Pesquisa científica tem queda histórica no orçamento e sofre com desmonte de Temer

pesquisa_cientifica_-_cecilia_bastos_usp_imagens.jpg

Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Da Rede Brasil Atual

 
Diretor do Andes, Epitácio Macário conta que verba destinada para o setor caiu a menos da metade do que era em 2010. “Estamos regredindo a um patamar inferior ao que era nos anos 90”, afirma

De acordo com o diretor do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) Epitácio Macário, a pesquisa nacional sofre com problemas orçamentários e o desmonte do setor traz um “prejuízo incalculável” para a população. Em entrevista à Rádio Brasil Atual, Epitácio diz que o Brasil está regredindo décadas.

“O orçamento federal destinado para o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações é menos da metade do que tínhamos em 2010. Na área de ciência e tecnologia estamos regredindo a um patamar muito inferior ao que era nos anos 90, pela falta de recursos”, afirma o pesquisador.

O diretor do Andes questiona o setor de pesquisas que, segundo ele, está seguindo uma linha de raciocínio mercadológica, motivado pelo desmonte das verbas públicas. “Com essa ideologia da vinculação de toda a produção de ciência e tecnologia ao mercado, os interesses das empresas passam a pautar a agenda de pesquisa do Brasil. Por conta disso, deixam de fora da pesquisa os grandes problemas da população, como as endemias”, critica.

Ao falar do programa Ciência Sem Fronteiras, que sofreu cortes do governo de Michel Temer no começo deste ano, Macário diz que a produção científica deve ser feita em benefício do Brasil, o que é difícil no atual momento do país. “Com a crise política do Brasil, houve o fim do programa, ele saiu da agenda do atual governo. O programa poderia ter sido aperfeiçoado, mas um governo que não tem formação democrática jamais faria isso; pelo contrário, cortou isso.”

Ouça:

Assine

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

9 comentários

  1. O que não faltou foi

    O que não faltou foi professor universitário querendo a cabeça da Dilma por causa da “corrupiçãodoPetê”…. Agora, que se lasquem,,,, Idiotas.

    O Brasil é um país realmente incomum. É o único país do mundo em que gente com diploma de nível superiror estuda sem conseguir deixar de ser tapado e burro. E o pior: se acham sabidos sendo teleimbecilizados pela Globo….

    Deu no que deu.

    • Concordo

      Concordo e assino embaixo.

      Já vi professores universitários fãs do Bolsonaro, contra a “ideologia de gênero” nas escolas e anti-PT de carteirinha.

      E eles vivem de dinheiro federal, verba para pesquisa federal.

      Trabalham em universidades que, se fosse nos tempos do FHC, que eles idolatram, já teriam sido privatizadas ou fechadas.

      São uns masoquistas, gostam de atirar no próprio pé.

  2. uma nação ignorante se

    uma nação ignorante se ajoelha mais fácil…..reclama menos.

    não somos assim.  nossos filhos tb não serão.

     

    sem crime, sem impeachment.

    até a vitória, sempre!

     

  3. Depois do golpe,o caos.

    Depois do golpe, o caos.

    Em qualquer setor ou atividade do país, menos a corrupção que é protegida e tem um presidente como representante pessoal, o desastre já se fez.

    Já é hora de cobrar do golpe e dos golpistas a enorme conta que deixaram, Eles terão que pagar, mesmo ela sendo impagável.

    Depois do golpe, o caos, viu stf?! Foi na onda da globo…

  4. docinho de coco

    O grave mais grave nessa história é ver os mestres e doutores formados na era Lula/Dilma aceitando qualquer emprego.

    Alguns fazem doce brigadeiro para vender. Outros UBER. E uma boa parte trabalha em funções dentro de sua formação. Porém no estrangeiro! Isso mesmo, O Brasil “fabricou” mestres e doutores para entregar de graça para os gringos! Esportamos doutores e importaremos os produtos que eles invertarem para os gringos.

    É a “teoria da dependência” levada às últimas consequências!

  5. Agora Reclamam?

    Quer saber?
    BEM FEITO!!!
    Aqui na minha universidade, e sei que em muitas outras também, a maioria dos professores são COXINHAS REAÇAS e torciam pela queda de Dilma e o fim do PT.
    Ganharam o que pediram.
    Estão reclamando do quê?

  6. Comentário.

    Sem generalizar (antes de qualquer coisa), mas houve quem se esbaldasse em gastos, universidades, departamentos de faculdades dentro das universidades, que nada tinham a ver com pesquisa. Mas esse tipo de atitude é típica de quem passa da pesquisa para a burocracia universitária, abrindo as asas para a superficialidade que tanto um correspondente de um jornal inglês acusou estas paragens em termos de educação e conhecimento.

    E esse lixo acadêmico não é chamado ás falas.

    Foi avisado, contestado (mas é assim, “quem é você para contestar um doutor?”, como se não houvesse estupidez em gente inteligente).

    Depois do golpe de estado, pesquisador achando que sua forma de resistência é pesquisando, ministrando suas aulas… bom, é um comportamento que deve ser revisto.

    Aliás, essa ideia de que a banda deve tocar mesmo com o barco afundando parece ser um comportamento mais generalizado.

    Agora, as universidades, os docentes das universidades precisam rever e fazer uma autocrítica profunda, pois foram vários os avisos.

    O modo de se evitar a angústia alcança limites de uma loucura coletiva.

    Pena mesmo são os pesquisadores honestos, que sofrem todo o tipo de dificuldade (incluindo a competição dos banais que alçam às carreiras burocráticas dentro das universidades e submetem seus colegas competentes a situações de pequenez). São pouquíssimas as universidades privadas que fazem pesquisa de fato (nota: nenhuma CPI sobre isso, nenhuma investigação; no máximo, parecem-se com escolas técnicas superiores e nem possuem estrutura de pesquisa).

    E essa depredação, e esse estupro, não te comove?

     

     

  7. Grandes Intelectuais!

    Cada País tem o Governo que MERECEM!!!! Muitos Cientistas, Bolsistas, Doutores e até PROUNISTAS e FIESistas se esbaldavam de alegria quando desfilavam atrás do PATO AMARELO da FIESP. O GOLPE foi para isto! Estado Mínimo!!! Senhores INTELECTUAIS e ” Grandes Formadores de OPINIÃO” é hora de aprender a dançar a música do NEOLIBERALISMO ( Entreguismo, Venda do País aos GRINGOS )! OK, deem agora os seus pulos!!!!! Boa Sorte!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome