10 comentários

      • Olá!
        Lenita,
        minha formação profissional é em Humanas. E um preceito e conceito básico que deve ser observado, em se tratando de equipes de alto desempenho – caso dos articulistas deste blog – é o de valorização dos colaboradores e especialistas. Há um programa, bastante efetivo da área de RH que, a despeito das variadas denominações conforme cada empresa, consiste basicamente do reconhecimento e valorização da “prata da Casa”.
        Nassif tem um conjunto capaz, coeso, diverso e brilhante de articulistas, colaboradores, e porque não lembrar, membros. Estes fazem, junto com o blogueiro, a massa e dão a liga que atrai a este sítio a audiência que presenciamos todos os dias.
        Sendo assim, é no mínimo razoável, que a “prata da casa” seja acompanhada, observada e prestigiada sempre que possível e quando necessário.
        Não, não tenho procuração nem do LN nem do Sergio Saraiva e não falo por eles, claro! Esta é somente a minha visão e a contribuição que minha experiência permite. O colaborador que não se sente valorizado, principalmente em áreas de conhecimento intensivo, vai em busca de outros portos se percebe que sua contribuição não é valorizada pelo uso, nem apreciada (não necessariamente com concordância) pelo conteúdo.
        Tenho esta postura: observar e identificar o que há de bom, elogiável, positivo e estimular e reforçar. Crítica quando cabe e sempre embasada e sem agressão. (de)Formação Profissional. Esta tem sido minha atitude com todos que publicam e comentam aqui, porque eu sou assim. Não sei ser de outro jeito. Por isso fiz referência ao post do Sergio, uma vez que já o tinha lido em seu blog e sabia que havia a postagem. Talvez LN nem goste muito, mas tem umas coisas de que não gosto também…

        Abraço Amiga.

  1. Mossack

    Foi publicado aqui outro dia uma excelente matéria do portal Vice, sobre uma empresa chamada Mossack Fonseca, que teria particapação na empresa Venit, que aparece como proprietária dessa casa dos Marinho.

    Curiosamente a mesma empresa teria participação na tal Murray, real dona do triplex do Guarujá. Curiosamente o assunto esfriou na mídia.

  2. “Mudança de ares”… e

    “Mudança de ares”… e mudança de assunto na grande mídia é o que propõe a charge irônica de La Laerte, com sua “permuta”. Além de ser corajosa na vida pessoal e pública, Laerte é o mais genial dos desenhistas brasileiros, pelo traço preciso e elegante, e pela inteligência e sensibilidade. Foi também o único macho que trabalha na grande mídia.

    PS: vi agora que o excelente Aroeira (que publicou no mesmo dia seu cartum) também honra as calças que veste, assim como Laerte honra as saias.

  3. de como a profundidade

    de como a profundidade freudiana-lacaniana e historica do laerte e sua obra embolsaram 

    a mesquinharia patológica dos frias e doscarusos e sucedaneos submissos

    a pautas e pensamentos infames de seus  chefetes e patrões….

    é um milagre da arte em sua mais profunda essencia –

    cabe várias interpretações, incluisive esta. a de que a casa grande

    apodrece em suas bases tentaculares…. 

  4. Se o Movimento dos Sem Teto

    Se o Movimento dos Sem Teto ocupar este triplex, vira notícia.

    Quem se apresentará como proprietário do imóvel?

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome