Os 110 anos do último combatente da 1º Guerra

Da Folha.com

Último combatente vivo da Primeira Guerra completa 110 anos

Folha.com

DA BBC BRASIL

Cego e praticamente surdo, Choules não está muito animado com o seu 110º aniversário, segundo seus filhos

O britânico Claude Choules, tido como o último combatente vivo da Primeira Guerra (1914-1918), completou 110 anos nesta quinta-feira.

Choules entrou para a Marinha do Reino Unido com apenas 14 anos e testemunhou, em 1918, o afundamento da esquadra alemã em Scapa Flow, um braço de mar localizado nas Ilhas Orkney, no norte da Escócia.

Pouco antes da Segunda Guerra (1939-1945), o britânico emigrou para a Austrália, e passou a trabalhar para a Marinha do país.

Nadia Monteith/APego e praticamente surdo, Choules não está muito animado com o seu 110º aniversário, segundo seus filhos

Choules vive atualmente em uma clínica na cidade de Perth.

“Alguém tem que ser o último, por que não eu?”, disse ele, 18 meses atrás, em uma entrevista ao correspondente da BBC na Austrália Nick Bryant.

Cego e praticamente surdo, Choules não está muito animado com o seu 110º aniversário, segundo seus filhos. A família do veterano afirma que fará apenas uma pequena comemoração em Perth.

Além de ser o último combatente vivo da Primeira Guerra, Choules também é considerado o britânico mais velho.

A britânica Florence Beatrice Green, hoje com 110 anos, é a única outra pessoa viva que participou da Primeira Guerra. Ela entrou para a Força Aérea Feminina britânica em 1918, onde servia como garçonete.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora