Amigo de Moro que teria pedido propina em troca de delação será convocado por CPMI

Jornal GGN – Hylda Cavalcanti informou nesta sexta (1º), na RBA, que Carlos Zucolotto, advogado e amigo de Sergio Moro, deve ser convocado pela CPMI da JBS para explicar as acusações feitas pelo ex-advogado da Odebrecht, Rodrigo Tacla Duran. Ele acusa Zucolotto de ter cobrado R$ 5 milhões “por fora” para ajudar num acordo de delação premiada com os procuradores de Curitiba.

Duran apresentou ao Congresso mensagens que diz ter trocado com Zucolotto sobre os valores e os benefícios que teria com o acordo. Zucolotto teria escrito que acionaria “DD” para destravar o acordo e que o pagamento por fora seria para “cuidar” das pessoas que estavam ajudando. 

Por Hylda Cavalcanti

Na RBA

Advogado amigo de Moro será convidado a explicar R$ 5 milhões ‘por fora’

Deputados e senadores que integram a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS estão reivindicando que na próxima semana seja convidado para depor o advogado do Paraná Carlos Zucolotto. A CPMI ouviu ontem (30), por videoconferência, o depoimento do ex-advogado Odebrecht Rodrigo Tacla Duran. Os parlamentares consideraram graves as denúncias levadas pelo advogado, que está na Espanha.

Duram revelou que o advogado Zucolotto, amigo e padrinho de casamento do juiz Sérgio Moro, pediu R$ 5 milhões “por fora” para conseguir aliviar a multa que teria de pagar, se firmasse acordo com a Operação Lava Jato.

O advogado da Odebrecht admitiu a deputados e senadores ter contratado profissionais da capital paranaense por ter sido aconselhado a colocar alguém que fosse “da patota de Curitiba” – dando a entender que podem existir acordos entre as bancas de advocacia daquela capital e a equipe da Lava Jato. “São graves os fatos e queremos ouvir a versão de Zocolotto”, disse o deputado Paulo Teixeira (PT-RS). 

Tacla Duran evitou falar, durante seu depoimento, na mulher do juiz federal Sérgio Moro, Rosângela Moro, do escritório de advocacia de Zucolotto, que foi contratado por Duran, e disse que nada tem contra o magistrado. “Apenas acho que ele (Moro) tomou atitudes exageradas que me prejudicaram”.

Duran disse que os documentos de sua defesa que deveriam ter sido assinados pelo escritório nos autos do processo tiveram o nome de Zucolotto e da equipe retirado dos autos. E confirmou ter recebido uma proposta do advogado paranaense para que os pagamentos dos honorários advocatícios tivessem uma parte feita “por fora”, o que deu a entender, a seu ver, que se tratava de uso de recursos para um possível caixa 2 ou pagamento a terceiros.

‘Autonomia do MP’
Ao final da reunião da CPMI, também o deputado Wadih Damous (PT-RJ) pediu a palavra para denunciar o que chamou de “ataques” que têm sido feitos por integrantes do Ministério Público a ele e outros parlamentares da comissão. “Não deixarei passar em branco nem ameaças nem ironias feitas por redes sociais por membros do Ministério Público”, afirmou.

A declaração de Damous foi dirigida à procuradora Mônica Checker, autora de uma nota no Twitter o criticando e dizendo que ele teria afirmado que os procuradores não deveriam ter autonomia funcional.

“Jamais disse isso, mas continuo afirmando que há um exagero na autonomia dos membros do MP. Quem tenta distorcer a afirmação de alguém está mentindo”, destacou o parlamentar.

Os integrantes da CPMI também destacaram que querem descobrir, daqui por diante, quem é o suposto técnico de Tecnologia de Informação da Odebrecht que desconectou o sistema interno da empresa, com documentos que segundo Tacla Duran, foram fraudados. O advogado disse não ter conhecimento de sobrenome nem contatos, mas sabe ser alguém chamado por Sebastião.

“Vamos agora tentar descobrir quem é o Sebastião e qual o seu envolvimento na modificação de documentos da Odebrecht”, afirmou Paulo Pimenta.

A oitiva dos parlamentares com o advogado durou mais de três horas e resultou em várias declarações que chamaram a atenção. Entre elas, a de que documentos entregues em delação premiada por executivos da Odebrecht foram adulterados e a confirmação de que a empresa realizou um grande encontro com seus executivos para acertar o que iriam dizer e como dizer em seus depoimentos nas delações homologadas (77 ao todo).

5 comentários

  1. Não será aplicada aquela

    Não será aplicada aquela jabuticaba judiciária, o domínio do fato? Não a do Roxim, mas aquela outra.

     

  2. A Fraude a Jato com as entranhas pútridas e fétidas expostas

    Prezados,

    Independentemente de que tenha cometido algumas das ilicitudes de que é acusado, o advogado Rodrigo Tacla Durán cumpriu boa parte do que prometeu, apresentando provas materiais-documentais da algumas das gravíssimas revleções-acusações que havia antecipado a veículos de mídia.

    Embora ninguém tenha comentado, chamou-me a atenção a postura dos deputados Wadih Damous e Paulo Pimenta, ao interrogar Tacla Durán. Certamente Wadih, que é advogado, orientou Paulo Pimenta a retomar temas e refazer algumas perguntas, no sentido de verificar se Tacla Durán dizia a verdade, se não cairia em contradições. Pela seriedade com que trabalham esses deputados, ficou claro que não foi um jogo combinado com Tacla Durán, que em algumas situações se mostrou desconfortável e econômico nas respostas.

    Rodrigo Tacla Durán, ao se dispor a prestar depoimento na CPMI da JBS, usou a oportunidade como estratégia de defesa. Não podemos nos esquecer de que ele é uma pessoa investigada, mas que não foi formalmente acusada e denunciada por práticas de crime.

    Mais importante, porém, é que Tacla Durán mostrou coragem, ao ir contra a corrente, e se dispôs a enfrentar a ORCRIM Fraude a Jato. A consistência das falas e depoimentos de Durán, assim como a solidez das prvas apresenatdas por ele contra integrantes da Fraude a Jato deve causar um grande estrago nas pretensões dessa ORCRIM institucional, que sofre duro revés num momento crucial, em que a principal aliada e promotora dela, a ORCRIM Globo, está na berlinda, acusada de pagar propinas a cartolas do futebol. As denúncias contra a Globo correm nos EUA e na Europa, onde a Globo não tem forte influência e não consegue abafá-las.

    O silêncio sepulcral de TODO o PIG/PPV e da ORCRIM lavajateira (salvo uma procuradora do MP e uma “ativista” mal criadas) em torno do bombástico depoimento de Rodrigo Tacla Durán mostra que o estrago na nau das ORCRIMs midiáticas e lavajateira foi grande. É sintomática e denotativa desse estrago a retirada do ar de página laudatória que  Rosângela Moro mantinha em relaçção ao marido, Sérgio.

    Com a antecipação pela blogosfera progressista daquele que poderia o lance decisivo, a válvula de escape para o juiz lavajateiro, que é a decretação da prisão do Ex-Ministro José Dirceu, mesmo que o torquemada das araucárias resolva efetivá-la nos próximos dias, tal atitude não terá a força e o impacto de  prisões, seqüestros judiciais e invasão de domicílios, feitos contra petistas, comio se viu em março do anopassado e no na véspera da eleição municipal.

    Grande parte da população, que foi usada e manipulada pelo PIG/PPV e pela ORCRIM lavajateira, encontra-se saturada desses abusos e crimes cometidos pelos profissionais de mídia e agentes do sistema judiciário. A direita golpista, oligárquica, escravocrata, plutocrata, cleptocrata, privatista e entreguista não consegui capitalizar apoio político, embora tenha conseguid dstruir o País e seu projeto de desenvolvimento soberano e inclusivo.

    Se a CPMI conseguir levar a termo a convocação de Carlos Zucollotto e ele se negar a responder as preguntas dos deputados e senadores, dará um atestado de verdade às acusações feitas por Rodrigo Durán. Se Zucollotto tentar desqualificar Tacla Durán, mas não for capaz de provar que este mentiu no depoimento de ontem, pode se complicar.

    A Fraude a Jato está colocada contra a parede, na defensiva; provavelmente nos estertores.

  3. Tacla Duran

    O fato do Tacla Duran ter poupado o amigo do traficante, e logo depois a ladra ter tirado sua pagina do ar, me diz que o Tacla Duran, mandou recado antecipado. Vou ficar quieto mas tenho muita e farta munição. Cumpriu com o prometido. Agora o amigo do traficante, vai jogar as feras seus cumplices e será poupado pelo Tacla Duran

    O trf4 depois de ontem não tem mais como não empurrar o julgamento do Lula, para depois do prazo. Vai condenar para não ficarem mal com a globosta.

    O golpista atraves do SEMvergovia, vai aproveitar as denuncias contra a quadrilha de curitiba e destrui-la.

     

  4. Segundo as mensagens trocadas, são US$ 5 milhões…

    E não R$ 5 milhões.

    De qualquer modo, Zucolotto, Camicia Nera e os miquinhos amestrados da Fraude a Jato não devem estar mais dormindo direito. A cagarréia que deve ter se abatido em Curitiba vai entupir os esgotos da Sanepar.

    E hoje foi dia de Black Friday em Curitiba. Estão fazendo uma grande queima de delações combinadas:

    http://www.romulusbr.com/2017/12/e-tacla-furou-bolha-expresso-da-manha-1.html

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome