CMN altera regras dos bancos para financiamento de imóveis

 
Jornal GGN – O Conselho Monetário Nacional (CMN) deu autorização para que as instituições financeiras possam conceder financiamentos com juros de até 12% ao ano para imóveis novos de até R$ 1,5 milhão. O bancos poderão destinar até 6,5% dos recursos da poupança para essa modalidade de financiamento.
 
Atualmente, as instituições bancárias são obrigadas a destinar 65% dos depósitos na caderneta para o crédito imobiliário, sendo que 13 pontos percentuais destinam-se a operações de mercado e outros 52 pontos percentuais vão para operações do Sistema Financeiro da Habitação (SFH), que financia imóveis com valor mais baixo. 

A mudança permite que a parcela da poupança que vai para o SFH caia de 52% para 45,5% (de 80% para 70%), criando uma faixa de 6,5% que será aplicada para o crédito para moradias de até R$ 1,5 milhão. Os juros dos financiamento do SFH são limitados a 12% a.a..
 
Silvia Marques, chefe do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do Banco Central, afirmou que a medida é temporária, com validade de um ano, mas ela poderá se tornar permanente caso seja bem-sucedida.
 
Ela também ressaltou que a mudança não necessariamente chegará ao consumidor já que os bancos, em geral, aplicam mais recursos no crédito imobiliário do que o requerido. 
 
A técnica do BC afirmou que, atualmente, R$ 495 bilhões estão aplicados na poupança no Brasil. R$ 322 bilhões teriam que ser destinados para o crédito imobiliário, mas o estoque de empréstimos chega a R$ 354 bilhões.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome