Rússia diz controlar totalmente cidade estratégica do leste ucraniano

O governo ucraniano reconhece que a situação está "muito difícil" e avalia fazer uma retirada das suas forças

Divulgação/Ministério da Defesa da Ucrânia

da RFI

Rússia diz controlar totalmente cidade estratégica do leste ucraniano; tomada da região se aproxima

O Exército russo afirma neste sábado (28) ter tomado o controle total da cidade ucraniana de Lyman, estratégica para o objetivo russo de conquistar a região de Donbass, no leste do país. O governo ucraniano reconhece que a situação está “muito difícil” e avalia fazer uma retirada das suas forças, inclusive na cidade de Lugansk, para evitar que os militares sejam completamente cercados e capturados pelos russos.

Os separatistas pró-russos da região afirmam que o cerco já ocorreu, após semanas de batalhas que estão reduzindo as grandes cidades do leste a ruínas. “Ao final de ações em conjunto com as unidades da milícia da República Popular de Donetsk e as forças armadas russas, a cidade de Lyman foi inteiramente liberada dos nacionalistas ucranianos”, confirmou um comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. Lyman dá acesso às metrópoles de Sloviansk e Kramatorsk.

O governador regional, Serguei Gaidai, descreveu uma situação crítica em Severodonetsk, ao enviado especial da RFI Sébastien Németh. “As bombas russas não param e vêm de aviões, de tanques. O exército russo está usando a mesma tática utilizada em Mariupol, que é de simplesmente destruir toda a cidade”, disse. “O batalhão russo conta com entre 300 e 400 homens e os ucranianos continuam contra-atacando, mas não conseguem afastá-los. Nós podemos pará-los, mas precisamos de artilharia de longa distância e sistemas de direcionamento de foguetes”, pediu.

Habitantes divididos

Gaidai avalia que cerca de 15 mil habitantes continuam na cidade. “Mas não sabemos quantos gostariam de ser retirados”, detalha. “A maioria se recusa a sair. Os idosos não sabem para onde poderiam ir e dizem que nasceram lá e preferem morrer lá”, contou.

Nesta sexta (27), o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, reafirmou em um vídeo que está fazendo “de tudo” para garantir a integridade territorial do país.

“A situação no Donbass é muito, muito difícil. Protegemos a nossa terra e tudo fazemos para reforçar [a defesa da região], assegurou. “Se os ocupantes pensam que Lyman e Severodonetsk serão deles, eles estão errados. Donbass será ucraniano.”

Após a ofensiva malsucedida em Kiev e Kharkiv (nordeste) no início da guerra lançada pela Rússia em 24 de fevereiro, as forças russas estão concentradas no leste da Ucrânia, com o objetivo declarado de assumir o controle total da bacia de mineração de Donbass, parcialmente controlada desde 2014 por separatistas pró-Rússia apoiados por Moscou.

Míssil hipersônico

Moscou também realizou uma nova demonstração de força neste sábado, ao afirmar ter lançado com sucesso outro míssil hipersônico Zircon no Ártico. O míssil foi disparado da fragata Admiral Gorchkov no Mar de Barents em um alvo nas águas do Mar Branco, de acordo com o Ministério da Defesa da Rússia. Um primeiro disparo oficial deste míssil data de outubro de 2020.

Com informações da AFP

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador