Há 78 anos, Getúlio implantava o Estado Novo, por André Araújo

Por André Araújo

ESTADO NOVO: O AUTORITARISMO ESSENCIAL – Há 78 anos, em 10 de novembro de 1937, Getúlio Vargas proclamava o Estado Novo, fechando o  Congresso e nomeando todos os governadores de Estado e prefeitos do País por ato pessoal do Presidente, canceladas as eleições gerais previstas para 1938. Getúlio, até então governando o Pais como Presidente pela Constituição de 1934, tornou-se ditador com apoio do Exército sob comando do General Eurico Gaspar Dutra, Ministro da Guerra.

A adesão dos governadores se deu por um paciente trabalho de convencimento que levou um ano, executado por Francisco Negrão de Lima, Ministro da Justiça, que visitou cada um dos governadores para obter sua adesão, tendo sucesso com todos menos um, o governador da Bahia, Juracy Magalhães, que perdeu o cargo e tornou-se desde então um visceral inimigo de Vargas e do varguismo.

 
As razões profundas do autogolpe do Estado Novo foram o panorama internacional que precedia a Segunda Guerra Mundial que já se prenunciava pelo aumento das tensões internacionais na Europa e na Ásia e as razões imediatas de agitação política promovidas pelos comunistas, que tinham tentado uma revolta em 1935 e os fascistas que tentaram um golpe em 1937. O pretexto inventado foi um “plano” de tomada do poder pelos integralistas, denominado “Plano Cohen”, uma ficção escrita pelo Capitão Olímpio Mourão Filho, do Estado Maior do Exército, pretensamente apreendido com os integralistas. Os integralistas de Plínio Salgado eram a versão brasileira dos fascitas, um movimento que emulava seus modelos europeus. Por trás dessas razões ideológicas havia outra, muito mais concreta. Já havia dois candidatos fortes para as eleições de 1938, Armando de Salles Oliveira, líder da elite cafeeira paulista e José Américo de Almeida, paraibano e Ministro da Viação de Getúlio. Com o Estado Novo eliminava-se o risco de Getúlio perder a eleição de 1938,o que era uma possibilidade, Vargas tinha resistências em S.Paulo e no Rio Grande do Sul.
 
 
O golpe foi bem sucedido sem qualquer confrontação porque atendia ao momento político daqueles anos, o clima estava tenso e tumultuado, duas insurreições, uma perto da outra, a dos comunistas que irrompeu no Rio e em Natal, com destruição e mortes, e a dos integralistas que quase mataram Getúlio em um cerco ao Palácio Guanabara.
 
O Estado Novo correspondeu a um período de oito anos de grandes realizações. Getúlio tinha a visão de um Estado forte e centralizador, pretendia a industrialização do País e no geral era um bom administrador. Reorganizaou a gestão pública com a criação do DASP, órgão que modernizou a administração com a instituição de concursos públicos, que até então não eram a regra para admitir no serviço público, criou uma máquina de propaganda eficiente, o Departamento de Imprensa e Propaganda, o DIP, evidentemente a liberdade de imprensa desapareceu, toda ela era controlada pelo Estado, que além disso tinha os jornais A NOITE e a RADIO NACIONAL, o jornal O Estado de S.Paulo foi estatizado, Getúlio tinha poderes infinitamente maiores do que os Presidentes militares do regime de 1964. A polícia política de Vargas estava em toda parte e muita gente foi presa por razões políticas, houve mortes, torturas, exílios e prisões de inimigos do regime.
 
Na política exterior a simpatia pela Alemanha e Itália que era a linha até 1939, a Alemanha era o maior parceiro comercial do Brasil, mudou com a guerra, virando o Brasil o maior aliado dos EUA na América Latina em 1942.
 
O Estado Novo foi uma solução de circunstância para Getúlio porque via que forças poderosas, a maior das quais a elite paulista, iriam lhe tomar o poder em 1938, Vargas agiu pela lógica, era melhor para o Brasil um regime autoritário do que um quadro caótico de fragmentação do poder político, o que parece ter coincidido com a opinião dos brasileiros. Quando essa opinião mudou em 1945, Vargas foi deposto e não tentou resistir, fino faro político percebeu que o Estado Novo tinha chegado ao seu fim porque a época era agora de Democracia no mundo.
 
O Rádio no Estado Novo
 
www.youtube.com/watch?v=3trBqv887I0

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora