Brasil desperdiça 40% da água de que dispõe para uso, por causa da ineficiência operacional

Jornal GGN – O Brasil desperdiça 40% da água de que dispõe para uso, por causa da ineficiência operacional das concessionárias de saneamento. É o que revela um estudo divulgado nesta quinta-feira (27) pela consultoria GO Associados, a pedido da International Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial.

Segundo o levantamento, os prejuízos são provocados por perdas de água, devido, principalmente, a fraudes, furos na tubulação e a deficiências operacionais. O estudo aponta ainda que a ineficiência energética também causa prejuízos, já que a energia é o principal insumo nos custos das empresas de saneamento.

A consultoria sugere que, se houvesse um esforço nacional para reduzir as perdas de água e aumentar a eficiência energética, os ganhos potenciais poderiam chegar a R$ 37 bilhões até 2025, com redução de 50% das perdas correntes. Mesmo com uma diminuição menor das perdas, de 25 % até 2025, os ganhos chegariam a quase 21 bilhões de reais, conclui.

Para o IFC, os modelos atuais de contratação de programas de redução de perdas não têm sido eficientes.”É preciso desenvolver modelos que auxiliem as concessionárias a financiar seus investimentos em redução de perdas”, afirmou, em nota, à revista Exame, o executivo sênior da IFC, Rogerio Pilotto. 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Águas cercadas: como o agronegócio e a mineração secam rios no Brasil

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome