Os sem-teto hotspots ambulantes

De Marcos Guterman / Blogs Estadão

Uma ideia “brilhante”: os sem-teto hotspots

Uma empresa de marketing americana bolou uma iniciativa “humanitária” interessante: transformou sem-teto em hotspots para uso de internet sem fio. Os despossuídos recebem o equipamento e o oferecem na rua a quem pretende se conectar. O cliente paga uma pequena taxa a título de colaboração – o site do empreendimento sugere US$ 2 por 15 minutos de navegação.

A empresa, chamada BBH, compara os hotspots ambulantes aos vendedores de jornal de antigamente – numa versão brasileira, seriam os famosos “homens-placa”.

Abaixo, segue um vídeo com Clarence, um hotspot 4G:

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome