os investimentos externos voltarão a adotar uma trajetória ascedente, gradual e segura, após um retraimento mundial geral dos IED´s como um todo, e de um ano eleitoral no Brasil e que causou desconfiança natural nas eventuais mudanças bruscas dos rumos da política econômica master, e implantada há mais de 10 anos.

    Vejam abaixo:

     

     

    Para melhor análise vejam mais alguns dados, e mais 12 gráficos sobre os “IED do Brasil x Mundo x Outros Países entre 1995 e 2013/2014” direto na fonte aí no link abaixo:

    – https://brasilfatosedados.wordpress.com/2014/08/22/investimentos-externos-diretos-ied-u-bilhoes-brasil-evolucao-1995-2014/

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome