Com Janot, Brasil volta a ser destaque em Davos, agora por causa da Lava Jato

Jornal GGN – O procurador-geral da República Rodrigo Janot foi convidado pela organização do Fórum Econômico Mundial de Davos para palestras durante dois dias do evento que ocorre na Suíça, a partir de 15 de janeiro. Segundo o Estadão, o Brasil vinha perdendo protagonismo em Davos desde que Lula saiu da presidência da República.

Agora, Janot terá a oportunidade de falar sobre corrupção aos olhos do mundo, por conta da Lava Jato. Ainda de acordo com o jornal, “empresários e políticos estrangeiros” estão interessados “sobre qual será o desdobramento do combate à corrupção no Brasil”. Países como Estados Unidos, Suíça e Peru já firmaram acordos para receber multas da Odebrecht, entre outras ações decorrentes da operação na Petrobras.

Por Jamil Chade

No Estadão

Fórum de Davos convida Janot para falar de corrupção

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, será um dos convidados especiais na edição deste ano do Fórum Econômico Mundial de Davos diante do interesse da comunidade internacional, empresários e políticos estrangeiros sobre qual será o desdobramento do combate à corrupção no Brasil.

Janot viaja no dia 15 de janeiro e tem três palestras programadas. Na Suíça, nos dias 18 e 19, ele vai falar da luta contra a corrupção, participar de um seminário sobre “lideranças” e discutir cibercriminalidade.

A opção de Davos por dar um tratamento especial a Janot marca uma mudança profunda no tom adotado pelo Fórum em relação ao Brasil, que por anos foi considerado como o “queridinho” do evento nos Alpes. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a receber um prêmio de estadista do ano dos organizadores. Mas, sob a gestão de Dilma Rousseff, a participação brasileira no encontro foi reduzida. A presidente cassada resistiu em diversas ocasiões a participar do Fórum e, nos últimos anos, o País havia passado a fazer parte de um time de segundo escalão no evento.

Leia também:  Ex-procurador da Lava Jato pede "Fora Bolsonaro"

Além de Davos, Janot vai se reunir com o procurador-geral da Suíça, Michael Lauber. Segundo o Estado apurou, um das intenções é traçar objetivos comuns para uma segunda fase de investigações da Operação Lava Jato relacionadas às mais de mil contas bloqueadas pelos suíços.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

20 comentários

  1. será q ele  vai flar sobre o

    será q ele  vai flar sobre o processo, q tá na mão dele, sobre a irregularidade do impechment sem crime, aprovado na camara dos deputados?

     

    esse deve ser o primeiro da fila(SIC) pra decidir, pela importância pra toda nação brasileira…..

     

    e aê JáNota, vai ou racha?

  2. É natural que um dos líderes

    É natural que um dos líderes da ditadura midiática e judicial que nos infelicita desde o início de 2016 seja apresentado aos representantes da Shell, Chevron, Bechtel e outras grandes petrolíferas e empreiteras norte-americanas e europeias .

    Ou vocês acham que depois dele batalhar durante anos, fazendo constantemente a ponte aérea Brasili-Washington, não mereça participar deste importante encontro com líderes do capital predador internacional ?  

  3. Não entndi. O nassif afirmou

    Não entndi. O nassif afirmou que em um governo sério futuro ele será chamda para explicar sua relação com a cia.

    Alguem ainda acredita no combate a corrupção que exclui o serra e o aécio? 

    • Duvido. Quando houver esse

      Duvido. Quando houver esse governo sério Futuro, ele já estará morto há muito tempo. Se duvidar, vai ser coisa para o neto dele ver…

  4. ensinando ao poderosos como se safar…..

    No País com as maiores lavanderias do mundo, banqueiros e empresários normalmente sócios e cumplices da politica na corrupção, o convidado para uma palestra vai explicar de como o mpf é o mais importante dos poderes para a impunidade das casas grandes.

    Janota, as tuas malandragens serão bem aproveitadas.

  5. Que merda,logo o Janot p
    Que merda,logo o Janot p explicar o “combate”a corrupção,vai ser pura hipocrisia e manipulação,seria interessante o Lulão ir lá tb para fazer o contraponto,aí o “chicote estralava!”
    Obs:Se eu fosse o Lula,bateria na porta de Davos p participar na cara dura,já q ele foi premiado, não perderia isso por nada,mas como não sou ele fico só no palpite aqui no ggn(é uma boa idéia vai!)

  6. É algo bem estranho um

    É algo bem estranho um representante da atividade repressiva participar de um forum que visa a prosperidade.

    O Brasil está se tornando uma especie de Bienal de malfeitorias e exotismos, faz lembrar quando os decobridores portugueses levavam indios para mostrar nas cortes europeias.

    • Nem tão estranho, André.

      Nem tão estranho, André.  Afinal a Lava Jato foi muito lucrativa pro povo de Davos, que na reunião anterior já tinha “previsto” que o Brasil ficaria baratinho. E FICOU. Nada mais natural, portanto, do que conceder um mimo,   uma honraria aos agentes nativos. Algo assemelhado à inclusão de nomes na lista dos mais poderosos da terra, um “agrado” feito ao juiz de Curitiba, tão sem sentido qto a inclusão em outros tempos da Marina Silva entre as 50 pessoas capazes de salvar o planeta.

      Enfim, nosso PGR vai à Suiça expor orgulhoso os feitos da sua equipe e os barões em Davos vão fingir que estão impressionados. Depois do teatrinho, tudo volta ao seu devido lugar.

  7. A nova tradable tipo exportação brasileira

    Taí a consolidação da nova commodity exportadora brasileira: moralismo radical corporativista institucional.

    Depois de Dallagnol ter aberto as fronteiras, agora é a alta instância do MP a consolidar o atestamento de boa qualidade do novo produto exportável. Será muito interessante ver a reação dos partícipes usuais do setor privado no Forum, assim como a das  altas liderancas dos grandes países, na aceitabilidade do modelo accountability adentrado no Brasil. Certamente, dentro dos intentos almejados ao vender esse produto, está a busca de novos acordos de cooperação internacional.

  8. A novela continua, agora no

    A novela continua, agora no âmbito internacional. Davos será o local do festival da Pós Verdade. Se fosse nos anos 50 diria que Janot, Temer, FHC, Moro, Doria, seriam a representação máxima de sucesso baseado naquele livrinho de auto ajuda “Como fazer amigos (mui amigos) e influenciar pessoas (mas só se tiver a globogolpe e EUA como apoio técnico). Perfeito!

  9. Destaque?

    Os gringos milionários compram justiça pelo mundo a fora!

    Os que eles querem é comprar ativos brasileiros por uma pechincha e ter a garantia que não terão seu rico dinheirinho confiscado…

    Se fosse para para falar de justiça eles chamariam outras pessoas…

    E eles estão de olho no bazar de usados que a elite vai vender na bacia das almas…

    Qual a vantagem de vender para gringo?

    O dinheiro, os 5% é depositado lá fora mesmo, às vezes num banco na rua da casa dos compradores!

    O MP e PF nem ficam sabendo…

    País de trouxas…

  10. Tem que ser homenageado

    Tem que ser homenageado mesmo!  Não é qualquer procurador geral da república que franqueia e destrói a economia do seu país em nome do combate à corrupção. Os beneficiados pela traição a pátria e canalhice de Janot estão todos lá para aplaudi-lo.

  11. Fiquemos atentos a fala de
    Fiquemos atentos a fala de Janot,se falar mal de Lula,é a prova q está começando uma campanha difamatória contra ele no exterior,visto q há um movimento aqui para q Lula se projete internacionalmente,e será a prova q este blog é forte no mundo virtual já q os movimentos iniciais começaram aqui,esperemos pra ver!

  12. Davos: a ânsia de paralizar o

    Davos: a ânsia de paralizar o desenvolvimento do Brasil e de suas empresas (afinal suas concorrentes) motiva a ida do entreguista e lesa-pátria Janot

  13. Algo me diz que este

    Algo me diz que este “convite” tem uma certa quantidade de publicidade que Davos gostaria de dar a Janot e a LavaJato. Provavelmente o fórum deve estar muito interessado na experiência brasileira a ponto de querer exportá-la para outras partes do mundo.

  14. De um país de estupidos não

    De um país de estupidos não se poderia esperar nada diferente,

     

    em vez de exaltar as qualidades do país mandamos uma autoridade paga com dinheiro publico ir a um evento internacional para execrar a imagem do país, vergonhoso, como se esses senhores não gostassem de uma bela propina, afinal, se não existisse como acumulariam as suas fortunas??????

  15. Ele não é bobo.

    Ou vai deixar tudo nas mãos do Aécio , Serra, Parente, FHC, etc.

    Ele quer a sua parte, portanto irá p/ mostrar a sua importantíssima participação, perante os estrangeiros.

  16. Seria interessante falar sobre os supersalários e abusos de juíz

    Seria interessante que o Janot falasse também sobre as denúncias seletivas, os supersalários dos juízes e dos Promotores bem como do abuso das autoridades.

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome