Inflação oficial desacelera e atinge 0,35% em junho

Variação no primeiro semestre atinge 4,42%; alta em 12 meses é de 8,84%

Jornal GGN – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrou o mês de junho em alta de 0,35%, menos da metade da variação vista em maio (0,78%) e o menor patamar para o mês desde 2013, quando o total foi de 0,26%. Os dados foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em junho de 2015, o IPCA registrou 0,79%.

Com isto, a inflação oficial encerrou o primeiro semestre do ano com um ganho acumulado de 4,42%, bem abaixo dos 6,17% registrados em igual período de 2015. Na últimos doze meses, o índice desceu para 8,84%, enquanto se situava em 9,32% nos doze meses imediatamente anteriores.

Sete dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados mostraram desaceleração na taxa de crescimento, na passagem de maio para junho. Apenas Transportes (de -0,58% para -0,53%), cuja queda foi menos intensa, e Comunicação (de 0,01% para 0,04%) apresentaram resultados superiores aos de maio.

Embora tenha perdido força na avaliação mensal, o grupo Alimentação e Bebidas (de 0,78% em maio para 0,71% em junho) foi responsável por 0,18 ponto percentual (p.p.) do IPCA, a maior contribuição entre os grupos. A categoria respondeu por 60% do IPCA do mês, devido aos avanços dos itens feijão-carioca, com o preço do quilo 41,78% mais caro; e o leite longa vida, com o custo do litro subindo 10,16%.

A despesa com habitação desacelerou de 1,79% em maio para 0,63% em junho. Um dos destaques foi o item taxa de água e esgoto, que apresentou variação de 2,64% (abaixo dos 10,37% de maio), tendo em vista as pressões exercidas por Salvador (7,98%), com reajuste de 9,98% em vigor a partir do dia 06 de junho; Brasília (7,69%), onde ocorreu reajuste de 7,95% em primeiro de junho; Belo Horizonte (5,57%), com reajuste de 13,90% vigente desde 13 de maio, além da revisão na estrutura tarifária praticada pela empresa de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da região; e São Paulo (3,25%), com reajuste de 8,40% desde 12 de maio.

Leia também:  IPCA de dezembro totaliza 1,35%, segundo IBGE

Apesar de não ter apresentado queda, o item energia elétrica, com variação de 0,05%, refletiu os resultados de Curitiba (-2,58%), com redução na tarifa de 13,83% em 24 de junho, Porto Alegre (-0,75%) com redução de 7,50% em uma das concessionárias em 19 de junho e Belo Horizonte (3,26%), com aumento de 3,78% em 28 de maio. Além disso, em oito das 13 áreas pesquisadas houve redução nas alíquotas do PIS/COFINS, ao passo que nas demais foi registrado aumento.

Os outros grupos apresentaram os seguintes resultados: artigos de residência (de 0,63% para 0,26%), vestuário (de 0,91% para 0,32%), saúde e cuidados pessoais (de 1,62% para 0,83%), despesas pessoais (de 1,35% para 0,35%) e educação (de 0,16% para 0,11%).

Sobre os índices regionais, o maior foi registrado na região metropolitana de Belo Horizonte, com 0,66%, por conta da taxa de água e esgoto (5,57%), que refletiu o reajuste de 13,90% vigente desde 13 de maio, além da revisão na estrutura tarifária praticada pela empresa de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da região. Além disso, as contas de energia elétrica aumentaram 3,26%, tendo em vista o reajuste de 3,78% no valor da tarifa em vigor desde 28 de maio. O menor índice foi o de Porto Alegre, com queda de 0,02%.

Em nota, o economista-chefe da consultoria Infinity Asset Management, Jason Vieira, diz que o resultado da inflação oficial frustra expectativa de corte dos juros. “Juntamente ao IGP-DI, o qual também se manteve praticamente dentro das projeções médias dos analistas, mesmo este IPCA dificulta em as tentativas do governo retomar o afrouxamento monetário, mesmo que a atividade econômica atual dê abertura ao processo”, diz Vieira. “Ainda se firma a tendência de manutenção da atual taxa Selic, até que sejam dissipadas também as pressões advindas do atacados, as quais ameaçam as projeções futuras de preços ao consumidor”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome