A morte de Tony Judt

O mundo perdeu um grande historiador.  O livro do Judt sobre a Europa no pós-guerra é leitura obrigatória para todos interessados em história contemporânea. No último livro, reflexões sobre o um século esquecido, a parte sobre o meio-século norte-americano também é muito boa.

07/08/2010 – 13h43

Historiador e autor britânico Tony Judt morre aos 62 anos

DE SÃO PAULO

O historiador e autor britânico Tony Judt, morreu na sexta-feira (6), segundo o jornal americano “The New York Times”.

Ele estava com 62 anos e era vítima desde 2008 de uma doença neuromuscular que paralisava seu corpo. Mesmo assim, ele continuava a publicar artigos e livros em que atacava o pensamento conservador e a crescente desigualdade econômica na Europa e nos EUA.

Saiba mais sobre o historiador britânico Tony Judt
Leia texto do historiador Tony Judt no qual ele fala sobre a doença que o vitimou

A morte foi anunciada em um comunicado da Universidade de Nova York, onde ele dava aulas.

Formado em instituições-símbolo da academia europeia –a Universidade de Cambridge e a Escola Normal Superior, em Paris–, Judt era um dos principais intelectuais social-democratas em atividade.

Muitos desses artigos, escritos antes do diagnóstico, estão em “Reflexões Sobre um Século Esquecido”, lançado em maio no Brasil.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome