Operação “Pessoas Educadas” na Crimeia

Sugerido por Almeida

Filmagens da operação de tomada da Criméia pelas forças especiais russas. A república autônoma, agora integrada na Federação Russa, tem mais de dois milhões de habitantes, abrigava pelo menos trinta mil soldados ucranianos, poucos tiros foram disparados e ninguém foi morto; com essas considerações, pode-se dizer que a operação foi de imenso sucesso.

http://www.youtube.com/watch?v=DxfMbi0aCvM

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  TV GGN 20hs: é hora de se falar a sério do impeachment de Bolsonaro

14 comentários

  1. Se os EUA invadissem o Canada

    Se os EUA invadissem o Canada ou o México para anexá-los ao seu terrítorio, seriam chamados de imperialistas, mas como é a Rússia é, apenas, uma operação de “salvação” de um povo oprimido.  Na verdade, é o mesmo discurso usado pela antiga União Soviética quando da invasão , e anexação do território, da Tchecoslováquia  em 1968

    Enfim, tudo muito democrático….

    •    E o que dizer do

         E o que dizer do referendum que contou com a participação de 85% dos eleitores da Criméia, decidindo em quase unanimidade (97%) pelo retorno à federação russa? É mero detalhe? Não há registro de participação e resultado tão avassaladores em eleiçoes nos países ocidentais onde o voto é facultativo.

      • Referendum democrático na

        Referendum democrático na Criméia? Você viu? Estava lá? Ou algum orgão internacioanl monitorou o evento? 

        Prezado eu tembém acredito em fada madrinha….

        • Houve um gole na Ucrania. Um

          Houve um golpe de Estado na Ucrania. Um presidente democraticamente eleito foi deposto. A Criméia, uma repulbica autônoma, de maioria etnica russa, decide, democraticamente, se unir a outra federação. Não há motivo para questionar  a validade do referendo e ao mesmo referendar o golpe de estado em Kiev. Aliás, só tem um motivo pra isto: babar ovo do tio sam. 

    • Os EUA já invadiram o

      Os EUA já invadiram o México.

      E já patrocinaram subversão no México.

      Hoje esses assuntos se conhecem  por Texas, Arizona, Novo México e California.

      Em 1956 a Crimeia foi “presenteada” pela Russia à Ucrânia como prova de amizade e laços eternos.

      Hoje a Ucrânia foi derrubada por golpistas que querem levar a OTAN a instalar misseis na fronteira da Rússia.

      A OTAN está semeando a 3ª Guerra e se aproximando cada vez mais próxima da Rússia, incorporando já 12 países à sua aliança, esquecendo suas promessas de manter o equilíbrio.

      Fim da amizade, certo?

  2. Invasões

    Pobre México!

    Tenha dó do México, Orlando. O pobre país já foi invadido uma vez pelos Estados Unidos e perdeu metade do seu territorio. Se for invadido de novo é o fim da linha e as equipes mexicanas não poderão mais disputar a Libertadores da América.

    É melhor citar apenas o Canadá que além de ser muito frio tem suas costas garantidas pela Inglaterra…

     

    • ConfradeVocê tem razão. Algo

      Confrade

      Você tem razão. Algo muito parecido com o que ocorreu em ralação ao Acre, que o Brasil surrupiou da Bolivia numa ocupação de terra alheia na maior cara de pau.

      No entanto, os EUA zoaram com o México no XIX – século do faroeste e de terras “sem” lei. Por outro lado, a Rússia, na maior cara de pau, parte, n a verdade, ocupação armada, prá cima da Ucrânia em pleno século XXI.

  3. Operação ” Pessoas Educadas” na Crimeia.

          Foi  com muita inteligência  que  os grã-russos se movimentaram taticamente  no tabuleiro , revelando , assim , o real discernimento da realidade histórica da Crimeia , que os  ocidentais estadunidenses  e demais países da Europa Ocidental , talvez ignorassem ou confundiam tacitamente com o objetivo de  difundir a versão que melhor acobertasse os intentos da O.T.A.N. . É bom não esquecer que uma grande parte ( ou toda ela? ) da velha mídia ocidental , precisamente a brasileira,escamoteava os números constituintes da região da Crimeia , tentando induzir que muitos ucranianos , 20 por cento , tártaros,10 por cento , e outras minorias  votariam contra  a união à Rússia , cuja  proposta foi  majoritariamente defendida pelos acranianos  russificados culturalmente e pelos  de origem russa .O resultado do referendo foi estoteante para a larga dissimulação dos interesses anti-Rússia : mais de 95 por cento foi favorável a união .

        É  bom lembrar ainda que a diplomacia russa já demonstrara anteriomente em relação à Síria discernimento geoestratégico ante os reais interesses da O.T.A.M .capitaneada pelos E.U.A. e seus aliados europeus , sobretudo a França , e agora mais fortalecida não incorreria em titubeios frente ao que já havia ocorrido no Iraque e na Líbia.

     

     

  4. “Não Durma Minha Terra Natal”

    O ‘Hino da Revolução Laranja’ foi uma das músicas mais cantadas na Praça Euromaidan

     

    Eu vou te dizer onde há incríveis jardins em flor

    Onde a noite prateada treme nas águas escuras. 

    A borda distante é o caminho mais difícil, 

    Até o predatória noite ao redor de Kruzhlya. 

     

    Não durma, minha terra natal 

    Desperta, minha Ucrânia! 

    Abra seus olhos para a luz de estrelas distantes! 

    Este olhar para céus escurecidos por poetas mortos e heróis

    E todos que colocaram as suas vidas para o seu futuro.

     

    Há apenas duas maneiras

    Uma leva para o inferno 

    Outro caminho leva para um lugar

    Onde o mundo vai encontrar este caminho

    Escute o seu coração

    O seu coração sabe como encontrá-lo! 

     

    Vou falar sobre um sonho dourado 

    Que arde como fogo apaixonado no meu coração. 

    Oh borda feliz de pessoas alegres, 

    Onde a vida desafia a morte. 

     

    Não durma minha terra natal!

    Acorda minha Ucrânia

    Abra os olhos para a luz de estrelas distantes 

    Este olhar baixo para o céu de poetas mortos e heróis

    E todos aqueles que acreditam no futuro brilhante de vocês.

     

    Não durma minha terra natal!

    Não durma minha terra natal!

     

    [video:http://youtu.be/INy-_FEtF4s%5D

    • Propaganda impecável faz

      Propaganda impecável faz parte do investimento.

      Cadê o ouro do país?

      E porque proibir metade do povo de falar sua língua materna?

  5. Incrível como os “Orlandos da

    Incrível como os “Orlandos da vida” aceitam que na Ucrânia, onde um governo legítimo (porque eleito) foi desfeito literalmente no tapa, ocorreu a chegada da “democracia ocidental” trazida por “manifestantes pacíficos”. Hoje acham que as manifestações no leste da Ucrânia (e até as da Criméia) sejam “ações de terroristas sectários”, como começou a nominar ontem a Rede BANDida. No Kosovo a OTAN cumpriu a “obrigação de proteger”. Porque o que a Russia fez na Criméia (e vai acabar tendo de fazer no leste da Ucrânia) seria outra coisa? Quanto morreram pro “ocidente” libetar o Kozovo? Quantos morreram la liberação da Criméia? Notou a diferença “Orlandos”. Nem tudo e de todo bom (o “ocidente”) nem de todo ruim (a “russo”). Quem VIVE LÁ (na Criméria e no leste da Ucrânia) sabe muito melhor que a “mídia ocidental” (a brasileira então!) quem lhes servirá melhor à espectativa de vida, o “Ocidente” ou a “Russia”. Leia as notícias mas reserve-se de opinar sobre o melhor pra aqueles povos. Você, Orlando, assim como eu não o sabemos.   

  6. Burger King entra no mercado da Crimeia.

    É o capitalismo. Surprende até seus mais agudos críticos. As pessoas esquecem que o capitalismo existe para ganhar dinheiro, o negócio é acumular; sua ideologia é o dinheiro quem dá; e nada de ideologias como russofobia, por exemplo, se estas aparecem para atrapalhar os negócios.

    Na deixa do anúncio da Mc Donalds de se retirar da Crimeia,  Burger King foi ao posto. Leiam e ouçam a matéria:

    Burger King entra no mercado da Crimeia
     

    [video:http://www.youtube.com/watch?v=70rc5lG5BIU%5D

    A cadeia de “fast-food” norte-americana Burger King prepara-se para entrar no mercado da Crimeia. O anúncio foi feito pelo presidente executivo da Burger King Rússia.

    O grupo possui mais de 12 mil restaurantes no mundo, 200 dos quais na Rússia. Mas ainda não estava presente na Crimeia, anexada nas últimas semanas por Moscovo.

    A Burger King faz assim o percurso inverso do rival e líder de mercado McDonald’s, que, no início de abril, anunciou o encerramento, temporário, das suas atividades em cidades da Crimeia.

    Os funcionários foram aconselhados a candidatarem-se a restaurantes do grupo na Ucrânia.

    Fonte: http://pt.euronews.com/2014/04/10/burger-king-entra-no-mercado-da-crimeia/

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome