Amigos de Temer são presos: José Yunes, coronel Lima e dono da Rodrimar


Yunes e Temer
 
Jornal GGN – Cinco amigos e interlocutores de Michel Temer foram presos nesta quinta-feira (29), pela Polícia Federal, na apuração de esquema de corrupção no Porto de Santos e o decreto, assinado pelo mandatário em maio do último ano, que favorece o setor e teria beneficiado os empresários.
 
Na lista dos presos estão o advogado, amigo e ex-assessor do presidente, José Yunes, o também amigo e ex-coronel da Polícia Militar, João Batista Lima Filho, o dono da empresa Rodrimar, que opera no porto de Santos, Antonio Celso Greco, o ex-ministro da Agricultura e ex-deputado federal Wagner Rossi e seu assessor Milton Ortolan.
 
A Operação denominada Skala, deflagrada nesta quinta-feira em São Paulo e no Rio de Janeiro, que ocasionou a prisão dos cinco investigados, foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, após o avanço da investigação de recebimento de propina no setor de portos.
 
O amigo de Temer Yunes foi apontado, inicialmente, pelo operador financeiro do PMDB da Câmara, Lücio Funaro, como o responsável por gerenciar as propinas pagas a Temer. Para isso, o advogado e ex-assessor do mandatário, lavava o dinheiro, investindo em sua incorporadora imobiliária.
 
No dia 30 de novembro do último ano, Yunes admitiu à PF que realizou uma operação de venda de imóvel para Michel Temer. Na mesma apuração, os investigadores solicitaram a quebra do sigilo bancário do mandatário, o que se soube mais recentemente que foi aceito pelo ministro do Supremo.
 
Já o coronel Lima é apontado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) como um intermediário de propina que seria também repassada a Temer relacionada ao decreto dos Portos, assinado no último ano. O coronel é dono de outra empresa investigada junto com a Rodrimar e que teria se beneficiado pelo decreto, a Argeplan. Da mesma forma, o empresário Antonio Celso Greco, dono da Rodrimar, que opera no Porto de Santos, foi detido pela PF. 
 
Eles entraram para o rol das investigações também por meio das delações da JBS e são apontados como operadores de Temer e também do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), flagrado com uma mala de dinheiro. O inquérito partiu inicialmente da Operação Lava Jato, mas foi desmembrado pela extensão com outros possíveis ilícitos que foram desvendados ao longo das investigações.
 
“Há nos autos elementos suficientes que justificam a instauração de investigação específica para melhor elucidar os fatos, de maneira não apenas a confirmar a identidade das pessoas mencionadas, como também esclarecer em quais circunstâncias atuaram para repassar dinheiro ilícito aos denunciados”, havia apontado a PGR, ainda em julho de 2017.
 
Mas as apurações, que a partir de então saiu das mãos de Edson Fachin e passou para a relatoria de Barroso, coincidiram com o decreto assinado em maio do último ano por Temer, que teria beneficiado as empresas do setor de Portos, tendo como consequência um esquema de corrupção que alimentaria as campanhas do PMDB e de Temer.
 

17 comentários

  1. Diários do golpe.

    Algumas impressões:

    – Capa e manchete do O Globo de ontem (28.03.2018) já avisa: Apesar da intervenção, violência piora;

    – Lula e PT colhem o que plantam e são, ao mesmo tempo, possíveis responsáveis pelos tiros. Aqui servem as duas narrativas, separadas ou juntas, porque o que está em jogo é o que os especialistas em semiótica chamam de não-evento, que usam a técnica da contaminação (não importa se é ou não verdade, nem se o receptor vai considerar isso, basta a exposição em si e por si);

    – O golpista Temer e seu núcleo duro parecem estar sob ataque da PF (já teriam feito o necessário) e/ou outro núcleo de poder (judiciário-militar-empresários) decidiu apostar em outra direção, e requer abandonar o lastro (Temer e Cia) ou o próprio Temer está sacrificando os seus esqueletos com objetivo de (auto) purificar-se para os “novos tempos”;

    – Fachin se movimenta quando o STF parece querer “renegociar” o que permitiu (ou determinou) que fosse feito com Lula;

    – Marielle morreu o mundo todo gritou (e com razão).

    Mas em Maricá, RJ, cinco rapazes foram chacinados por supostos milicianos, apenas por desobedecerem as ordens de não “zoar” um determnado local (praça). Os rapazes eram militantes da cena hip hop, lidavam com crianças em oficinas dessa modalidade de movimento cultural. Após o fato, surgem as primeiras criminalizações das vítimas, inferindo que eram usuários de drogas (o que pouco deveria importar).

    Detalhe: Maricá vive as oscilações do ciclo do petróleo, da conurbação com Rio e sua zona metropolitana (que vai de Niterói, São Gonçalo, e que se estende até Itaboraí (complexo petroquímico que está com obras paradas, o Comperj).

    Experimenta as questões fundiárias (grilagens e conflitos de posse urbana), degradação ambiental em nome da volúpia imobiliária, aumento da letalidade violenta decorrente de roubos (algumas quadrilhas de São Gonçalo, principalmente a do Salgueiro) usam a RJ 106 como “ponte” para atacar Mariccá e retornar a comunidade em São Gonçalo, e claro, aumento das atividades de tráfico de varejo.

    Maricá tem administração petista, grande convergência com o aparato de segurança, onde a Prefeitura local cede veículos e toda estrutura aos órgãos estaduais.

    Maricá tem renda per capita dos royalties que permite intervenções da muicipalidade em todos os aspectos da vida social.

    Ou seja: Não corresponde a narrativa comum de local conflagrado, embora estejam ali todos os ingredientes da desigualdade acirrada pelo aumento exponencial de atividade econômica do ciclo extrativista (petróleo e portos).

    Mesmo assim, o consenso social entre as elites empressarias e outras camadas sociais deu amplo poder e condições para instalação de uma milícia na cidade.

    É esse ambiente onde floresce e se aprofunda o golpe.

    É esse dia-a-dia que boa parte de nós conhece e reconhece, mas naturaliza e quase não percebe, salvo quando a “máquina de matar” sai dos trilhos.

    É desse caldo que se alimenta o monstro golpista que tem várias cabeças.

    A pergunta é, cortando a cabeça Temer (Moreira, Padilha e outros), qual nascerá no lugar?

     

    Maricá, Brasília, STF, Marielle parecem coisas afastadas e distantes.

    Não são!

  2. Temer mais candidato que nunca

    Até ai morreu o Neves, que não é o Aécio. Alias, e o Aécio, à parte obstrução de justiça, ele não cometeu otras cositas mas, non?!

    • Podes crer!
      A caneta da

      Podes crer!

      A caneta da liberações de verbas publicitárias para os grupos da imprensa de sempre é do presidente no cargo.

      Páginas, blogues, faces e o cacete serão inundados dioturnamente com editoriais de especialistas de sempre “difundindo” o famoso “conosco ninguem está acima da lei” e a patuléia acreditará que “agora vai”.

      Não vai. Não vai nunca.

      Esses “processos” caminharão a passos de cágado (olha o acento) manco.

      Isso, claro, se alguem do ST alguma coisa não apontar “inconcistencia” (não confundir com incontinencia) e conceder HC prévio preventivo defensivo porque afinal em junho tem copa do mundo de futebol.

      P.S.- E o Cavendish no Rio ? 

    • Vejo de outro modo

      Para mim, Temer está mais decorativo do que nunca.

      Está prestes a ter sua cabeça trocada por outra de muito maior valor no tabuleiro.

      Certamente pretendem trocar a cabeça de Temer pela do Lula. Esta sim, seria uma jogada de mestre.

      É preciso estar atento aos próximos movimentos do jogo e, quem sabe, aplicar um roque preventivo enquanto possível.

  3. Brasil jamais haverá um país como esse.

    Eu acho que a PF as FFAA o MPF o STF por mais que tenham cometido alguns deslizes,ainda que demorem, vão dar uma resposta aos brasileiros. Aposto que não abandonarão o nosso querido Brasil. 

  4. Óoooooooooooooooiiiiiiiiiiiii

    Óoooooooooooooooiiiiiiiiiiiii !!! Acabou a prisão em segunda instância. Agora, prisão só na última DISTÂNCIA.

  5. Amigos de Temer são Presos

    Tudo isso para legitimar a lava jato e “provar” que ela é imparcial para diminuir o impacto numa eventual prisão do Lula.

  6. E de-lhe bombas semióticas.

    E de-lhe bombas semióticas. Começaram a semana por cima e agora os golpistas tem que apelar pra mais um cansativo e apelativo espetáculo  pra tentar ofuscar a semana perfeita do Lula. Primeiro o filme-fiasco do tal de padilha. Deu errado, pois a prisão do Lula não aconteceu como previsto no roteiro  da lava jato e do tal “diretor” ; os outros psicopatas do sul metem bala no ônibus da Lula e acertam em cheio o pé dos golpistas, pois agora todos estão vendo até que ponto os adversários pode chegar pra tentar impedir o Lula de ser condidato. Isto combinado com as declarações mais que desestradas dos sábios da mídia e os alkmins da vida doi tudo que o Lua precisava pra alavancar mais seu nome na corrida presidencial.  Acho que estão perdidinhos e já não sabem mais o que fazerem. Acho que o povão não tá mais entrando nestas coisinhas que toda vez que se vê por baixo a galera da vaza jato apronta em rede nacional.

  7. Não sei não

    O já enfraquecido Michel Temer leva uma enorme bordoada dois dias antes do 31 de março onde já está prevista a bordoada maior que virá em um ato de enfrentamento público à sua autoridade. Talvez constitua-se no cheque mate.

    Evidentemente, se isso ocorrer, a Presidência não será transferida para nenhum dos chefes dos poderes legislativo e judiciário. Todos já devidamente queimados com a devida antecedência.

    Ainda mais, quase às vésperas das eleições.

    Eleições? Esqueçam.

    Foi apenas uma figura de linguagem desgastada que empreguei.

    O cheiro de queimado está insuportável. Não acredito ser o único a sentí-lo.

  8. Elite é para nobres.

    Sejam corruptos, sonegadores ou entreguistas. Eles usam gravatas Giorgio Armani.  jamais sentaram em cadeiras de PVC ao redor de mesas de PVC. Ambiente de gentalha geralmente honestas.

  9. Não sei não

    O já enfraquecido Michel Temer leva uma enorme bordoada dois dias antes do 31 de março onde já está prevista a bordoada maior que virá em um ato de enfrentamento público à sua autoridade. Talvez constitua-se no cheque mate.

    Evidentemente, se isso ocorrer, a Presidência não será transferida para nenhum dos chefes dos poderes legislativo e judiciário. Todos já devidamente queimados com a devida antecedência.

    Ainda mais, quase às vésperas das eleições.

    Eleições? Esqueçam.

    Foi apenas uma figura de linguagem desgastada que empreguei.

    O cheiro de queimado está insuportável. Não acredito ser o único a sentí-lo.

  10. Continuo sem entender

    Presidente na marca do pênalti e a bolsa subindo?

    Quem será capaz de ligar todos esses pontos?

  11. Parece que a maioria do STF
    Parece que a maioria do STF descobriu que não precisa se acovardar. Entendeu que resguardar a Constituição é a melhor maneira de manter o poder do Supremo e a existência de apenas três poderes independentes e harmônicos na sociedade brasileira. 7 é um número emblemático. O jogo virou.

  12. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome