A disputa por Jerusalém

Do Blog de Maria Dirce

Jerusalém não é um assentamento. É a capital de Israel

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, manteve nesta segunda-feira (22) sua posição desafiadora na disputa com o governo dos Estados Unidos, às vésperas de uma reunião com o presidente Barack Obama, ao afirmar: Jerusalém não é um assentamento. É a capital de Israel.
Em discurso perante a reunião anual do Comitê de Assuntos Públicos Americano-Israelense (Aipac), o principal grupo a favor dos judeus nos EUA, Netanyahu afirmou: “O povo judeu construiu Jerusalém há 3.000 anos, e o povo judeu constrói Jerusalém hoje. Jerusalém não é um assentamento. É nossa capital.”
A expansão dos assentamentos israelenses esfriou os laços entre os dois governos, especialmente desde que, no último dia 9, Israel anunciou a construção de 1.600 moradias em Ramat Shlomo, um assentamento em Jerusalém Oriental, enquanto o vice-presidente dos EUA, Joseph Biden, visitava o país.
Após um confronto público e reprovação da secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, os governos tinham tentado nos últimos dias minimizar a tensão e enfatizar o interesse por restabelecer as negociações de paz. Assim, Netanyahu disse nesta segunda que quando o mundo enfrenta desafios monumentais sabe que Israel e EUA os encararão juntos.
Por sua parte, Hillary declarou que os dois governos discutem passos que Israel pode dar para restabelecer a confiança entre as partes e retomar as negociações de paz. Além disso, Biden e Netanyahu se reuniram para um jantar na residência oficial do vice-presidente.
O primeiro-ministro se reuniu também a portas fechadas com Hillary, em um encontro no qual, segundo o Departamento de Estado, “analisaram medidas específicas que poderiam ser tomadas para melhorar o ambiente e manter o avanço das conversas indiretas”. Segundo este Departamento, os EUA continuam tentando “criar um ambiente de confiança para que as partes possam começar a resolver os problemas importantes através das conversas de proximidade e avançar rumo a negociações diretas o mais breve possível. Continuamos alcançando avanços com esse objetivo”.
-A senhora da guerra não esta dando muito certo suas relações diplomáticas. Bateu a cara aqui no Brasil e Israel desafia os USA. (MD)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora