Ameaça da Lava Jato vai ser usada para derrubar eventual veto de Temer

Jornal GGN – A ameaça à força-tarefa do Ministério Público Federal na Lava Jato, em renunciar coletivamente à operação caso as 10 medidas sejam aprovadas pelo Senado e sancionadas por Michel Temer, servirá de motivo para que a Câmara derrube um eventual veto do presidente caso ele se sinta pressionado pela opinião pública.

No senado, o pacote também deve ser aprovado sem dar ouvidos aos procuradores. E caso mudanças sejam feitas, o texto retonará à Câmara, que deve aprová-lo, mais uma vez, tal qual foi feito essa semana, em contrariedade à Lava Jato.

Segundo o colunista Ilimar Franco, a força-tarefa pode fazer a ameaça que for, mas dificilmente vai conseguir frear o avanço do Congresso com as pautas sobre abuso de autoridade. Isso porque os investigados não perderão a oportunidade de legislar em causa própria.

O colunista também apontou que o Ministério Público superestimou o próprio poder de influência.

Por Ilimar Franco

Senado deve seguir a Câmara

Em O Globo

Se fosse hoje, a maioria do Senado votaria a favor do projeto aprovado na Câmara, pela qual juízes e o MP vão responder por crime de responsabilidade. Isso a despeito do Senado ter recusado a urgência. Mesmo os líderes a favor avaliam que a batalha está perdida. Se o Senado mudar o texto, ele volta à Câmara, que deve restabelecer o aprovado, na madrugada de ontem, por 313 deputados. (Na foto, o promotor Carlos Fernando dos Santos Lima.)

Estratégia e tática questionadas

Lideranças do Senado consideram que o MP errou ao superestimar sua força. Ele quis levar tudo. Não quer responder por crime de responsabilidade e quer criminalizar o caixa 2 feito no passado. “Como assim? Acabamos de aprovar a lei da repatriação que perdoa crimes de peculato, de falsidade ideológica e de evasão de divisas”, comentou um líder. Avaliam que a ameaça de renúncia da força-tarefa funcionará como estímulo para a Câmara derrubar um eventual veto do presidente Temer. Líderes no Senado dizem que a saída seria segurar a votação do projeto. “Mas quem faria isso?”, perguntam. Todos os que podem estão na mira permanente do MP.

Baixar a bola

Integrantes do MP estão procurando os senadores. Consideram que não vão conseguir barrar o projeto de abuso de autoridade, patrocinado por Renan Calheiros. E negociam mudanças para evitar uma derrota total.

A coluna completa esta disponível aqui.

***

Ontem, os procuradores da Lava Jato convocaram a imprensa para anunciar que pensam na renúncia coletiva em caso de o pacote das 10 medidas ser sancionado. Assista:

14 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Roxane

- 2016-12-02 00:44:42

Pois que renunciem, já vão

Pois que renunciem, já vão tarde. Ah não se esquecam de renunciar não só a Lava Jato mas ao cargo que ocupam também pedindo demissão. Podem ir vender favas na esquina.

Renato Lazzari

- 2016-12-01 22:33:11

Como assim "renunciar"? Pode,

Como assim "renunciar"? Pode, por exemplo, um gerente da CEF renunciar ao alguma ordem dada pelos seus chefes sem cometer prevaricação? O que esse procurador acha, que o cargo que ocupa é dele?

Esse sr. Carlos Lima vive jogando verde para ver se colhe maduro, "se passar, passou". Foi assim quando pleiteou "comissão" sobre recurso recuperado - ainda que sob o pretexto de ser para a corporação -,  foi assim quando tacitamente prometeu dar cobertura aos senadores da comissão de impeachment instando-os a julgar "como bem entendessem", sem necessidade de crime de responsabilidade muito bem tipificado, está sendo assim agora.

Como cidadão pagador de impostos, digo que a verve privatista desse senhor não se coaduna em nada com o que se espera de um servidor público. Esses arroubos, tentativas de capturar para si individualmente o que é de propriedade do estado, talvez sejam aceitos se praticados por operador da inicativa privada. Aliás sem iniciativa privada não há corrupção do estado, confere? Mas fica a sugestão a todo privatista infiltrado no serviço público: abra mão dos benefícios que o serviço público lhe remunera e vá tentar a vida na iniciativa privada. Ou adeque-se.

AMORAIZA

- 2016-12-01 21:43:21

Deixa eu ver se eu entendi

Deixa eu ver se eu entendi bem:

Os molequinhos do MP disseram que VÃO RENUNCIAR COLETIVAMENTE À OPERAÇÃO caso as 10 medidas aprovadas  sejam sancionadas pelo temer?

E eles estão procurando os senadores para fazer essa "ameaça"? 

Tolinhos!!!!!

Quando eu digo que inteligência  não se aprende na escola ninguém me acredita.

Quero, por outro lado, dar  as  minhas mais efusivas congratulações  aos mentores das medidas, que mataram dois coelhos com uma  só cajadada. Um honroso cheque-mate na molecada, vejam vocês. Além de tira-los do caminho, desmanchar a operação ,  fazer média com a OAB, devolver o judiciário ao seu lugar,  ainda reforçam as raquíticas e abusadas garantias costitucionais.

O congresso dirá Hosannas!!!

 

 

paulovi

- 2016-12-01 20:53:21

Adeus, adeus, adeus

Adeus, adeus, adeus ... https://www.youtube.com/watch?v=icff19UdGhQ

peregrino

- 2016-12-01 20:46:55

lava jato...tomara seja varrida da nossa história

por ter um muito de política, de vingança e de traição em traje legal ou civilizado

vergonha nacional

Frederico69

- 2016-12-01 20:33:47

várias alternativas, não consigo classificar.

perder um contracheque gordinho.

perder dois meses de férias por ano.

perder o grau de divindade.

virar um cidadão.

ter que ralar pra ganhar uma mixaria.

e nós ganharmos um mundo melhor.

 

peregrino

- 2016-12-01 20:33:14

mas são coisas dessse tipo de gente memo...

dos que se acham perfeitos demais só quando sem limites............................

principal deles até acredita que é possível alcançar o "sagrado" apenas com o veículo corpo, ou função, ou intenção, mesmo que seja um corpo sem cabeça......................até a ciência sabe dos seus limites.................................e só deixaram de saber uma vez e milhares de inocentes foram queimados e pulverizados vivos

peregrino

- 2016-12-01 20:13:05

10 medidas e todos no limite...

perigo maior não é a intenção de seguirem sem limites, e sem limites já estavam a um bom tempo

perigo maior seria ter a garantia legal para seguir daí, ultrapassar............................

desenhando: ante qualquer erro, independente de abusivo, intencional ou não, ficariam impedidos pelas próprias alterações que desejavam de voltar atrás

se não tivessem partido já do limite, seria um caso a pensar e teriam mais chances de aprovação

acredito que esconderam dos mais de milhões de assinaturas de apoio que não teriam condições de corrigir erros, abusos, ou seja, de voltar atrás

julgamentos dos nazis deixou bem claro o perigo a que me refiro..."torturo e mato porque não posso libertar"

Paulo Monteiro

- 2016-12-01 19:27:12

E se eles renunciarem, o que

E se eles renunciarem, o que de fato pode acontecer? 

Maria Luisa

- 2016-12-01 18:06:55

Republica da Mãe Joana

Os Procuradores fazendo chantagem com o Congresso. A que ponto chegamos. Os Procuradores estão assustados, ganharam  poder e força durante os governos do PT e, agora, vão ter que se contentar em seguir a Lei e a Ordem... Chora MP!

João de Paiva

- 2016-12-01 17:54:09

Se renunciarem a obrigações, que sejam processados

Um procurador do MPF é um servidor público, muito bem pago, cheio de privilégios e regalias e que conta com o corporativismo para cometer arbitrariedades e abusos e mesmo assim ficar impune.

Ora, no estatuto dos procuradores deve estar estabelecido que eles não podem se recusar a efetuar o trabalho que lhes é atribuído. Essa ameaça, verdadeira chantagem, feita pela turma da Fraude a Jato é ação típica de criança mimada quando os pais lhe fazem uma restrição: pulam, esperneiam, gritam, fazem birra perante outras pessoas, na tentativa de continuar podendo tudo.

MMariano S Silva

- 2016-12-01 17:50:52

Renunciem logo pois já irão

Renunciem logo pois já irão tarde!!!  Em nome do combate à pretensa corrupção, destruiram o país. Encham o barquinho e vão logo àquele lugar...

Lucinei

- 2016-12-01 17:19:47

intocaveis.

É muito mais do que isso.

O principal é que, para além da demagogia, os argumentos são pífios! Até a cultura jurídica e humanística desses ativistas da lava jato é pedestre.

Até mesmo o baixissimo clero se deu conta disso. E o perceberam na lígua propria, a dos valentões de butiquim, na bronca, na tora, na pressão, no grito, na marra... Aí, não! Não, mesmo!

Realmente se acham os intocáveis. Se empolgaram, literalmente!

Luciano Lira

- 2016-12-01 17:13:46

Procuradores e juízes não

Procuradores e juízes não estão acima de ninguém. Qual o mal em aprovar uma lei obrigue alguém a responder por crime de responsabilidade. É só o procurador ou juiz agir dentro da lei e com imparcialidade. Juiz ou procurador que acusa sem provas ou prende um inocente sem provas etc comete sim, abuso de poder. Desde que a lei saiba diferenciar erros humanos daqueles que cometem erros de caso pensado. Pau que dá em Chico também dá em Francisco... 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador