Paradise Papers expõe Lemann, Rainha Elisabeth, ministros de Temer e Trump e astros

Foto: AFP
 
 
Jornal GGN – Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil – possui uma fortuna de aproximadamente 30 bilhões de dólares – está ligado a 20 offshores em paraísos fiscais. O Paradise Papers expôs também os ministros do governo Temer Blairo Maggi e Henrique Meirelles, assessores próximos de Donald Trump, a Rainha da Inglaterra e astros da música como Madonna e Bono Vox. É o que revela reportagens da BBC e do portal Poder 360.
 
Lemann e seus sócios Carlos Sicupira e Marcel Telles possuem empresas sediadas nas Bermudas, Bahamas e Ilhas Cayman. Eles admitem que mudaram a residência fiscal para fora do Brasil após a “expansão dos negócios ao exterior”. 
 
Assim como fez com o Panamá Papers, Poder 360 destacou que não é ilegal brasileiros serem proprietários de offshores, desde que devidamente declaradas à Receita Federal, no caso de cidadãos que têm domicílio fiscal no Brasil.
 
No caso, Lemann renunciou ao domicílio fiscal. Quem adota esse procedimento tem “bens e rendimentos aqui no Brasil (…) tributados na fonte. A declaração de Imposto de Renda passa a ser feita apenas no país do novo domicílio fiscal. Caso o contribuinte continue pagando o INSS no Brasil, pode receber os benefícios. O SUS, por sua vez, é atendimento universal. Todas as pessoas têm direito. A transferência de domicílio para o exterior é regulada pelo artigo 16 do decreto 3.000 de março de 1999.”
 
Lemann é acionista de grandes companhias, como InBev (de marcas como Brahma, Antarctica, Stella Artois, Budweiser e Corona), Burger King e Heinz, além de ser investidor em empresas como o Snapchat.
 
Nos documentos, ele aparece como único diretor da Santa Erika Ltd. e da Santa Roseli Ltd; e está ligado a mais 8 empresas: Lone Himalayan Pine LTD, Lone Himalayan Pine Master Fund Ltd., Dali Investment Ltd, Quentin Finance LLC, Arassari Ltd, Maniro Ltd., Baran Ltd. e Credit Suisse Asset Management Limited.
 
Com os outros 2 executivos da InBev, Lemann possui a Squadron Aviation Services Limited, registrada nas Bermudas, e outras 9 empresas nas Bahamas: Cetus Investments, BVC Services Ltd., BR Global Investments Limited, Santa Giustina Inv. & Arbitrage Ltd., Santa Venerina Inv. & Arbitrage Ltd., Santa Marcelina Inv. & Arbitrage Ltd., Santa Paciencia Ltd., Santa Bárbara Management Ltd e S-BR Global Investments Ltd. Nesta última, Lemann dividiu o conselho de administração com o atual presidente da Petrobras, Pedro Parente.
 
Em nota, os três empresários afirmaram que não existe ilegalidade nas offshores. “Com a grande expansão dos nossos negócios para o exterior mudamos há vários anos a nossa residência fiscal para fora do Brasil. A expansão dos nossos negócios pelo exterior também envolveu a constituição de veículos para fins da gestão e planejamento estratégico de nossos investimentos e ativos no exterior. Todos os nossos veículos são legais, cumprem as regras e leis aplicáveis e de alguma forma participam ou participaram da gestão de nossos investimentos e ativos. Cumprimos todas as regras aplicáveis em relação à divulgação de informações nos países que estamos presentes ou investimos. Tudo perfeitamente normal e dentro das leis aplicáveis.”
 
Paradise Papers é um trabalho colaborativo de quase 100 veículos jornalísticos em 67 países, feito a partir de dados vazados a um jornal alemão por dois fornecedores de informações de offshores. No Brasil, o monopólio da informação é do Poder360.
 
A série começou a ser divulgada no domingo, 5 de novembro, e também atingiu outros nomes no Brasil, como os ministros da Fazenda e da Agricultura, Henrique Meirelles e Blairo Maggi, respectivamente. Ambos, assim como Lemann, destacaram que as operações no exterior foram legais e comunicadas às autoridades nacionais.
 
Nem a Rainha da Inglaterra ficou de fora. A BBC divulgou que Elisabeth 2ª possui cerca de 43 milhões de reais (10 milhões de libras) investidos em offshores.
 
A investigação atingiu mais de 120 políticos no mundo inteiro e chegou às grandes multinacionais como a Apple, a Nike e a Uber. E não deixou de fora celebridades da música, como o cantor Bono Vox e a cantora Madonna.
 
O presidente dos Estados Unidos Donald Trump agora é visto como um homem “rodeado de indivíduos ricos associados a paraísos fiscais, incluindo Gary Cohn, o principal assessor económico do presidente, Rex Tillerson, atual secretário de Estados dos EUA, Steven Mnuchin, secretário do Tesouro, e Jon Huntsman, o novo embaixador dos EUA na Rússia.”
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

16 comentários

  1. Só NEGAR é preciso!
    É o que

    Só NEGAR é preciso!

    É o que fazem a anos.

    Agora descobre-se que PARENTE, não sei de quem, que esta ligado a ENTREGA da ELETROBRAS ao Lemann, que quer nos roubar nas futuras contas de energia.

    É mais que uma QUADRILHA.

    • homem….

      O governo petista, mas principalmente a Dilma produziu as Campeãs Nacionais. Empresas genuinamente brasileiras com alta lucratividade e expansão internacional a partir do Brasil. Juntamente com BNDES que é sócio e dono deste capital e lucro imenso. E muitos criticam este expansionismo brasileiro ligado ao tamanho da sua Economia frente ao Mundo. No Governo FHC, o BNDES financiou que Empresas Multinacionais se tornassem donas das Empresas Brasileiras. Com capital e administração fora do Brasil. E que Paulo Lemman, de uma pequena corretora de valores, se tornasse sócio da Ambev  Todo patrimônio transferido para o exterior. Onde está a parte do BNDES? E o Tucanistão jurando continuar AntiCapitalista. Imagina se a Ambev falasse?!

    • Por que Lemann entra na lista de “brasileiros” mais ricos?

      Ele tem cidadania suíça e mora na Suíça, onde é seu domicílio fiscal (que por sinal me parece ser isento de imposto de renda, por sua fortuna vir de outros países que não a Suíça). No Brasil só tem subsidiárias ou empresas controladas. Não entendo porque a fortuna dele é considerada “brasileira”.

  2. Financiador do golpe

    Esse ilustre “brasileiro” há vários anos mudou sua residência fiscal para fora do Brasil.

    Porém, continua explorando os brasileiros e financiando fascistas para destruir nossa democracia.

    Sócio de Abílio Diniz numa rede de padarias (que charme!) , Lemann é um dos responsáveis pela miséria e desigualdade social no Brasil.

     

     

  3. Esse sujeito e a curriola que

    Esse sujeito e a curriola que são seus sócios são os seres humanos mais desprezíveis que já caminharam por estas terras

    O “empreendedor” e sua quadrilha compram empresas (talvez usando práticas neoliberais de jogar o preço dos ativos no buraco para comprarem barato), mandam embora a metade dos funcionários e aplicam terror puro em ue ficou (ameaças permanentes de demissão, downsizing, metas absurdas e ridículas de produtividade)

    O anti Midas (que transforma em merda tudo onde põe seus dedos sujos) liquidou com nossa primeira cerveja premium (Original faixa azul), destruiu a Serra Malte e unifomizou as outras cervejas (Skol, Antarctica e Brahma): todas NÃO TÊM sabor algum

    E agora começa a avacalhar com cervejas artesanais: a Wäls de BH era excelente, agora virou uma Brahma extra 

    Só mesmo quem tem cérebro ôco para ter um traste deste como modelo

  4. Não é só isso

    Dizer que está tudo legal, compriu as normas é fácil,  comodo e vantagoso. Burros seriam se não o fizessem!!!

    O grande problema é como se constroem as grandes fortunas, todo so tipo de “engenharia financeira” e como se evita pagar os impostos como qualquer pessoa nos paises que lhes possibilitou os ganhos. 

    Logo pode ser legal ( a lei está para servir aos propositos deles, não os nossos) mas tem muito de imoral,

  5. Não é só isso

    Dizer que está tudo legal, compriu as normas é fácil,  comodo e vantagoso. Burros seriam se não o fizessem!!!

    O grande problema é como se constroem as grandes fortunas, todo so tipo de “engenharia financeira” e como se evita pagar os impostos como qualquer pessoa nos paises que lhes possibilitou os ganhos. 

    Logo pode ser legal ( a lei está para servir aos propositos deles, não os nossos) mas tem muito de imoral,

  6. Um Marinho da Globo e seu filho também estão nos Paradise Papers
    Do blog do Mello: (…) no site de um portal do Paquistão, é possível ter acesso a todo o material e até baixá-lo para seu computador. Lá, é possível pesquisar pelo nome de pessoas e empresas. Foi onde descobri os nomes de José Roberto Marinho e seu filho [Paulo Daudt Marinho (sócio de J. Hawilla) ] http://blogdomello.blogspot.com.br/2017/11/alem-de-meirelles-e-maggi-um-marinho-da-globo-link-para-lista-completa-paradise-papers.html

  7. Esse é um que cuspiu. . .

    Esse é um que cuspiu no prato que comeu. Ficou bilionário com o aumento de renda per capita proporcionado pelos governos de Lula e o primeiro governo da Dilma e reclamou que nos dois últimos anos, a “economia do Brasil” não estava boa para seus negócios, e tem até comentários que teria apoiado o golpe contra a presidenta Dilma. Esse homem é o típico exemplo de que o capitalismo neo liberal é um câncer com suas conversinhas de meritocracia suga o sangue de seus empregados até a última gota.

  8. Prende o Lula

    Uai, que coisa mais chata, não aparece nesses paradaisi peipers never.

    A gente torce aqui, Lulão, mas tá difícil, essa turma tem preconceito com pobres e não te deixam entrar na lista.

     

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome