Moro sai em defesa de Fachin, após decisão que o tentou proteger

"Repudio ofensas e ataques pessoais ao ministro Edson Fachin do STF, magistrado técnico e com atuação destacada na Operação Lava Jato", escreveu Moro

Foto: Reprodução

Jornal GGN – Cinco dias depois da decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), de anular todas as sentenças da Lava Jato contra Lula por considerar a Justiça Federal de Curitiba incompetente, o ex-juiz decidiu se manifestar, saindo em defesa de Fachin.

“Repudio ofensas e ataques pessoais ao ministro Edson Fachin do STF, magistrado técnico e com atuação destacada na Operação Lava Jato. Qualquer discordância quanto à decisão deve ser objeto de recurso, não de perseguição”, disse o ex-juiz.

Juntamente com a decisão que anulou as sentenças, nesta segunda (08), o ministro da Corte tentou também impedir que o então juiz fosse considerado suspeito, ou seja, parcial para julgar Lula. Entretanto, a tentativa de Fachin falhou e a Segunda Turma do STF decidiu prosseguir com a acusação contra Moro, em julgamento que foi retomado nesta terça (09).

Pouco antes da publicação de Moro, a Procuradoria-Geral da República entrou com um recurso no STF contra a determinação de Fachin, desta segunda (08). Essa medida da PGR deve levar o caso da anulação das condenações de Lula para julgamento dos demais ministros, seja da Segunda Turma, ou de todo o Plenário.

Moro saiu em defesa de Fachin, mas não opinou sobre a anulação de suas próprias sentenças contra o ex-presidente, que consequentemente serviram como uma defesa para o ex-juiz no caso de sua suspeição. Tampouco comentou sobre os votos de Gilmar Mendes e de Ricardo Lewandowski, que nesta semana, definiram Moro como parcial.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora