Resultado do leilão da BR-163 é ‘boa notícia’, afirma Dilma

Sugerido por Marco St.

A inacreditável pergunta do repórter de…. O Globo (quem mais?) para a Dilma.

Reparem que no texto a pergunta* não tem “dono”.  Foi repetida em mantra por “repórteres” anônimos…

*Em destaque no texto abaixo

A resposta de Dilma foi à altura…

Do O Globo

‘O modelo é meu’, diz Dilma sobre plano de investimentos no país

Presidente afirma que resultado de leilão da rodovia BR 163 é ‘boa notícia’

SÃO FRANCISCO DO SUL (SC) – A presidente Dilma Rousseff anunciou como “boa notícia” nesta quarta-feira o resultado de leilão de concessão o trecho da BR 163, em Mato Grosso, vencido pela Odebrecht. De acordo com Dilma, houve um deságio de 52%, resultando em um corte de R$ 3 no preço do pedágio. Ao entregar a obra do berço 201 do Porto de São Francisco do Sul, em Santa Catarina, a presidente disse ainda que o país passou 20 anos sem investimentos em infraestrutura e, indagada por repórteres se copiava o modelo de desenvolvimento do PSDB, Dilma respondeu:

— Na hora de se defender, todo mundo tem o direito de falar o que quer. O modelo, meu querido, é meu. Eu não tenho conhecimento de nenhum investimento dessa envergadura antes do meu governo, antes de 2013. Você me mostra aonde — disse ao repórter.* 

*aqui os repórteres voltam ao singular

Para os participantes do evento, a presidente já havia “alfinetado” o governo tucano afirmando que o país voltava a investir “depois de uma paralisia de mais de 20 anos no Brasil”. Sobre o leilão, Dilma afirmou que o deságio vai ajudar o agronegócio a reduzir custos e ficar mais competitivo, já que a BR 163 é importante para o escoamento de grãos.

— Foi muito importante o tamanho do deságio e isso produziu uma tarifa de pedágio muito competitiva, se não me engano de R$ 2,80 ou R$ 2,60. Em todo o caso, é algo extremamente importante para o Brasil — afirmou a presidente, que informou que o preço mínimo do pedágio para o leilão era de R$ 5,80 por 100 quilômetros.

Acompanhada da ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, possível candidata do PT ao governo de Santa Catarina, e dos ministros dos Portos, Trabalho e Desenvolvimento Agrário, Dilma inaugurou a obra do porto de São Francisco do Sul, o sétimo maior do país. A obra consumiu cerca de R$ 34 milhões, a maioria recursos federais. Além do porto, a presidente entregou dez caminhões-caçamba e 59 motoniveladoras para 69 prefeitos da região num custo estimado em R$ 26 milhões. Ao lado do governador Raimundo Colombo (PDT-SC), que deve concorrer à reeleição, Dilma levou cerca de 30 minutos cumprimentando cada um dos prefeitos.

Depois da inauguração, a presidente, os ministros, o governador e outras autoridades participaram de almoço oferecido pelo prefeito de São Francisco do Sul, Luiz Roberto de Oliveira, em um restaurante em um hotel de frente para o mar. Segundo a administração do hotel, 58 pessoas participaram do almoço, em que foram servidos peixes e frutos do mar, a um custo de R$ 95 por pessoa.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. ELAS

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Organiza%C3%A7%C3%A3o_Odebrecht

     

    O primeiro Odebrecht a chegar ao Brasil foi Emil Odebrecht. Ele veio em 1856, no auge da imigração germânica, para o Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Engenheiro formado pela Universidade de Greifswald, na Prússia, participou activamente da demarcação de terras, de levantamentos topográficos e da construção de estradas no sul do Brasil. Casado com Bertha Bichels, teve quinze filhos. Emílio Odebrecht, um de seus netos e pai de Norberto Odebrecht, foi um dos pioneiros no uso do concreto armado no Brasil.

    Em 1918, Emílio Odebrecht, após cursar a Escola Politécnica do Rio de Janeiro, transferiu-se para o Recife, cidade que se modernizava e se expandia com o desenvolvimento da economia canavieira. No ano seguinte, fundou no Recife sua primeira empresa, a construtora Isaac Gondim e Odebrecht Ltda.5 Em 1923, criou a Emílio Odebrecht & Cia., responsável pela construção de várias edificações no período entre guerras, nos estados de PernambucoAlagoasCeará e Bahia. Em 1926, transferiu-se para Salvador em busca de novas oportunidades.

    Com o início da Segunda Guerra Mundial, os materiais de construção, vindos da Europa, tornaram-se caros e escassos, deflagrando uma crise no sector. Desgostoso, Emílio Odebrecht fechou a antiga empresa e retirou-se dos negócios.

    Coube ao seu filho Norberto Odebrecht, nascido no Recife e formado pela Escola Politécnica da Bahia, substituí-lo e fundar a Construtora Norberto Odebrecht, na primeira metade dos anos 40. Em 2005, a empresa montou uma exposição na sede da empresa em Salvador com imagens e histórias da sua trajectória de sucesso nacional e internacional. É a maior empresa de Construção Civil do Brasil e a melhor para se trabalhar segundo a Revista Exame.[carece de fontes]

     

    19441945Norberto Odebrecht estabelece uma empresa de propriedade privada, o marco de fundação do Grupo Odebrecht. A empresa se torna a Norberto Odebrecht Construtora Ltda.19571965: Norberto Odebrecht paga todas as dívidas pertencentes a Emílio Odebrecht & Cia (empresa de seu pai). A empresa muda seu nome para a Construtora Norberto Odebrecht SA.19701973: É criada a Fundação Odebrecht, focado no fornecimento de prestações de segurança social aos trabalhadores da Odebrecht. Além disso, a Odebrecht compromete-se em grandes projetos de construção na região sudeste do Brasil.

    NB: todo mundo sabe que foi nos anos de chumbo que despontaram estas corporações, as então de um certo modo chamadas irônica e popularmente  de “empreiteiras”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome