O Padre Landell de Moura e a invenção do rádio

Enviado por jns

O Rádio Foi Inventado Pelo gaúcho Landell de Moura

A patente da invenção do rádio está devidamente creditada ao italiano Gugliermo Marconi, no entanto, anos antes dele, um padre brasileiro havia feito a primeira transmissão da voz humana por meio das ondas radiofônicas.

Roberto Landell de Moura era um ‘Professor Pardal’ que levou a sério as suas experimentações com as ondas eletromagnéticas.

 

Em 1894, apesar de transmitir um comunicado por vários quilômetros, na cidade de São Paulo, a sua invenção foi vista com desconfiança, porque muitos religiosos o acusavam de praticar feitiçarias e, por isso, o seu experimento não teve a visibilidade que merecia.

Após muitos anos, Landell de Moura conseguiu patentear seu equipamento no Brasil e nos Estados Unidos.

Os seus trabalhos foram noticiados em 12 de outubro de 1902, no jornal americano “The New York Herald”, em reportagem sobre as experiências desenvolvidas na época, inclusive por cientistas americanos, alemães, ingleses dentre outros, na transmissão de sons sem uso de aparelhos com fio. Ressalta o jornal:

Por entre os cientistas, o brasileiro Padre Landell de Moura é muito pouco conhecido. Poucos deles tem dado atenção aos seus títulos para ser o pioneiro nesse ramo de investigações elétricas. Mas antes de Brigton e Ruhmer, o Padre Landell, após anos de experimentação, conseguiu obter uma patente brasileira para sua invenção, que ele chamou de Gouradphone“.

O jornal publica uma ampla reportagem sobre Landell de Moura, sua vida e obra, completada por uma fotografia do Padre, intitulada ‘Padre Landell de Moura – inventor do telefone sem fio'(denominação da época para a radiotelefonia ou a transmissão da voz humana à distância sem fio condutor).

Mas, infelizmente, já era tarde.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

  1. A história   do padre Landell

    A história   do padre Landell de Moura, esclarece  a indagação que persegue  gerações  de brasileiro:por que  somos “subdesenvolvidos” ?

    Outro símbolo,é o  sempre lembrado Barão de Mauá, e pouco estudado. O empreendedorismo, era visto sob a ótica imperial,como  desafio à monarquia. Mauá  era  um Ike Batista responsável na época e um corajoso desbravador .

    Foi destruído pela  mesquinhez e a  inveja , matéria prima abundante nas  cortes  imperiais e medíocres.

    Além  de se considerar  que o  lóbi dos  escravagistas era  forte  e atuante . 

    • Quem passou a rasteira no

      Quem passou a rasteira no grande Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá foi a mesma elite tosca, burra e vagabunda que hoje tenta de tudo para passar a perna no PT.

      • Segundo o filme… não é bem
        Segundo o filme… não é bem assim. O Visconde Mauá foi um grande empreendor e merece todo o respeito, mas a “rasteira” quem lhe deu foram os sócios ingleses – aos quais ele havia “sacaneado” em primeiro lugar… coisas de especulação cambial.
        O que mais me impressionou no filme – além dele ter casado com a sobrinha ninfeta… – foi que ele se reerrgueu, voltou para o Arroio Grande, quase na fronteira com o Uruguai e conseguiu pagar todas as dívidas. Morreu rico, mas não “podre de rico” como antes…

  2. Uma correção necessária.

    Oficialmente o inventor do rádio foi o americano de origem croata Nicola Tesla. Um processo movido por esse inventor contra Marconi pelo uso de sua tecnologia (patenteada) de transmissão e recpção de sinais de rádio foi considerada válida pelo Supremo Tribunal dos Estados Unidos, que declarou Tesla oficialmente o inventor do rádio.

    Infelizmente a midia tem capacidade de propagar e preservar mentiras de modo que até hoje muitas publicaçõpes indicam indevidamente Marconi como inventor do rádio, desconsiderando que ele simplesmente usou as invenções de Tesla.

    É importante deixar essa ressalva em um post que fala justamente de outro inventor injustiçado. Eu concordo com a afirmação de que Landell de Moura foi o verdadeiro inventor do rádio (a menos que haja outro desconhecido que tenha realizado a mesma proeza antes dele, o que é bstante improvável), o que não tira méritos de Tesla porque sua invenção foi independente da invenção de Landell de Moura, mas chama a atenção um ponto.

    Os americanos reivindicam a invenção do avião para os irmãos Wright porque eles teriam realizado o primeiro vôo antes do brasileiro Santos Dumont. Nesse caso parece que o que vale é a precedência pois o vôo dos americanos não foi corretamente documentado.

    Mas no caso do rádio não vale a precedência, já que ignoram completamente o trabalho de Landell de Moura. Nesse caso parece que o que vale é a patente, ou pior, vale quem ganhou dinheiro com o início do rádio, Marconi, já que eles divulgam erradamente que o inventor do rádio seria o italiano.

    A verdade é que na história das invenções a regra é o não reconhecimento dos verdadeiros inventores, atribuindo-as àqueles que tiveram maior divulgação, nãop a precedência.

     

    • SEM FIO E SEM PAI

      Guilherme Marconi, inventor do telégrafo sem fio, foi talvez o último dos inventores individuais que marcaram essa fase da civilização.

      Concentrado no objetivo exclusivo da transmissão radiofônica, venceu as objeções científicas de seu tempo, superou o ceticismo míope do governo italiano e tremendas dificuldades materiais para vencer ainda jovem.

         Guglielmo Marconi  (1874 – 1937)

      Com seus vinte anos, Marconi já tinha definido para si um objetivo de estudo e um programa de vida: desenvolver as descobertas de Hertz, publicadas sete anos antes, para encontrar um processo de telegrafia sem fio.

      Nessa época, o telégrafo já era mais que uma invenção vitoriosa: era um empreendimento de grandes proporções econômicas e de vasto alcance militar e todas as maiores cidades se achavam interligadas pelo telégrafo, inclusive através do Atlântico – também o telefone já fora inventado havia uns vinte anos.

      E Marconi partia dessa mesma idéia: afinal, Hertz demonstrara que as ondas eletromagnéticas se comportavam de modo semelhante ao das ondas luminosas.

      Hoje parece uma idéia simples, mas, no tempo de Marconi, contudo, ninguém sabia como superar certas dificuldades. Para transmitir mensagens pelas ondas hertzianas, seria preciso saber como é que elas poderiam transpor os obstáculos naturais do caminho – as ondas de luz, por exemplo, não podem atravessar uma colina; as de rádio o poderiam? Além disso, quando se tratasse de enviar mensagens a grandes distâncias, a curvatura da Terra estabeleceria uma dificuldade insuperável: se as ondas hertzianas se propagam em linha reta, como a luz, também elas não acompanhariam a curva do planeta. Mas, antes mesmo de pensar nessas dificuldades, Marconi tinha de resolver um problema preliminar: como modular as ondas e os sinais a serem transmitidos.

      Numa primeira etapa de desenvolvimento, Marconi procurou conjugar e reproduzir as experiências de Hertz, Righi e outros pesquisadores. Objetivo: emitir ondas de um aparelho, captá-las a curta distância e “revelá-las” para tornar a recepção perceptível.

      Para a transmissão, Marconi construiu osciladores elétricos excitados por uma bobina de Ruhmkorff e, para a recepção, utilizou tubinhos de vidro cheios de carvão ou limalha de ferro. Quando atravessados por ondas eletromagnéticas, esses toscos receptores se tornam condutores de eletricidade, e as próprias oscilações do fluxo da corrente assinalam a presença das ondas.

      Na primavera de 1895, Marconi colhia o primeiro êxito, ao observar, do laboratório onde manipulava o transmissor, que o seu assistente, colocado a uma centena de metros, acenava, jubilosamente, um lenço branco: as ondas haviam chegado aos receptores.

          O Primeiro Transmissor – 1895

      A ondas estão ligadas em: http://www.geocities.ws/saladefisica9/biografias/marconi.html

    • TESLA

      Nikola Tesla definiu todos os conceitos de transmissão utilizados por Guglielmo Marconi.

      Em 1891, Tesla fez demonstrações públicas de transmissões de sinais utilizando as ondas de rádio.

      O sistema de transmissão de energia elétrica foi patenteado por Tesla em 20 de março de 1900.

      Em 1900 Marconi patenteou o rádio e, em suas patentes, ignorou e omitiu a invenção do oscilador criado por Tesla.

      Respondendo a críticas de um dos engenheiros de Marconi, Telsa respondeu, com ironia, que ele era um grande amigo.

      Tesla perceberia, tarde demais, que Marconi estava utilizando as suas invenções e, quando tentou, em vão, recuperar os direitos das suas patentes e Marconi, tornou-se, definitivamente, reconhecido como o inventor do rádio.

      Finalmente, em 1943, o Supremo Tribunal Americano recuperou os direitos das patentes de Nikolas Tesla.

      Após esta decisão, a maioria das patentes, requeridas por Marconi, foram derrubadas pela Suprema Corte dos Estados Unidos.

      Tesla, infelizmente, faleceu nove meses antes desta decisão.

  3. Memória colonizada

    Fiz parte de uma comunidade hoje em extinção: rádioamadores. É corrente entre nós o conhecimento de que Landell de Moura foi o inventor do radiocomunicador. Botucatu/SP, a cidade onde passou parte de sua vida, não presta nenhuma homenagem ao padre e desconheço as razões disto. Botucatu também não presta homenagem a Vital Brasil, que ali manteve, por muito tempo, um seu laboratório de pesquisas, em frente à Caixa Econômica Estadual, hoje Banco do Brasil, na chamada Praça do Bosque. Nossa memória é curta e colonizada….

  4. Landell de Moura e a Prática de Rituais Satânicos.

    Bom dia.

    Pe. Landell não foi injustiçado somente pelos que lhe surrupiaram a primazia nos experimentos com radiotransmissão. Ele foi uma vítima quase anônima da Igreja Católica, que lhe obrigou a parar com aqueles experimentos “satânicos”, sob pena de excomunhão. Se não fora tão obstinado, Santos Dumont teria sido o Pe. Landell da aviação e os Irmãos Wright seriam “Os Pais da Aviação”, o que a mídia estadunidense tenta “empurrar” todo dia. César Lattes não ganhou o Nobel de Física por ser brasileiro. Com esta elitezinha, quem precisa de inimigos?

     

    • Gostaria de deixar uma

      Gostaria de deixar uma observação sobre o presente comentário, quanto a citação de que a “Igreja Católica” foi um precursor para que o Pe. Landell não mais continuasse suas pesquisas, é uma grande negação a própria história da Igreja que sempre esteve engajada em várias pesquisas cietíficas que contribuiram e muito para o desenvolvimento da sociedade atual, como consta no livro de fácio leitura;  How the Catholic Churc built Western Civilization de Thomas E. Woods Jr.

      Hoje, há professores como Thomas Woods graduado na Universidade de Harvard e é doutor em História pela Universidade de Columbia, Edward Grant escrevendo livros editados pela Universidade de Cambridge, Thomas Goldstein, A.C.Crombie, David Lindberg e muitos outros. E todos eles concordam que, você mente, quando alega que a Igreja foi uma oponente das ciências. Pelo contrário, há aspectos do pensamento católico que foram indispensáveis para o desenvolvimento da ciência.

      Confira, nestas 53(dentro muitas) provas, como a Igreja Católica construiu a Civilização Moderna e a livrou da ignorância e do massacre dos Bárbaros:

      1) A Igreja Católica teve de empreender a tarefa de introduzir a lei do Evangelho e o Sermão da Montanha entre os povos Bárbaros, que tinham o homicídio como a mais honrosa ocupação e a vingança como sinônimo de justiça. (Christopher Dawson);

      2) A Igreja Católica forneceu mais ajuda e apoio financeiro ao estudo da Astronomia, por mais de seis séculos – da recuperação do saber antigo da Baixa Idade Média ao Iluminismo -, do que qualquer outra e, provavelmente, todas as outras instituições. (J.L.Heilbron – Universidade da Califórnia, em Berkeley);

      3) A Igreja funda a primeira universidade do mundo, em Bolonha, na Itália. A criação da instituição dá à Europa o impulso intelectual que desembocaria no Renascimento no século XIV, e na Revolução Científica, entre os séculos VXI e XVII.

      4) Reginald Grégoire (1985), afirma: “os monges deram a toda a Europa… uma rede de fábricas, centros de criação de gado, centros de educação, fervor espiritual, … uma avançada civilização emergiu da onda caótica dos bárbaros”. Ele afirma que: “Sem dúvida alguma S. Bento (o mais importante arquiteto do monarquismo ocidental) foi o Pai da Europa. Os Beneditinos e seus filhos, foram os Pais da civilização Européia”;

      5) O nosso padrão de contar o tempo foi criado por um monge católico chamado Dionísio, por volta do início do século 4;

      6) Foram os católicos escolásticos que criaram a Ciência Econômica Moderna. Foram eles que criaram a economia, e não os secularistas do Iluminismo;

      7) São Mesrob, sacerdote católico, foi o criador do alfabeto armênio.

      8) Os Jesuítas – da Companhia de Jesus – foram tão exímios nas ciências que, neste exato momento, 35 crateras lunares têm o nome de cientistas jesuítas;

      9) São Cirilo e Metódio, no século IX, desenvolveram um alfabeto para o velho idioma eslavo, este se tornou o precursor do alfabeto russo “cirílico”. Em 885, são Metódio traduziu a Bíblia inteira neste idioma;

      10) O católico franciscano Roger Bacon (séc 13), que lecionava na Universidade de Oxford, é considerado o precursor da revolução científica;

      11) O monge matemático Jordanus Nemorarius, além dos conhecimentos que contribuiu à matemática introduzindo os sinais de “mais” e de “menos”, iniciou a investigação dos problemas da mecânica, superando a visão dos problemas do equilíbrio. Foi o fundador da escola medieval de mecânica, foi o primeiro em formular corretamente a “lei do plano inclinado” e pesquisou sobre a conservação do trabalho nas máquinas simples.

      12) Os Jesuítas estão entre os maiores matemáticos da história;

      13) O abade Nicolau Copérnico foi o astrônomo e matemático que desenvolveu a teoria heliocêntrica do Sistema Solar. Sua teoria do Heliocentrismo, que colocou o Sol como o centro do Sistema Solar, contrariando a então vigente teoria geocêntrica (que considerava, a Terra como o centro), é tida como uma das mais importantes hipóteses científicas de todos os tempos, tendo constituído o ponto de partida da astronomia moderna.

      14) O padre Bartolomeu Lourenço de Gusmão (1685 -1724), foi um cientista e inventor nascido no Brasil Colônia. Famoso por ter inventado o primeiro aeróstato operacional, era chamado de “o padre voador”, é uma das maiores figuras da história da aeronáutica mundial. Ele também é o inventor de uma “máquina para a drenagem da água alagadora das embarcações de alto mar.”

      15) Papa Gregório XIII, foi quem nos deu o Calendário Gregoriano, que é o calendário utilizado na maior parte do mundo, e em todos os países ocidentais. A China o aprovou em 1912.

      16) Jean Buridan (1300-1358) foi um filósofo e padre francês, que desenvolveu e popularizou a “teoria do Ímpeto”, que explicava o movimento de projéteis e objetos em queda livre. Essa teoria pavimentou o caminho para a dinâmica de Galileu e para o famoso princípio da Inércia, de Isaac Newton;

      17) Nicole d’Oresme (c.1323-1382) era teólogo dedicado e Bispo de Lisieux, foi um gênio intelectual e talvez o pensador mais original do século XIV. Foi um dos principais propagadores das ciências modernas. Na“Livre du ciel et du monde” (1377), Oresme se opôs à teoria de uma Terra estacionária como proposto por Aristóteles e, neste trabalho, ele propôs a rotação da Terra, cerca de 200 anos antes de Copérnico. No entanto, ele estragou um pouco este belo pedaço de pensamento, rejeitando suas próprias idéias, no final dos trabalhos e assim, como Clagett escreve, não pode ser considerada como a reivindicação de que a Terra girava antes de Copérnico. Ele escreveu “Questiones Super Libros Aristotelis de Anima lidar”, com a natureza da luz, reflexão da luz e da velocidade da luz, discutidos em detalhes.

      18) O monge Luca Bartolomeo de Pacioli é considerado o pai da contabilidade moderna. Um dos seus alunos foi Leonardo da Vinci;

      19) O padre paraibano Francisco João de Azevedo, é reconhecido como inventor e construtor da máquina de escrever. O que temos certeza é que a máquina realmente existiu, funcionava, foi exposta ao público, ganhou medalhas, e, o mais importante, em dezembro de 1861, portanto antes que Samuel W. Soule e seus dois parceiros, em 1868, recebessem a formalização da patente nos Estados Unidos;

      20) De acordo com o Dicionário de Biografia Científica, santo Alberto Magno, que ensinou na Universidade de París, era habilidosos em todos os ramos da ciência, “foi um dos mais famosos precursores da Ciência Moderna na Alta Idade Média”. Desde 1941 ele é declarado o “patrono de todos que cultivam as ciências naturais”;

      21) O padre Nicolas Steno é considerado o pai da Estratigrafia, que estuda as camadas de rochas sedimentares formadas na superfície terrestre. Um geólogo precisa conhecer os princípios de Steno.

      22) Jean-Antoine Nollet, foi abade e físico francês, se constitui como um grande divulgador da física e da eletricidade em particular. Construiu alguns dos primeiros eletroscópios, a sua própria máquina eletrostática, e também uma versão “seca” da garrafa de Leiden.

      23) Os jesuítas no século 18 contribuíram para o desenvolvimento do relógio de pêndulo, pantógrafos, barômetros, telescópios e microscópios refletores para campos científicos variados como: magnetismo, ótica e eletricidade. Eles observaram, às vezes antes que de qualquer outro, as faixas coloridas dos anéis na superfície de Júpiter, a Nebulosa de Andômeda e anéis de Saturno. Eles teorizaram sobre a circulação do sangue, independentemente de Harvey, a possibilidade teórica de vôo, o modo como a lua afeta as marés e a natureza ondular da luz, mapas estelares de hemisfério sul, lógica simbólica e medidas de controle de enchentes. Tudo isso foi realização típica dos jesuítas.

      24) O padre Giabattista Riccioli foi a primeira pessoa a calcular a velocidade com que um corpo em queda livre acelera até o chão,

      25) O padre Francesco Grimaldi descobriu e nomeou o fenômeno de difração da luz. Ele também participou de uma descrição detalhada de um mapa da superfície da lua. Esse mapa chamado de Selenógrafo, adorna até hoje a entrada do Museu Nacional do Ar e Espaço, em Washington D.C.;

      26) O padre Roger Boscovich, falecido em 1787, é louvado por cientistas modernos por ter apresentado a primeira descrição coerente de teoria atômica, bem mais de um século antes que a teoria atômica moderna emergisse. Ele foi considerado “o maior gênio que a Iugoslávia produziu”;

      27) Nos séculos 17 e 18 as catedrais de Bolonha, Florença, París e Roma funcionavam como observatórios solares superiores;

      28) O padre Athanasius Kircher é considerado o pai da Egiptologia. Foi graças ao trabalho deste padre que encontrou-se a Pedra Rosetta, que decifrou os símbolos egípcios. Ele foi chamado de “Mestre das cem artes”. Seu trabalho em química ajudou a desbancar a alquimia, que era um tipo de falsa ciência, que até Isaac Newton e Boyle levavam a sério. Foi esse padre que jogou água fria nisso.

      29) Foi um Jesuíta quem escreveu exatamente o primeiro livro sobre Sismologia nos Estados Unidos. Era o padre J.B. Macelawane. Todo ano, a União Geofísica Americana, prêmia com uma medalha com o nome deste padre, um jovem geofísico inspirador.
      O padre J.B. Macelawane também foi o primeiro presidente da União Geofísica Americana. Por isso o estudo dos terremotos é conhecido como “A Ciência Jesuíta”;

      30) Foi um astrônomo católico chamado Giovanni Cassini quem usou a Catedral de São Petrônio, em Bolonha, para verificar as teorias de movimentos planetários de Johannes Kepler.

      31) Foram os monges católicos que desenvolveram a “minúscula carolígia”, ou seja as letras minúsculas, o espaçamento entre palavras e a acentuação, já que o mundo só escrevia em letras maiúsculas, sem espaçamentos e sem acentuação.

      32) O ensino superior na Idade Média era ministrado por iniciativa da Igreja;

      33) O documento mais antigo que contém a palavra “Universitas” (universidade), utilizada para um centro de estudo, é uma carta do Papa Inocêncio III ao “Estúdio Geral de Paris”;

      34) A universidade de Oxford, na Inglaterra, surgiu de uma escola monacal católica organizada como universidade por estudantes da Sorbone de Paris. Foi apoiada pelo Papa Inocêncio IV (1243-1254) em 1254;

      35) O historiador francês Henri Daniel – Ropes no século 20 disse: “graças as repetidas intervenções do papado, a educação superior foi habilitada a expandir suas fronteiras; a Igreja, na verdade, foi a matriz que produziu a universidade, o ninho de onde esta tomou vôo.”;

      36) Os papas estabeleceram mais universidades do que qualquer outra pessoa na Europa;

      37) Até 1440 foram erigidas na Europa 55 Universidades e 12 Institutos de ensino superior, onde se ministravam cursos de Direito, Medicina, Línguas, Artes, Ciências, Filosofia e Teologia. Todos fundados pela Igreja;

      38) Os monges católicos introduziram safras e indústrias e métodos de produção que não se conheciam antes;

      39) O monge italiano católico Guido d’Arezzo (992 -1050), criou as 7 notas musicais dó, ré, mi, fá, sol, lá, si utilizando ás sílabas iniciais de uma estrofe de um hino a São João para denominá-las. Ele também apresentou pela primeira vez a Pauta Musical de quatro linhas. O sistema ainda é usado até hoje.

      40) Os monges católicos foram pioneiros em maquinaria e mecanização. Eles usavam a energia da água para todos os tipos e propósitos;

      41) O primeiro relógio de que tivemos notícia foi construído pelo futuro papa Silvestre II, em 996;

      42) No século 11, um monge beneditino inglês, chamado Eilmer de Malmesbury, voou aproximadamente 600 metros por meio de um planador sustentado no ar por cerca de quinze segundos. Ele consta no site da Força Aérea Americana – USAF, como pioneiro do vôo do homem, tendo feito isso 1000 anos antes dos irmãos Wright e de Santos Dumont;

      43) Em 1688, Dom Perignon, do mosteiro de São Pedro, Hautvillieres-on-the-Marne, descobriu a Champanhe através de experimentação misturando vinhos;

      44) Disse o estudioso francês Reginald Gregoire: “De fato, seja na extração de sal, chumbo, ferro, alume ou gipsita, ou na metalurgia, extração de mármore, condução de cutelarias e vidrarias, ou forja de placas de metal, também conhecidas como rotábulos, não há nenhuma atividade em que os monges não mostrassem criatividade e um fértil espírito de pesquisa. Utilizando sua força de trabalho, eles instruíram e treinaram à perfeição. O conhecimento técnico monástico se espalharia pela Europa.”;

      45) O Jesuíta espanhol Baltasar Gracián (1601-1658), com seus livros, impressionou e inspirou filósofos, escritores e pensadores ao longo de mais de trezentos e cinqüenta anos, entre estes estavam: Nietzsche, Schopenhauer, Voltaire e Lacan, que foram leitores entusiasmados dos livros deste jesuíta. O filósofo Arthur Schopenhauer considerava seu livro “El Criticón”, “um dos melhores livros do mundo.”
      Friedrich Nietzsche declarou sobre a obra de Gracián: “A Europa nunca produziu nada mais refinado em questão de sutileza moral.” “Absolutamente único … um livro para uso constante … um companheiro na vida. Estas máximas são especialmente adequadas àqueles que desejam prosperar no grande mundo”.

      46) Foram os monges católicos, que na Inglaterra, no século 16, desenvolveram a primeira caldeira para produção de larga escala de ferro fundido;

      47) O padre Gregor Mendel (1822-1884), é considerado no meio científico como “o pai da genética”. Graças a Mendel, o troca-troca genético de que a gente tanto ouve falar se tornou possível. Os transgênicos (animais e plantas que recebem genes de outras espécies de seres vivos), hoje são uma realidade! O homem hoje é capaz de modificar o gene de uma planta para torná-la mais resistente às pragas, por exemplo. Ou então, fazer experiências trocando genes de animais, para tentar desenvolver novos medicamentos.

      48) Diz um historiador protestante: “se não fosse pelos monges e monastérios, o dilúvio bárbaro poderia ter varrido completamente os traços da civilização romana. O monge foi o pioneiro da civilização e da cristandade na Inglaterra, Alemanha, Polônia, Boêmia, Suécia, Dinamarca. Com o incessante estrondo das armas a sua volta, foi o monge em seu claustro mesmo nas remotas fortalezas, por exemplo, no Monte Athos, quem, perseverando e transcrevendo manuscritos antigos, tanto cristãos como pagãos, assim como registrando suas observações de eventos contemporâneos, foi repassando a tocha do conhecimento intactas às futuras gerações e amealhando estoques de erudição para as pesquisas de uma área mais esclarecida. Os primeiros músicos, pintores, fazendeiros, estadistas da Europa após a queda da Roma imperial sob o ataque violento dos bárbaros, eram monges”. (A Protestant Historian)

      49) Albert Einstein declarou: “Só a Igreja se pronunciou claramente contra a campanha hitlerista que suprimia a liberdade. Até então a Igreja nunca tinha chamado minha atenção; hoje, porém, expresso minha admiração e meu profundo apreço por esta Igreja que, sozinha, teve o valor de lutar pelas liberdades morais e espirituais”. (Albert Einstein, The Tablet de Londres);

      50) Padre Francisco de Vitória, que foi professor na Universidade de Salamanca, foi quem nos deu o exato primeiro Tratado de Direito Internacional da história;

      51) A Pontífice Academia de Ciências do Vaticano, atualmente, conta com 61 acadêmicos, dos quais 29 são vencedores do Prêmio Nobel. Trata-se de uma relação de notáveis cientistas premiados por suas pesquisas no campo da medicina, química, física, etc., entre os quais figuram Marshaw Nerimberg, o descobridor do Código Genético de todos os seres, e nada mais nada menos que, Francis Collins, o mapeador do DNA humano e diretor do Projeto Genoma;

      52) A invenção dos mais modernos e imprescindíveis meios de comunicação, deve-se a um membro da Igreja, o brasileiro padre Landell, inventor pioneiro do rádio, do telefone sem fio, do telégrafo sem fio, da televisão e do teletipo usado pela imprensa. Nas patentes são agregados vários avanços técnicos como a transmissão por meio de ondas contínuas, através da luz, princípio da fibra óptica e por ondas curtas; e a válvula de três eletrodos, peça fundamental no desenvolvimento da radiodifusão e para o envio de mensagens. Ainda em 1904 o padre Landell inicia os testes precursores de transmissão da imagem. Em outras palavras, testava aquilo que viria a ser a televisão. Ele também testou a transmissão de textos, sendo precursor do teletipo, tão utilizado nos telejornais para envio de notícias pelas agências internacionais. Ambas as experiências eram feitas à distância, por ondas que, segundo um jornal paulista, eram denominadas de Ondas Landeleanas. Confira em:
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Roberto_Landell_de_Moura

      53) O cosmólogo padre Michael Heller, é o ganhador do mais polpudo prêmio acadêmico já pago pela ciência moderna. Ele provou matematicamente a existência de Deus;

      Um dos princípios mais importantes que a Igreja legou ao desenvolvimento das ciências vem de um verso bíblico! Um verso bíblico que foi um dos mais citados durante toda a Idade Média. Esse verso é: Sabedoria 11, 21, esse verso diz: que “ Deus dispôs tudo com medida, quantidade e peso”. Daí a ciência ter conseguido tanto êxito por crer que vivemos num universo ordenado. É tudo matemático e ordenado de acordo com padrões. Por isso Santo Agostinho (354-430), já afirmava: “Deus é um grande Geômetra.”

      http://santos-ou-nada.blogspot.com.br/2012/05/igreja-catolica-e-contra-ciencia-53.html

       

      Não confunda a falta de senso moral, ético, humano que os cientístas atuais utrapassam para atingir seus ideais. A Igreja está em constante harmonia com a ciência e sempre estará ligada com o bem comum de toda a humanidade.

      Pax

  5. LANDELLGÊNIO

    Entre Toupeiras Funcionais, Infiéis Endemoniados e Imbecis Governamentais

    Tudo está documentado por patentes, manuscritos, noticiário da imprensa no Brasil e no exterior e testemunhos.

    Por ironia do destino, embora seja um dos maiores gênios dos séculos XIX e XX, por suas invenções e atuação científica, Landell de Moura, gaúcho de Porto Alegre nascido no dia 21 de janeiro de 1861, é ignorado em seu próprio País, onde as crianças continuam aprendendo que o inventor do rádio foi o italiano Guglielmo Marconi.

    Com o conhecimento teórico e a inquietude dos que estão à frente de seu tempo, Roberto Landell de Moura transmitiu a voz humana à distância, sem fio, pela primeira vez no mundo.

    Foi também pioneiro ao projetar aparelhos para a transmissão de imagens (a TV) e textos (o teletipo).

    Previu que as ondas curtas poderiam aumentar a distância das comunicações e também utilizou-se da luz para enviar mensagens, o princípio das fibras ópticas.

    UMA RÉPLICA CONSTRUIDA COM BASE NOS DESENHOS ESQUEMÁTICOS QUE ESTÃO ANEXADOS NA PATENTE AMERICANA DE LANDELL

    As pioneiras transmissões de rádio aconteceram no final do século XIX, ligando o alto de Santana – o Colégio Santana – à emblemática Avenida Paulista, que hoje abriga diversas antenas de emissoras de rádio e de TV.

    TRANSMISSOR DE ONDAS DE LANDELL DE MOURA

    TRANSMISSOR-RECEPTOR DE SINAIS TELEGRÁFICOS

    Mesmo tendo patenteado o rádio no Brasil (1901), Landell não obteve reconhecimento e decidiu, então, viajar para os Estados Unidos, onde conseguiu, em 1904, três cartas patentes.

    WAVE TRANSMITERS

    Transmissor de Ondas | Pat. N.771.917 de 11 de Outubro de 1904.

    WIRELESS TELEGRAPH

    Transmissor e Receptor de Telegrafia Sem Fio | Pat. N.775.846 de 22 de Novembro de 1904.

    WIRELESS TELEPHONE

    Telefone Sem  Fio | Pat. N.775.337 de 22 de Novembro de 1904.

    De volta ao Brasil, Landel quis fazer uma demonstração das suas invenções no Rio de Janeiro, mas, por um erro de avaliação, o Governo não lhe deu a oportunidade.

    Depois, ‘forçado’ a abandonar as experimentações científicas, morreu no ostracismo e o Brasil importou tecnologia para entrar na era das radiocomunicações.

    O PAROQUIAL ATRASO DOS DIABOS SERIA CÔMICO SE NÃO FOSSE TRÁGICO

    As experiências do padre Landell não sensibilizaram autoridades e nem patrocinadores e, para piorar, um grupo de fiéis achou que o padre ‘falava com o demônio’ e destruiu seus equipamentos.

    O PAI DA RADIOTELEGRAFIA (CENTRO)

    Ao transmitir a voz humana, Landell se diferenciou de Guglielmo Marconi, o cientista italiano que inventou o telégrafo sem fios – a transmissão de sinais em código Morse – e não o rádio tal como o conhecemos.

    MARCO AURÉLIO MOURA RECONSTRUIU A INVENÇÃO DE LANDELL

    [video:http://youtu.be/sBjXJLpQlqk%5D

  6. Doidão

    Escrevendo de memória (posso cometer algumas gafes):

    Landell de Moura chegou a procurar o comando militar brasileiro de modo a obter dois navios que pudessem distanciar-se o suficiente para testar o alcance do invento. Quando perguntaram-lhe para que queria os navios, disse que queria instalar e testar um equipamento que, no futuro, permitiria que o homem falasse inclusive com outros planetas. Foi a conta! Maluco! Doido! Foi ignorado…

    O Titanic foi um dos primeiros navios a receber o equipamento, vendido e instalado por Marconi.

    • Titanic

      Marconi recebeu o Prêmio Nobel de Física pela invenção do rádio – um marco da civilização – em 1909.

      Mas, de imediato, muitos telegrafistas renitentes não concordavam em instalar telégrafos em embarcações.

      Essa postura mudaria, radicalmente, quando, em 1912, o Titanic naufragou, em apenas 3 horas, e uma mensagem de SOS ajudou a salvar cerca de 700 passageiros.

  7. O Motor Movido a Água

    O regime franquista, pressionado por grandes potências, ‘esqueceu’ este invento.

    Muitas invenções e realizações foram dizimadas por interesses comerciais ou políticos e dispositivos surpreendentes, criados para propiciar uma vida melhor, nunca vieram à tona.

    [video:http://youtu.be/5SIGff-cizE%5D

  8. DESCUBRIMIENTOS INCOMODOS

    DANIEL DINGEL

    Daniel Dingel foi condenado en 2008 a 20 años de cárcel por hacer funcionar su auto con agua.

    PAUL PANTONE

    Paul Pantone, encerrado en un psiquiátrico tras la fabricación de otro propulsor similar.

    STANLEY MEYER

    Stanley Meyer que, según los rumores, fue envenenado tras manejar su auto con agua.

    ARTURO VARELA

    Fabricó un motor que funcionaba con agua y un mineral nunca desvelado.

    Durante la primera crisis del petróleo, los países no productores de ese combustible como España sufrieron las peores consecuencias. Ante la escasez de crudo, en el país hispano surgieron muchas ideas para reducir su consumo, ya que su precio estaba por las nubes. Una de estas ideas fue un invento que se ha hecho más famoso con el paso del tiempo tras la sospechosa desaparición de su inventor.

    Arturo Estévez Varela creó un motor que funcionaba con agua y un mineral secreto, pues nunca desveló el nombre, que al hacer combustión conseguía mover los vehículos. El inventor se jactaba durante las conferencias realizadas. Bebía varios sorbos de agua y el resto lo introducía en el motor. Ante la incredulidad de los espectadores, la motocicleta arrancaba.

    En realidad, el mecanismo producía hidrógeno para alimentar el motor gracias a un proceso químico entre el agua y el mineral, que estudios posteriores deducen que podría ser boro o paladio. Por esto, varios analistas creen que Estévez fue un adelantado a su época al construir un rudimentario motor de hidrógeno que erróneamente tituló “de agua”.

    En 1970, Arturo Estévez ya había recorrido varias ciudades dando conferencias y haciendo demostraciones de su invento. También había participado en todos los medios de comunicación mostrando el artilugio ante un notario. Así que patentó el propulsor en la ciudad de Sevilla y decidió ceder la patente al estado español para beneficio de todos los españoles.

    [video:http://youtu.be/ThxPBj-5C0U%5D

    Sin embargo, España nunca lo comercializó. Es más, en la Oficina de Patentes y Marcas del Ministerio del Interior español no se encuentra la documentación de este registro ni existe referencia alguna. Sólo la familia de Estévez posee las copias como una “reliquia familiar” pero no se han preocupado de remover el asunto.

    A partir de este momento es cuando nace el mito. Tras la cesión de la patente nunca se supo más de Arturo Estévez. Su hijo aseguró hace unos años en Televisión Española (TVE) que siguió viviendo en Sevilla hasta su muerte hace más de 20 años.

    Como Arturo, varias personas han tratado a lo largo de la historia de promover y vender motores ecológicos sin éxito alguno. Para los amantes de las conspiraciones, estos sucesos son algo extraños y creen que el lobby del petróleo, las grandes empresas y los políticos están detrás.

    Algunos inventores que sufrieron las consecuencias de sus creaciones ecológicas fueron Daniel Dingel, un filipino condenado en 2008 a 20 años de cárcel por hacer funcionar su auto con agua; Paul Pantone, encerrado en un psiquiátrico tras la fabricación de otro propulsor similar; o Stanley Meyer que, según los rumores, fue envenenado tras manejar su auto con agua.

    En la actualidad, se sigue trabajando en conseguir motores de hidrógeno rentables. De hecho, de forma experimental ya funcionan autobuses con hidrógeno y pilas de combustible en algunas de las grandes ciudades europeas.

    Do Todos Autos com imagens da Internet

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome