Ex-moradora de rua: “deixei de ser desprezada pelas pessoas”

 
 
Beneficiada por programa no Pará diz ser a mulher mais feliz do mundo ao realizar o que parecia impossível: ter uma casa própria
 
https://www.youtube.com/watch?v=FTtWh2y1BzQ

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Soberania alimentar: desmonte de políticas públicas impacta na mesa dos brasileiros

8 comentários

  1. Seria muito interessante

    Ver um levantamento com o número de casas populares construídas antes do MCMV, desde quando houver dados. E comparar com as casas feitas por Lula e Dilma, e ainda somente por Dilma.

  2. PAU DA BARRACA

    Será que estes coxinhas não percebem que estas migalhas só agora distribuidas é que segura este povão de chutar o pau de barraca?

  3. Nao há ninguém no Blog que seja do Pará, da cidade dela?

    Que nao sei se é Belém… Ao ouvi-la, o que mais me comoveu foi o seu desejo de saber ler. Nao há ninguém de lá que possa alfabetizá-la?

  4. tem ogros espumando

    Os ogros( outro nome para coxinhas)  estão espumando, alias, eles têm raiva de que é feliz.

  5. O valor da moradia

    Em outras culturas/países ter uma casa própria não possui tanta importância, pois muita gente faz até cálculos financeiros para ver se justifica a imobilização do capital. No Brasil, ter um canto pra morar é de suma importância, faz parte do sonho de todos nós, independente da camada social em que estamos inseridos. E no caso desta senhora vemos como é imprescindível a atuação do Estado para garantir, inclusive com subsídios, o acesso dos desprovidos a esse bem. Só entende esta situação quem já passou por isso. Os financistas jamais entenderão.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome