Trudeau: Evidências indicam que míssil iraniano derrubou avião da Ucrânia

O avião da Ukraine International Airlines, com destino à capital ucraniana, Kiev, caiu alguns minutos após a decolagem do Aeroporto Internacional Imam Khomeini, em Teerã, na quarta-feira.

Uma equipe de resgate carrega um corpo no local onde o avião da Ukraine International Airlines caiu após a decolagem do Aeroporto Imam Khomeini, no Irã, nos arredores de Teerã [Reuters]

Jornal GGN – O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau disse que as evidências indicam que um míssil iraniano derrubou o avião ucraniano na quarta-feira e que o ataque ‘pode ter sido não intencional’.

Trudeau disse, ainda, que as inteligências canadense e aliada estão investigando a causa do acidente, mas se recusou a entrar em detalhes, dizendo apenas que parecia que um míssil terra-ar atingiu o avião.

‘Temos inteligência de várias fontes, incluindo nossos aliados e nossa própria inteligência. As evidências indicam que o avião foi abatido por um míssil iraniano de superfície para a atmosfera’, disse Trudeau a repórteres em Ottawa. ‘Isso pode ter sido não intencional’, completou.

Antes disso, oficiais dos Estados Unidos haviam dito que era ‘altamente provável’ que um míssil antiaéreo iraniano tenha derrubado o avião, matando todas as 176 pessoas a bordo. E sugeriram que poderia ter sido um erro. Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, também disse que havia ‘um conjunto de informações de que o voo foi abatido por um míssil iraniano de superfície para ar’. Boris também disse que ‘isso pode ter sido não intencional’.

O chefe de aviação civil do Irã, à agência de notícias INSA, afirmou ser ‘impossível que um míssil tenha atingido o avião ucraniano’.

O avião da Ukraine International Airlines, com destino à capital ucraniana, Kiev, caiu alguns minutos após a decolagem do Aeroporto Internacional Imam Khomeini, em Teerã, na quarta-feira. O acidente acontece em meio às crescentes tensões entre os EUA e o Irã. Dos 176 mortos, 63 eram canadenses.

Investigadores iranianos divulgaram um relatório inicial, no dia seguinte, dizendo que o avião estava pegando fogo e tentou voltar, mas que a equipe de bordo nunca fez um pedido de ajuda por rádio. Esse relatório caracterizou o caso como acidente. Investigações detalhadas sobre desastres de companhias aéreas geralmente levam meses.

Leia também:  Com o povo revoltado, governo do Líbano vai investigar se explosão foi "ataque externo"

O acidente aconteceu horas depois do ataque com mísseis do Irã contra forças lideradas pelos EUA no Iraque. Ataques em retaliação ao assassinato do general Qassem Soleimani.

Trudeau enfatiza a necessidade de uma investigação completa e pediu ao Irã que conceda acesso ao local do acidente a investigadores canadenses e internacionais. Até agora, o Irã anunciou apenas um acordo com a Ucrânia, cujos investigadores já estão no país.

Em um telefonema na noite de quarta-feira, o ministro das Relações Exteriores do Canadá, Francois-Philippe Champagne, pressionou seu colega iraniano Mohammad Javad Zarif para permitir ao Canadá o acesso “a prestar serviços consulares, ajudar na identificação do falecido e participar da investigação do acidente”.

Trudeau disse que a conversa está em andamento, mas alcançar esse acesso pode ser difícil, pois o Canadá fechou sua embaixada no Irã em 2012, expulsou diplomatas iranianos do Canadá e suspendeu todas as relações diplomáticas.

Enquanto isso, a Itália e outros aliados com presença diplomática na República Islâmica estão ajudando o Canadá com assistência consular para amigos e familiares das vítimas canadenses. O Canadá também permanece em estreito contato com a Ucrânia durante a investigação, disse Trudeau.

O primeiro-ministro acrescentou que o Irã até agora se recusou a enviar duas caixas-pretas recuperadas dos destroços para o Canadá para análise. Em vez disso, o Irã disse que os investigadores ucranianos terão acesso aos dispositivos.

Na quinta-feira, o Conselho de Segurança dos Transportes do Canadá (TSB) anunciou que aceitou o convite do Irã “para comparecer ao local do acidente”.

Leia também:  Amazônia em Chamas 20: “Tudo que vai queimar está pela frente”, diz Setzer sobre a temporada do fogo

“Aceitamos este convite e estamos tomando providências para viajar para o local. O TSB estará trabalhando com outros grupos e organizações que já estão no local”.

Com informações do Al Jazeera.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. Na Etiópia e na Indonésia não são necessários mísseis para derrubar a aeronave projetada por palhaços e supervisionada por macacos. Mas no Irã…, bem no Irã, as coisas são diferentes.

    1
    1
  2. O que diz o Trump e outras autoridades dos EUA?

    “Algumas pessoas dizem que foi (uma falha mecânica). Eu, pessoalmente, não acho que seja essa a questão. Tenho as minhas suspeitas. Mas não as quero revelar. Foi algo trágico.
    Alguém pode ter cometido um erro, do outro lado. (…) Não tem nada a ver conosco”. – Donald Trump

    à imprensa americana, fontes oficiais (que falaram sob a condição de anonimato) afirmaram que as agências de inteligência do governo dos EUA também CRÊEM que ao menos um míssil iraniano atingiu o avião comercial”.

    O Reino Unido e o Canadá têm evidências mas não têm provas de que foi o Irã que abateu o avião.

    Danou-se! Os Imperialistas comeram bosta e estão arrotando caviar.

  3. Tendo em conta que Trudeau é aliado das organizações criminosas que controlam o governo daquela que foi um dia uma grande nação que se chamava Estados Unidos da América do Norte, é “bem provável” que ele, Trudeau e seus comparsas estejam todos mentindo. Porque acusar sem provas ou evidências é coisa de fofoqueiro e não de Chefe de Estado de um país que mereça respeito.

    1
    1
  4. Mas que míssil mequetrefe. O avião continuou voando alguns minutos depois de ser atingido? Míssil bom bom explode o avião no ar.

  5. Até que me provem o contrário, evidência é sinônimo de prova, ou não é mais? Então, o que o primeiro-ministro está dizendo é que há indícios, mas, ainda assim, quais são esses? De qualquer modo, toda informação que parte dos chamados “cinco olhos” é suspeita de antemão.

  6. Todd Curtis, analista de segurança de aviação, sustentou que:

    “O avião estava muito fragmentado, o que significa que houve um impacto intenso no solo ou algo aconteceu no céu”.

    Se o avião estivesse pouco fragmentado, significaria que houve um impacto suave no solo ou não aconteceu nada no céu.

    As aeronaves da Boeing, que são projetados por palhaços supervisionados por macacos, não precisam de mísseis para caírem na Indonésia e na Etiópia. Já no Irã….

  7. O Irã é uma geronteocracia islâmica que tem como prioridade imediata o imperialismo regional. Isso se contrapõe a outro império, o americano, que com seus aliados têm interesses na mesma região. Encrenca à vista. Algo que sempre aconteceu na história dos humanos. Num embate, ganha o mais forte, não o que tem mais razão. Neste caso, não me parece que os velhos santarrões do Irã tenham mais poder ou melhores razões que os americanos. Em épocas priscas, os teófilos do profeta já teriam sido varridos do nosso convívio. Senhores, que ninguém se engane: a cultura americana impregna nossa existência. Ela é viva, imediata, inovadora, inspiradora. Foi criada nos últimos 120 anos e mostra os caminhos do avanço. Entre americanos e santarrões adoradores de profeta pedófilo, fico com qual…? Não tenho simpatia nenhuma com o trumpeteiro americano nem com os velhotes iranitas. Mas num cacete entre os dois, adivinha quem vai comer areia? E o Putelho que não se meta. A queda do avião ucraniano na periferia de Teerã nos remete à condição humana: a vida é frágil. Há que cuidar dela. Não creio que os velhotes do país das persianas estejam preocupados com isso.

    • Numa entrevista, Lesley Stahl fez a seguinte pergunta Madeleine Albright acerca das sanções impostas pelos EUA sobre o Iraque:

      “We have heard that a half million children have died. I mean, that’s more children than died in Hiroshima. And, you know, is the price worth it?”

      Secretary of State Madeleine Albright:

      “I think this is a very hard choice, but the price–we think the price is worth it”.

      Nada obstante a lombriga supramencionada ache que meio milhão de crianças iraquianas não têm o mesmo valor que as sanções impostas aos Iraquianos, eu acredito que os sanguessugas imperialistas se preocupam com as crianças pobres

      Quem tinha mais força
      e poder de 1968 a 1975, os EUA ou o Vietnã?
      Os EUA venceram a guerra?

  8. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome