A pena de Dirceu e a perversão da justiça, por Paulo Nogueira

Do Diário do Centro do Mundo

A pena de 23 anos para Dirceu é o triunfo da perversão da justiça feita por Moro

Por Paulo Nogueira

Não era contra a corrupção. Era contra o PT.

Essa é uma das conclusões essenciais da campanha movida pela plutocracia em nome da “moralidade” da qual resultou o golpe.

Dirceu, condenado hoje por Moro a 23 anos de prisão, foi uma das vítimas dessa perversão de justiça.

Três líderes petistas tinham que ser destruídos para o golpe plutocrático funcionar. Lula, Dilma e ele, Dirceu.

O primeiro da fila foi Dirceu. A imprensa, sobretudo a Veja, abandonou qualquer  fundamento jornalístico para assassinar sua reputação e colocá-lo na prisão.

Transformaram-no no que ele definitivamente não é: um monstro. Esquarteje-se esse monstro.

Na perseguição, a Justiça foi cúmplice da mídia. Primeiro foi Joaquim Barbosa, durante o Mensalão. Barbosa sabia que quanto mais espezinhasse Dirceu mais seria louvado pela imprensa.

Depois, Moro com a Lava Jato completaria o serviço sujo. A condenação absurda de Dirceu a 23 anos é o fecho da obra de Moro contra um dos grandes arquitetos do PT.

Uma sessão de interrogatório de Moro contra Dirceu é exemplar. Moro revelou, ou fingiu, uma ignorância desumana em relação a atividades que renderam dinheiro a Dirceu.

Com seus relacionamentos com líderes internacionais, Dirceu era o consultor ideal para empresas interessadas em fechar negócios em outros países.

É uma atividade comuníssima no mundo globalizado e capitalista. A Ambev, para ficar num caso, tinha uma pendência na Venezuela. Quem melhor que Dirceu, amigo de Chávez e de Maduro, para auxiliar a Ambev nessa tarefa?

Leia também:  J.P. Cuenca x o demônio da censura evangélica judicializada, por Fábio de Oliveira Ribeiro

É um serviço sempre remunerado. Dependendo dos valores em questão, muito bem remunerado.

Foi constrangedor ouvir as questões de Moro, com sua voz fina tão contranstante com a fantasia de super-heroi que a imprensa tentou lhe por.

A única manifestação de decência, naquele interrogatório, veio do interrogado. Pacientemente, Dirceu explicou ponto por ponto das questões que Moro lhe fez. Num gesto de altivez e lealdade, quando lhe foi indagado se tinha algo a dizer a mais no final, afirmou que “o presidente Lula” jamais participara de nada que pudesse incriminá-lo.

O real crime de Dirceu, neste país que deixa um psicopata ladrão como Eduardo Cunha roubar durante décadas, é ser um inimigo da plutocracia.

O resto é encenação.

A sentença de 23 anos lavrada por Moro é o ápice dessa antijustiça. É uma coisa tão patética e abstrusa quanto os exercícios de “dosimetria” que fixaram as penas do Mensalão.

Na Noruega, uma sociedade imensamente mais avançada que o Brasil construído pelos plutocratas predadores, 21 anos de cadeia foi a sentença de Anders Breivik, o fanático de direita que matou dezenas de jovens de um partido para ele complacente contra a “estratégia” de dominação muçulmana. Dois anos menos que Dirceu, portanto.

Ou a Noruega está errada ou Moro e a Justiça brasileira estão errados. Faça sua escolha. (Breivik, caso se mostre perigoso ao fim da sentença, poderá ficar preso mais tempo.)

Mais que tudo, a decisão de Moro sobre Dirceu é uma evidência mais do que justiça parcial é ainda pior do que justiça nenhuma.

Leia também:  Sem união, esquerda não chegará ao 2º turno em 2022, diz Dino

Na justiça parcial, você autoriza determinado grupo – a plutocracia – a esmagar o resto da sociedade. Na justiça igualmente falha, você estabelece ao menos uma meritocracia darwiniana: vence quem melhor se adapta às circunstâncias, não importa o dinheiro em jogo.

Moro vai passar para a história como um servo da plutocracia. Dirceu, como uma vítima dela.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

19 comentários

  1. Noruega está errada ou Moro e a Justiça brasileira estão errados

    A Noruega está errada, do tal do Breivik, deveria ser condenado a pena de morte, nada justifica o que ele fez.

    • Nada justifica a pena de

      Nada justifica a pena de morte. Em tese o poder dado aos estados por meio de supostas instituicoes democraticas é coercao para privacao da liberdade e nao para matar os proprios cidadaos. Quanto mais fracas as instituicoes democraticas mais espaco para abusos e para a manisfestacao de interesses privados em esferas genuinamente publicas.

      Com relacao ao uso da pena: uma sociedade civil engajada e politizada nao deveria aprovar a pena de morte como tipo de punicao justamente pelo para fechar lacunas que permitam abusos de autoridade e malversacao deste instituto por grupos politicos que vierem a se utilizar destas instituicoes somente para fins de legitimar suas acoes. Com relacao a pena em si: a morte termina com a capacidade cognitiva e a “consciencia” do criminoso enquanto o objetivo da punicao é fazer com que em vida, mas privado de liberdade, ele ou ela reflita sobre o feito.

      Na verdade esta é a raiz boa do “liberalismo” que surgiu com a afirmacao dos direitos civis na revolucao francesa de 1789 contra o poder monarquico que foram confeccionados pelos burgueses e legitimados pela populacao. A populacao foi traida depois das revolucoes que abrangeram toda a europa de 1848, a primavera dos povos, qdo os burgueses que assumiram o lugar dos reis embutiram no termo outras conotacoes p.ex. utilizando-a como lema economico na ideologia mercantilista e no modo de producao colonial, que se com algumas alteracoes se perpetua ate hj (sendo que eles mesmos, como a Inglaterra que era o poder imperial da epoca, nao queriam abrir mao das preferencias e exclusividades que tinham com suas colonias).

    • Nada justifica a pena de

      Nada justifica a pena de morte. Em tese o poder dado aos estados por meio de supostas instituicoes democraticas é coercao para privacao da liberdade e nao para matar os proprios cidadaos. Quanto mais fracas as instituicoes democraticas mais espaco para abusos e para a manisfestacao de interesses privados em esferas genuinamente publicas.

      Com relacao ao uso da pena: uma sociedade civil engajada e politizada nao deveria aprovar a pena de morte como tipo de punicao justamente pelo para fechar lacunas que permitam abusos de autoridade e malversacao deste instituto por grupos politicos que vierem a se utilizar destas instituicoes somente para fins de legitimar suas acoes. Com relacao a pena em si: a morte termina com a capacidade cognitiva e a “consciencia” do criminoso enquanto o objetivo da punicao é fazer com que em vida, mas privado de liberdade, ele ou ela reflita sobre o feito.

      Na verdade esta é a raiz boa do “liberalismo” que surgiu com a afirmacao dos direitos civis na revolucao francesa de 1789 contra o poder monarquico que foram confeccionados pelos burgueses e legitimados pela populacao. A populacao foi traida depois das revolucoes que abrangeram toda a europa de 1848, a primavera dos povos, qdo os burgueses que assumiram o lugar dos reis embutiram no termo outras conotacoes p.ex. utilizando-a como lema economico na ideologia mercantilista e no modo de producao colonial, que se com algumas alteracoes se perpetua ate hj (sendo que eles mesmos, como a Inglaterra que era o poder imperial da epoca, nao queriam abrir mao das preferencias e exclusividades que tinham com suas colonias).

  2. O cinismo e a perversidade explicita deste ato.

    Eo pior esta corja que ora habita o poder , junto com a imprensa e a mídia nos obriga a participar deste ato. Tudo o que nos foi mostrado até agora foi esta perseguição cruel , odienta. Foi a forma como se prevalecendo do poder que tem, eliminando qualquer forma de defesa, amordaçando e algemando, ao cercear a defesa, ao esconder provas, ao condenar com anterioridadade. Tudo feito    com a conivência de um Judiciário que se suicida a cada da ato contra a justiça. Tudo isto feito de forma explícita, cinica sem nenhum pudor  e nos deixa também algemados, impotentes sem nenhuma arma de defesa. Num sadismo explicito a mídia nos força a assistir todos estes atos  e somos obrigados a olhar e acompanhar este martírio. E a nossa sensação é de impotencia, nos sentimos algemados a uma cadeira vendo um nossa frente um prisioneiro ser torturado, com requintes. è horrivel ver cada ato, mas não podemos tirar os olhos. Como presenciar  sem sofrer quando se vê um  juiz que ameaça a   mãe de 90 anos  do prisioneiro, retira sua casa e depois num requinte de crueldade, afirma que vai ser bondoso e permitir que ela lá fique, até que ele decida. Isto é muito cruel!!! Ele desqualifica advogados da defesa, cerceia seus movimentos desqualifica  documentos e provas e faz tudo de forma explícita, porque quer deixar bem claro que ele pode fazer isto e muito mais. E o faz explicitamente sem pudor  porque pode e pode porque  existe um pelotão de linchamento que dá suporte e poder.E continuamos aqui como o prisioneiro sem  poder fazer nada.  É impossivel desviar os olhos disto tudo, mas é cruel enxergar o que estamos a nossa frente. Eles parecem querer nos tornar cumplices. Assistir a um poderoso valentão destruir alguem algemado e ser obrigado a assistir impotente este ato de covardia é traumático. A quem ou a que recorrer.? E o pior é que já assistimos o início disto tudo, como vamos conviver com os casos como o de  Pizolatto, um inocente  escolhido para ser culpado, apenas porque queriam construir uma peça de acusação. Um homem para quem foi negado o direito a recurso, um homem a quem foi negado a utilização das provas, colocadas em sigilo. Como vamos contar aos nossos filhos que convivemos com estas injustiças. Como poderemos justificar aos nossos filhos que nos calamos quando uma juiza disse que condenava alguém não porque tinha provas, mas porque a literatura assim o permitia. È um sensação horrível,  e acho que muito além destes   casos, já temos convivido por tempo demais com a injustiça.

    E à midia meu desprezo, pois não são pessoas estupidas ou ignorantes, são pessoas  bem informadas  que mesmo sabendo da injustiça, mesmo sabendo da canalhice  ainda assim arrasta um ser humani, Pizolatto pelas ruas, e agora arrasta Dirceu pelas ruas como um trófeu.

    Mas eu tenho certeza que um dia a história vai cobrar de cada um de nós de nossa sociedade a conivência ou o silência com estes e com todos os outros presos que de forma similar, estão impotentes diante da perversidade.

  3. Respeitem a Injustiça brasileira!

    Goleiro Bruno, Assassinou premeditadamente  Elisa Samudio, 22 anos de prisão.

    Mizael Bispo, assassinou premeditadamente Mércia Nakagima, 20 anos de prisão.

    Caio Rodrigues, perseguiu e assassinou friamente um jovem no Mc Donalds, 14 anos de prisão.

    Respeitem a Injustiça brasileira!

    • somos apirantes a uma republica bananeira de segunda

      Os autores das quinhentas execuções das forças fascista paulista naquela noite de São Bartolomeu: Todos impunes.

      Os assassinados da ditatura, todos impunes.

      Os assassinos da democracia, na rede globo.

  4. Esses 23 anos de pena ainda

    Esses 23 anos de pena ainda não é definitiva .

    Quando a ditadura Temer Cunha de Marinho estiver prestes a ser escorraçada do Planaldo o judiciário “moroso” incluirá muitos outros artigos na ficha de Dirceu e o condenará a 300 e poucos anos de cadeia ( também processarão o grande Lula ) .

    Não esqueçamos que a ditadura de 64 tentou implementar a pena de morte no Brasil, o Mandela quase foi executado pelo regime racista da África do Sul etc.. .

    Vivemos no estado de excessão !

     

  5. Dirceu cometeu o erro que,
    Dirceu cometeu o erro que, talvez, Lula cometa: se submeter à justiça brasileira, como se nossos juízes respeitassem o Estado de direito, legitimando o justiciamento que se seguiram até as condenações. O ex presidente deve adotar uma postura diferente, em minha opinião. Pedir asilo político e enfrentar o retrocesso usando as redes sociais. Se for preso, o que acontecerá com certeza, perde a voz e a dignidade. A imprensa mercantil executou essa ação contra Dirceu.

    • a pena de Dirceu…

      Que a mídia pare de panfletagem. Veja, Época e outros já não tem credibilidade alguma. Que meios como este ou Carta Capital não façam o mesmo, defendendo  partidos e ideologias ao invés de defender a noticia. A esquerda brasileira, o PT como seu carro chefe, tropeçou nas próprias pernas. Não construiu um Estado onde todos deveriam estar cobertos. Quis dar sua direção à Justiça, e não a direção democrática. Quis construir um país para uma ideologia, um Estado para grupelhos, que queriam se apoderar  como suas todas as causas sociais. E não eram. Nunca foram democraticos. em um Estado para dar estrutura às instituições como a Judiciaria, ficou à deriva e à sorte tanto a esquerda como o país, das velhas estruturas e velhos vicios que se perpetuaram na organização politica. Perdeu a esquerda um momento histórico e tornou-se refém das piores estruturas que já conduziram este país.  Depois de navegar centenas de milhas mar a dentro, faltando apenas dar autonomia à sociedade brasileira navegar por conta própria, permitiu que o país fosse novamente lançada à praia. Voltaremos a errar nossos erros, novamente nos iludindo pór décadas, crendo serem certos até os rochedos, novamente. Pobre país sem rumo.

      • Você está no BRASIL.

        Não dá pra querer um partido norueguês.

        Dê as devidas proporções. Só esquece disto.

        Hoje sim, dá pra ver o QUÃO de esquerda o PT era. Face a nossa direita fascista.

        Eu mesmo achava o PT mais ao centro, hoje vejo que minha régua estava desajustada.

        E pelo visto, infelizmente, se prepara pra empurrar o PT ainda mais pra esquerda !!!

  6. Dirceu é visto como inimigo

    Dirceu é visto como inimigo não só pela plutocracia brasileira mas também pelos EUA. Como Ministro da Casa Civil propôs a criação da Organização do Tratado do Atlântico Sul. Entrou na alça de mira!

    • Absolutamente falso. Dirceu

      Absolutamente falso. Dirceu tinha excelentes relações no Governo Bush, quando Condolezza Rice, Secretaria de Estado, esteve em Brasilia em 2006, fez questão de almoçar com Dirceu, que já estava fora do Governo há um ano. Dirceu estava em Caracas e voltou no mesmo dia para almoçar com a Secretaria.

      Dirceu era considerado a “pessoa de relacionamento” do Governo Bush  junto ao Governo do Brasil.

  7. Uma completa aberração, pena

    Uma completa aberração, pena que não se dá a estrupradores assassinos, a latrocidas, a esquartejadores.

    Um homem que se dedicou ao Brasil toda sua vida, se pecados cometeu são nada perto de seu papel historico.

    Stalin explodiu bancos e poços de petroleo em Baku, ficha pesada, a policia do Czar o prendeu e foi condenado a seis anos de prisão na Siberia.

    Albert Speer, Ministro da Produção Belica da Alemanha nazista, responsavel por boa parte da Segunda Guerra, foi condenado em Nuremberg a 20 anos de prisão, o Almirante Doenitz, sucessor de Hitler na Chefia de Estado da Alemanha nazista depois do suicidio deste, pegou 10 anos de prisão.em Nuremberg.

  8. Enquanto isso,

    o Maluf, para ficar só num exemplo, rouba de tudo e de todas as formas há mais de cinquenta anos, já roubou pra lá da casa do bilhão, tem até condenação e mandado de prisão no exterior, mas continua deputado, ajudando a golpear a democracia, e tirando o maior sarro do povo e da “justiça” brasileiros!

  9. Caro Nassif
    A pena pode não

    Caro Nassif

    A pena pode não ser definitiva, mas a perseguição é perpétua.

    Moro, como golpista, continua no seu trabalho.

    Há que se desmoralizar, desmontar, jogar ódio sobre e não deixar pedra sobre pedra do PT e nem de nenhum governo progressista.

    Tudo isso dá nojo, mas é bom para aprendermos  a deixar de ser republicano.

    Saudações

  10. Realmente uma farsa o Morotlerlini

    O Mourinho voz fina heroi dos coxinhas fascistas mostrando pq ganha 100 mil por mes. Para arregar os interesses da mulher! O escritorio que a mulher dele trabalha deferende gente da direita paranaense (esses que pintam e bordam por la e ninguem faz nada) e empresas concorrentes da petrobras. Conflito e interesse é a marca ou melhor o pedigree do judiciario brasileiro.

  11. Simplesmente uma pena de morte!

    Desde o mensalão que a tragédia se abateu implacável sobre Dirceu, ferindo-o fundamente, tanto no corpo como na alma e, agora, com mais essa pena de 23 anos de prisão, na sua idade, isso é condená-lo fatalmente à pena de morte, a pior morte, aquela morte que só os maníacos e sádicos aplicam as suas vítimas para vê-las de esvaindo lentamente, porque é disso que se nutrem.

  12. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome