Greve dos petroleiros é a maior da categoria desde a manifestação histórica de 1995

Há 15 dias em greve nacional, petroleiros representados pelos sindicatos da FUP exigem a suspensão imediata das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná

Foto: Divulgação
15° dia: Greve dos petroleiros já é a maior da categoria desde a histórica greve de 1995
Da FUP

Há 15 dias em greve nacional, petroleiros representados pelos sindicatos da FUP exigem a suspensão imediata das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR). São 144 trabalhadores da fábrica que receberam telegramas de convocação para comparecer a hotéis da região de Araucária onde seriam feitas as rescisões dos contratos de emprego, uma violação do Acordo Coletivo de Trabalho. Por isso, petroleiros da FAFEN protestaram contra essa arbitrariedade da gestão da Petrobrás e queimaram os telegramas com os comunicados de demissão.

A greve está cada dia maior com a categoria fortalecendo o movimento nas bases, enquanto a direção da Petrobras aposta no conflito criminalizando a greve dos petroleiros, mentindo para o judiciário e recusando-se a negociar com Comissão Permanente de Negociação da FUP que se mantém desde o dia 31 de janeiro à mesa de reunião numa das salas do Edise no Rio de Janeiro.

Em documento protocolado na última quinta-feira, os petroleiros reforçam, com a mesma pauta entregue anteriormente, a disposição de buscar uma solução para o impasse, desde que a Petrobras suspenda imediatamente as demissões na Fafen-PR e as medidas unilaterais tomadas contra os trabalhadores e que levaram a categoria à greve.

Confira no link abaixo os documentos:

https://bit.ly/36GKyz3

Pontos apresentados pela FUP na petição:

> Suspensão imediata das demissões na FAFEN-PR

> Cancelamento da nova tabela de turno que foi imposta pela gestão aos trabalhadores das unidades operacionais

Leia também:  Petrobrás admite veiculação de 2 milhões de anúncios em sites com conteúdo impróprio

> Restabelecimento das negociações para solução dos pontos do Acordo Coletivo que estão sendo descumpridos.

TST nega pedido da Petrobras para responsabilizar cinco petroleiros

O ministro Ives Gandra Martins não acrescentou novas sanções aos funcionários e negou nesta sexta-feira o pedido da Petrobras para a “responsabilização pessoal e solidária” dos cinco integrantes da Comissão Permanente de Negociação da Federação Única dos Petroleiros.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Uma hora a imprensa terá que mostrar a greve.
    Incrível que os tempos atuais se assemelham aos da ditadura militar.
    Esqueceram realmente o ovo da serpente da ditadura na Rede Globo de televisão.
    Eles alimentaram esse ovo durante anos, até que eclodiu.

  2. Só para registro, uma greve no país envolvendo toda Petrobras não deve se deve apenas a ação sindical da FUP. Há muitas outras instâncias sindicais envolvidas nesse pretenso sucesso. A CUT e o Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro-SINDIPETRO, por exemplos. Pretenso, porque uma greve que não para a produção não passa de um protesto. No caso, forte protesto, sem dúvidas. São tantas as amarras legais impostas aos trabalhadores, que a greve mesmo forte e com apoio de grande parte dos trabalhadores, aparenta muito mais ser um movimento consentido do que propriamente uma expressão da luta dos trabalhadores por seus direitos. Mesmo assim, não bastam os obstáculos legais, acontecem algumas interferências estapafúrdias, além das ameaças de repressão, até das mais altas autoridades do Judiciário, para criar ainda mais obstáculos ao movimento grevista, e fazer os trabalhadores voltarem ao trabalho, engolindo todo e qualquer absurdo do patronato. Ou seja, o Judiciário em lugar de mediar o conflito, apoia-se em leis espúrias para assim proceder, pugnando por um dos lados da contenda, com o falso argumento de que deve ser evitado esse tipo de confronto. Ou seja, o Judiciário age politicamente em favor, no caso, do desgoverno Bolsonaro.

  3. A imprensa GOLPISTA FAZ DE CONTA que a GREVE não existe, que a Petrobras não foi DOADA às multi americanas(falta pouco para terminar), que os americanos NÃO PAGAM A METADE (com renda DEZ vezes maior) do preço do litro da Gasolina QUE OS BRASILEIROS, que as DUAS SUPER REFINARIAS que estão ENFERRUJANDO (ISSO É ROUBAR DINHEIRO PÚBLICO) NÃO EXISTEM, etc, etc, etc, CONSIDERAM MESMO QUE TODOS OS BRASILEIROS SÃO GLOBIDIOTAS.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome