Bancada evangélica faz projeto para incluir ministro do STF no ról de impeachment

O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), tesoureiro da Frente Evangélica. Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

da Agência Pública

Bancada evangélica propõe projeto para destituir ministros do STF por “usurpação de poder”

Texto quer ampliar lei do impeachment para magistrados para combater “ativismo judicial”

por Étore Medeiros

Em meio às tumultuadas discussões que tomam conta do Congresso Nacional sobre o cometimento ou não de crime de responsabilidade por parte da presidente Dilma Rousseff, um projeto de lei (PL) apresentado há poucos dias na Câmara dos Deputados propõe a ampliação dos casos de impeachment em que podem ser enquadrados os juízes do Supremo Tribunal Federal (STF). Pelo que estabelece o PL 4.754/2016, os ministros da corte cometeriam crime de responsabilidade ao “usurpar competência do Poder Legislativo ou do Poder Executivo”.

O PL 4754/2016 não inventa o impeachment de ministros da Suprema Corte, que já é previsto na Lei 1.079 de 1950 –a mesma que está sendo usada na tentativa de depor a presidenta Dilma. A norma proíbe condutas por parte dos juízes do STF que configuram seis tipos de crimes de responsabilidade passíveis de perda do cargo.

A inclusão de uma sétima possibilidade, defende o autor, o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), se dá pelo ativismo que o tribunal tem demonstrado nos últimos anos. “Em nome da morosidade do Legislativo, eles acabaram tomando algumas decisões, como estão tomando, atualmente, no caso do julgamento sobre liberação do uso de drogas, do porte de drogas [para consumo próprio]. Esse é um dos assuntos que eu acho que não é atribuição do STF, assim como no caso da união homoafetiva”, defende Cavalcante, que é tesoureiro da Frente Parlamentar Evangélica (FPE) e presidiu a comissão especial que analisou o Estatuto da Família na Câmara.

Dos 23 deputados que assinaram o projeto, 18 também são integrantes da bancada, incluindo o presidente da FPE, João Campos (PSDB-GO). O autor explica que, pelo cargo que ocupa na frente, é natural que as assinaturas sejam de colegas de militância. “Não diria que pode haver um interesse apenas da bancada evangélica, mas de várias bancadas da Casa – tem ali [subscrição] de vários membros da bancada de segurança pública, devido à questão das drogas. E já que parte da imprensa intitula uma ‘bancada BBB’, acho que ela não terá problema nenhum em assumir isso como uma bandeira”, afirma.

Leia também:  Em "afronta" ao STF, mineradora volta a processar amianto em Goiás

Cavalcante diz que a ideia do projeto é também chamar a atenção do STF “para os perigos que ele possa estar correndo, sem percepção do risco, ao aumentar a sua competência”. “Desta forma, ele vai poder repensar em alguns momentos os seus posicionamentos até que nós possamos pautar essa matéria da maneira mais abreviada possível. O impeachment é prioridade nesse momento, mas tão logo ele passe, vou trabalhar para que o projeto caminhe com celeridade e para que cheguemos a um texto equilibrado e que atenda à demanda do poder Legislativo”, disse.

A deputada Érika Kokay (PT-DF), frequente opositora das iniciativas da bancada evangélica na Câmara, acredita que o projeto fere justamente a separação de Poderes, ao invés de consolidá-la. “Se você tem um Poder Judiciário que é acionado em função da manutenção de um direito, ele tem de dar respostas. O projeto quer vergar este poder ao Legislativo, que concentra os segmentos mais fundamentalistas da República. Eles querem jogar o Supremo no fogo da inquisição, por ele ter apontado, em vários casos, no sentido da consolidação de direitos”, diz.

Para Cavalcante, os posicionamentos do Supremo, que para o deputado usurpam competências legislativas, podem ser explicados pelo tempo de governos petistas ininterruptos. “Por conta da ideologia mais ligada à esquerda, por serem membros ligados a indicações do governo do PT, acabaram extrapolando algumas atribuições”, afirma. Em defesa do próprio partido, Kokay rechaça uma suposta linha ideológica dominante na Corte e lembra que a ação partidária por parte dos ministros já é prevista e proibida por lei. “Vamos mudar, então, como se compõe o próprio Supremo”, responde, sobre a inquietação do deputado.

Poderes

O advogado Magnus Marques acredita que a mudança proposta poderia atrapalhar a atividade do Supremo, “que pisaria em ovos”. “Mas, ao mesmo tempo, o Legislativo não tem tanta força de impedir esse processo de ‘ativismo judicial’, já que não está havendo qualquer tipo de usurpação”, continua. O constitucionalista explica que é normal que a ideia de separação entre os Poderes se altere com o passar do tempo. “Não há uma forma clássica em que cada um tem sua parede de atuação. Essas competências têm se chocado e a disputa entre os Poderes é que tem definido o que significa essa separação. A narrativa sobre a Constituição Federal tem se alterado”, diz. Ele acredita que a constitucionalidade da lei é discutível e, em caso de aprovação, haveria espaço para questionamentos ao próprio Supremo.

Leia também:  STF deve ter nova configuração este ano, por articulações no Congresso

O advogado Zenóbio Fonseca, que integra a Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure), discorda. Para ele, a Corte usurpou a competência do Congresso, como ilustra o caso da união homoafetiva. “Em que pese exista uma realidade social, em que pese alguns tribunais terem decidido sobre essa questão, o Congresso seria a instância competente para defini-la, ainda que de forma contrária ao que parte da população entende. Nesse aspecto, e também no tema das drogas, o poder Judiciário avançou em temas específicos do Legislativo”, afirma.

Para Fonseca, a inação do Legislativo em alguns assuntos é legítima. “Você não pode obrigar o Congresso a legislar. Se ele é o extrato do povo e não aprovou nada em determinado sentido, mudem-se os representantes e legisle-se sobre aquilo – mas não se pode usurpar a competência representativa.”

Ressalvando a necessidade do debate levantado pelo projeto de Sóstenes Cavalcante, Fonseca preocupa-se com a possibilidade de criminalização levantada pelo projeto. “Os ministros podem errar. Mas me preocupa criar um tipo penal numa decisão onde todo o plenário da Corte decide. A Constituição Federal é recente, e nesses tipos de conflito eu acho que não deveríamos caminhar para o lado de um crime de responsabilidade”, diz. O integrante da Anajure defende a Proposta de Emenda à Constituição nº 3 de 2011, que permite ao Congresso sustar atos de outros Poderes que “exorbitem” do seu poder. Embora tenha sido desarquivada no início de 2015, a PEC não teve qualquer tramitação na atual legislatura.

Vácuo proposital

Maria Berenice Dias, que fez sustentação oral no STF pelo reconhecimento da união homoafetiva, no julgamento de 2011, explica que o equívoco, dentro da estrutura de divisão dos Poderes, seria a ausência de deliberação por parte dos magistrados. “Julgar é o dever do juiz. Não se pode falar em ativismo. Ele não pode simplesmente jogar os processos no lixo. Não pode deixar de julgar sob a alegação de que não existe lei. A ausência de lei não significa ausência de direito. Na falta de legislação, ele deve usar analogias, costumes e os princípios gerais do Direito.”

Leia também:  “Quem é responsável pela morte do capitão Adriano? PM da Bahia do PT", diz Bolsonaro

Quando se trata das populações mais vulneráveis, explica a advogada, a ausência de lei é quase que intencional, de forma a impedir a consolidação de direitos. “Muitas vezes não interessam ao legislador iniciativas para essas populações, porque o seu eleitorado é composto pela maioria e não pela minoria. Isso acontece com os direitos da população LGBT: o legislador não legisla porque vai comprometer a sua reeleição. Mas a falta de lei não quer dizer que os homossexuais não possam ter direitos”, afirma. Berenice cita como exemplo de que os deputados “sentam em cima” de certas pautas a apresentação do primeiro projeto de lei para reconhecer os direitos dos homossexuais, ainda nos anos 1990. “Passaram-se duas décadas e até hoje o nosso legislador não aprovou nada.”

Berenice diz ainda que as decisões dos juízes do STF mostram que o fato de terem sido em sua maioria indicados por Governos petistas não tem contaminado os julgamentos. “Não existe um ministro que se possa dizer que vota sempre a favor do PT, ou outro que, por ser mais antigo, julga sempre contra. Se ele [o deputado] quiser, proponha outra lei pra mudar a forma de indicação, mas que não seja por essa forma transversa pela qual se está tentando mascarar a criação de um mecanismo para impedir a independência dos juízes, o que é extremamente perigoso.”

O QUE PODE MUDAR NA LEI DO IMPEACHMENT (LEI 1.079 DE 1950)

Crimes de responsabilidade previstos para ministros do STF:

– alterar, por qualquer forma, exceto por via de recurso, decisão ou voto já proferido em sessão do tribunal;

– proferir julgamento, quando, por lei, for suspeito na causa;

– exercer atividade político-partidária;

– ser desidioso (negligente) no cumprimento dos deveres do cargo;

– proceder de modo incompatível com a honra, dignidade e decoro;

– atentar contra a lei orçamentária.

Inclusão proposta pelo PL 4754/2016, do deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ):

– usurpar competência do Poder Legislativo ou do Poder Executivo

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

43 comentários

  1. EH ISSO MESMO!  O que o

    EH ISSO MESMO!  O que o Brasil precisa MESMO eh de neo evangelicos de merda com poder sobre supremos de merda!

    Da pra ver a razao que eu estou parando de comentar?  Eu pensei que meu pais era o Brasil.  Com a India eu nao lido nao…

  2. Engraçado !!!
    O PT sempre

    Engraçado !!!

    O PT sempre levou porrada do judiciário e nunca denunciou ninguém, nem o  Gilmar Mendes.

    Agora, um juiz legalista defende a constituição, e um bando de golpistas cai de pau em cima.

    Se esses caras tivesse passado o que o PT passou na AP 470, eles teriam explodido o STF.

     Por retaliação, os políticos do PT deveriam fazer o mesmo com o Gilmar Mendes. Motivos há, e muitos.

  3. Então é possivel pedir o

    Então é possivel pedir o impeachment do Gilmar Mendes por “– exercer atividade político-partidária;”???

  4. Nem derrotaram a Dilma e já

    Nem derrotaram a Dilma e já pretendem aplicar um golpe no STF?

    Por outro lado devem estar sentindo que não vão conseguir aplicar o golpe no executivo. Pretendem intimidar, e até derrubar o judiciário, na esperança de salvar caras como, Eduardo Cunha.

    Obviamente, os golpistas vão fracassar nisto também, até por que, como ficaria o Gilmar Mendes?

  5. um a pessima ideia

    de quem vem (DEM ) só posso concluir que será uma pessima ideia.

    os bons juizes que se cuidem (GM  não tem o que temer)

  6. É incrível o nível da

    É incrível o nível da ignorância e intolerância da direita

    As coisas são feitas ao sabor dos ventos. 

    A reforma politica foi capturada e esta amordaçada na mão dos quarenta ladrões. Como podem os homens de bens aceitarem esta imoralidade que se propaga. 

    A quatro anos atrás o Skaf rasgava elogios a Dilma.

    Realmente devem se sentir muito traídos. É muito ódio!

    Estas violências não vão sumir da noite pro dia. 

    Existe um golpe de direita e não é só para tomar a presidência, eles vão fundar uma nova seita, já estou sentindo a formação deste grupo semi politico, semi religioso. Como no caso da Janaína, que não possui religião mais atribui sua empreitada moral a deus.

    De outro lado evangélicos que se comportam como os mais mesquinhos e egoístas dos seres da face da terra. Sem vergonha nenhuma de não ter o minimo de espiritualidade.

    Os dois grupos se comportam de maneira declaradamente materialista, individualista e dialeticamente justificam esse fato através de sua moral religiosa!

    Eles trabalham pelo ódio e não pelo amor. A espiritualidade só se desenvolve no amor. Pergunte a qualquer Hare Krishna

    Quanto a questão da lei, é mais um golpe, mudar regra do jogo para se dar bem.

  7. Depois de pronta, a Lei será

    Depois de pronta, a Lei será declarada inconstitucional pelo STF, por atentado à separação de poderes. Afinal de contas, a Constituição garante a independência dos poderes e, não será uma simples lei, aprovada pelo legislativo que irá usurpar o outro poder. É mais fácil a justiça mandar prender metade do congresso do que o Congresso inteiro conseguir derrubar um Ministro da Suprema Corte. 

    Impeachment virou moda no Brasil. Tem muito papagaio repetindo rádio.

     

  8. Eflúvios do poder embalando bravatas e afrontas.
    Virou um grêmio. Meninos inconsequentes brincando com a vida de pessoas.

    Mas não os Meninos da Rua Paulo. Como tenho pensado neles e nas mensagens deixadas por sua sadia, vital e envolvente trajetória.
     
    Estamos cercados. Onde a ética, onde o bom combate?

    Nossas vidas e nosso futuro estão nas mãos dessa Malta.

  9. E eu que pensava que tinhamos

    E eu que pensava que tinhamos batido NO FUNDO DO POÇO…

    Estes ai vão reinventar a RODA DA REPÚBLICA!

    Ai depois de muito errar E FUDER COM O BRASIL, quem sabe eles apredem com o PT A RESPEITAR A JUSTIÇA…

  10. Pois é , olha onde estamos chegando.

    Esse mesmo STF que foi buscar em outro país um tal de domínio do fato  só para ferrar o PT e estava pensando que junto com essa gangue toda iria ferrar toda a esquerda brasileira , por medo do autoritarismo , bolivarismo , chavismo e outras sandices mais , agora corre o risco de levar um golpe junto e ver o seu poder ficar estremamente enfraquecido , causado pelas pessoas que eles sempre protegeram.

    Hahahaha , acho que por essa eles não esperavam.

    Na visão desses miopes do STF o perigo sempre foi o PT (talvez o único partido que foi extremamente republicano , talvez até demais da conta) e por isso mesmo está pagando esse preço altíssimo.

  11. Fogueira

    Me desculpe mas to de saco cheio desses evangélicos que estão impondo seu fundamentalismo ao Brasil e fazendo que deixemos de ser um pais laico. Realmente estou me tornando uma pessoa altamente preconceituosa aos evangélicos e isso me incomoda.

  12. Deus do céu!

    Se o Supremo e os políticos de bom senso não derem um jeito de deter a quadrilha do Cunha essa malta vai destriur completamente nosso Brasil… Pobres dos nossos filhos e netos, que herdarão esse lixo em pleno século XXI!

    • Peraí. No MP tem uma pregada

      Peraí. No MP tem uma pregada de crente e estão todos numa missão sei lá de quê; o Cunha é blindado no MPF. No STF tem ministro crente?Quem é o infiltrado?

      O único que a gente te ceteza que não é é o MAM, menos por ter tocado no ungido e mais pelo jeito; se entrar num igreja derrete.

       

       

  13. O nome da lei poderia ser

    O nome da lei poderia ser “Lei Gilmar Mendes”. Ninguém melhor se enquadra em mais itens do que ele.

    – proferir julgamento, quando, por lei, for suspeito na causa;

    – exercer atividade político-partidária;

    – ser desidioso (negligente) no cumprimento dos deveres do cargo;

    – proceder de modo incompatível com a honra, dignidade e decoro;

    – usurpar competência do Poder Legislativo ou do Poder Executivo

    • Exatamente o que eu estava

      Exatamente o que eu estava pensando. Por exemplo, a liminar sem noção impedindo a nomeação do Lula é interferência indevida no executivo, já que o Lula preenche todos os requisitos legais para a nomeação.

  14. Essa turma brinca com fogo.

    Fica cada vez mais claro que a única saída vai ser uma guerra civil ou uma revolução. É isso o que eles estão pedindo. Esses golpistas calhordas não vão dar sossego qualquer que seja o resultado da tentativa de golpe… E, para golpista, só cadeia, cadafalso ou baioneta. Não tem de contemporizar, não tem de fazer pacto nenhum. 2016 não é 1964. Não dá para deixar barato. Tem de pegar todos do judiciário, do legislativo e da mídia. Temos de dar uma lição nessa turma traidora da pátria, para nunca mais tentarem dar um golpe neste país.

  15. Eu assim como milhões de
    Eu assim como milhões de evangélicos pelo Brasil não suportamos estes políticos que se dizem evangélicos mas não têm uma agenda social, apenas uma falsa moral. Usam a bíblia como desodorante, perfumes caros e ternos de fino corte, mas são cegos para a injustiça social. Tristes figuras.

  16. Caro Nassif
    Essa dita bancada

    Caro Nassif

    Essa dita bancada evangélica, é comandada por Caifás.

    Conheço alguns evangélicos, que não são mais reacionários por falta de espaço.

    Saudações

  17. Convenhamos que em meio a

    Convenhamos que em meio a balbúrdia instalada poderiam incorporar ao projeto Impeachment de Picaretas Camuflados em $eitas e aos Otários que a Eles $ustentam.

     

     

  18. Caraca, a lista para impitar juiz do STF é quase um BO do Gilmar

    Caraca, a lista para impitar juiz do STF é quase um BO do Gilmar

    Crimes de responsabilidade previstos para ministros do STF:
    – alterar, por qualquer forma, exceto por via de recurso, decisão ou voto já proferido em sessão do tribunal;
    – proferir julgamento, quando, por lei, for suspeito na causa;
    – exercer atividade político-partidária;
    – ser desidioso (negligente) no cumprimento dos deveres do cargo;
    – proceder de modo incompatível com a honra, dignidade e decoro;
    – atentar contra a lei orçamentária.
    Inclusão proposta pelo PL 4754/2016, do deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ):
    – usurpar competência do Poder Legislativo ou do Poder Executivo

  19. É uma reedição farsesca…

    Ao fim e ao cabo, o STF irá analisar a constitucionalidade dessa lei, “natimorta”, se a mesma for aprovada e, declará-la inconstitucional, evidentemente! 

     

     

     

     

     

     

  20. Pelo andar da carruagem,  os

    Pelo andar da carruagem,  os evangélicos  deverão propor em breve a sua “charia”, semelhante  a lei, oriunda do Corão,que rege os  cidadãos  da maioria dos países muçulmanos.

      Eduardo Cunha, é o aiatolá ,escolhido por unanimidade de seus pares, o  resto  não é dificil imaginar…

     

  21. Nem nas ditaduras teocráticas

    Nem nas ditaduras teocráticas o fundamentalismo se atreve a tanto,…como pode uma das maiores economias do planeta chegar a este ponto, também pudera, de emenda em emenda a nossa CF foi sendo rasgada aos poucos e acham pouco: querem mais e mais. O povo, a democracia e a estabilidade jurídica que se dane. O STF precisa urgente dar um chega prá lá nesses golpistas ensandecidos, pois se conseguirem abocanhar o poder executivo com esse golpe, adeus Brasil

  22. Bancada evangélica faz projeto para incluir ministro do STF.

    Eu quero propor ao deputado SÓSTENES CAVALCANTE (DEM-RJ antiga UDN) que antes de PROPOR NOVAS REGRAS, comecemos a CUMPRIR as EXISTENTES talvez assim não PRECISEMOS de NOVAS.

    Que tal o deputado PROTOCOLAR junto ao SENADO o pedido de IMPEACHMENT do ministro GILMAR MENDES que tem exercido DESCARADAMENTE POLITICA PARTIDÁRIA quando isto é PROIBIDO para MAGISTRADO.

    Ou dos MINISTROS do STF que declaradamente CONDENARAM RÉUS sem PROVAS na AÇÃO 470, descumprindo a CONSTITUIÇÃO FEDERAL onde DETERMINA a prevalência da PRESUNÇÃO DA INOCÊNCIA.

     

     

  23. Caros senhores, muito cuidado com o que há de vir.

    Vejo que várias pessoas colocam comentários jocosos quanto a este projeto de Lei da bancada evangélica, porém se havaliarem com cuidado é o nosso Ato Intitucional nº1 de algo bem mais sinistro do que o golpe de 64 que pode vir.

    Isto que estão vendo não é um ato da direita tradicional, é um ato para que se imponha um Estado Religioso no nosso país!

    Porque este perigo é forte e iminente, porque se raciocinarmos em termos de relação de forças entre a direita tradicional com seus coxinhas e a esquerda plural se articulando com todas as suas forças, vemos que a instabilidade de um governo com uma normalidade democrática ou pseudo democrática é muito grande.

    Para barrar a esquerda e as outras forças democráticas, não será suficiente o uso da força através das policias civis e militares, pois estas no desenvolver do que há de vir também ficarão divididas e não serão todos os seus quadros que aceitarão uma repressão pólítica violenta e clara.

    Logo após o golpe “institucional” independendo quem será o presidente, a importância das privatizações, da entrega do pré-sal para gozo do bando imenso de oportunistas será apenas como moeda de troca para quem tiver capacidade de mobilizar milícias do tipo “squadristas” do fascismo italiano. E quem são os únicos com esta capacidade de montar estas milícias, simplesmente somente um grupo, os evangélicos pentecostais e neo-pentecostais (não os tradicionais é claro). Lembre-se que Hitler com uma SA (Sturmabteilung) com três milhões de membros conseguiu levar o terror aos seus adversários e uma falsa situação de segurança ao povo alemão (que pagou extremamente caro por esta “segurança”).

    Se calcularmos por baixo, é possível em pouquíssimo tempo esta bancada armar suas milícias que num primeiro momento perseguirão “bandidos em geral” e traficantes, assim como ateus comunistas, sendo aplaudida pela população em geral, não esqueçam que o trabalho dos evangélicos em cadeias como elementos de contensão é elogiado até por governantes da base do atual governo.

    Este é o único caminho possível da direita brasileira, o uso de legiões de pessoas bem doutrinadas e ativas nas diversas denominações religiosas.

    Não estou dizendo que isto será manso e pacífico, pois a história apesar de ser algo conhecido por poucos pode alertar sobre tempos piores, entretanto se esta alerta não matar o mal pela raiz muitas, mas muitas pessoas boas de ambos os lados poderão ser perdidas neste embate.

    Poderão dizer, isto é muita regressão, mas como temos visto com o DAESH há espaço no mundo para abortos como este.

    • Tb achei essa reação

      Tb achei essa reação assustadora. Isso tudo só pq o MAM ousou tocar no irmão Cunha o” Ungido”.

      Numa boa se a crentaiada conseguir travar o STF aí vai ser a treva! O imperio da caretice! Os caras ainda nem deram o golpe direito e já querem ferrar com a gente. Hoje mesmo, aqui no RJ, em Copacabana dois médicos e uma mulher foram presos numa clínica de aborto. O ginecologista, o anestesista e a mulher que tava lá pra abortar…. Ah gente, tô gostando disso que tá vindo por aí, não. Eu prefiro ditadura militar. tô falando sério.

      Dilma não saí daí, de jeito nenhum! Agora, deu ruim. Nós, mulheres, estamos ferradas, De um lado estão os evangélicos e de outro os maçons… Não vai dá pra ser na educação mais não. Acho bom o STF dar um jeito no Cunha, ONTEM. E su Gilmar, se acha o irmão Cunha engraçadinho, leva pra casa pq se o anjo da ficha corrida pode ser presidente a Dilma ficha limpinha tb pode. Dilma fica e, assunto encerrado. GM, que já trocou o Toffoli pelo Kim, agora, troca os dois pelo Cunha e vai com ele ser vice-pastor. 

      PUTZ! E, eu, bobinha, achando que o Golpe era o pior que podia acontecer.Vamos virar uma nação evangélica. Min. MAM é o infiel…

      É a república da cobra! Tô com medo, de verdade, agora. Dilma, fica aí, não saia nem que os golpistas arrumem 590 votos! Nunca pensei que fosse dizer isso mas, não é melhoe fechar logo esse congresso? Que doideira!

      • Opus Dei

        Cristiana

        Bom dia!

        Voltei recentemente do Chile e, pelo que ouvi (e faço isso extensivo ao Brasil), o poder oculto está mais para o Opus Dei (elite católica) que nos maçons, já relegados para o passado, em histórias de Sherlock Holmes.

        Alckmin é do Opus Dei….

        • Alexis, a Opus Dei será uma concorrente aos evangélicos, logo…

          Alexis, a Opus Dei será uma concorrente aos evangélicos, logo passado o início temos aí uma condição de enfrentamento religioso. Não pense que ficarão irmanados num espírito cristão.

          Provavelmente teremos algo como a Noite das Facas longas, sendo a SA (os evangélicos) e a SS (A Opus Dei), ou seja, se utiliza a massa meio amorfa e de baixo poder aquisitivo para assumir o poder e reprimir os movimentos de esquerda e após isto, devido à oposição do exército e dos grandes industriais um grupo para militar, mais de mais fino trato, ligado ao grande capital se encarrega de se livrar dos “chinelões”.

          Na Alemanha foi assim, se vai se reproduzir no Brasil é outra coisa, mas o “modelito” já existe.

    • rdmaestri, nós sabemos como a

      rdmaestri, nós sabemos como a história das SA acabou e como elas foram diminuídas a um papel menor… Será que uma possível saída para a crise é ilustrar as FA o perigo delas perderem o monopólio da força ??? Ou acabaríamos depois de um golpe Branco, com o fortalecimento dessa gente, correndo o risco de um golpe militar, para o Exército retomar o monopólio da força ???

       

  24. E que moral tem esses senhores pra julgar

    se a lei não agrada, mudem-se as leis. Esse congresso cada vez mais nos decepciona. O grande vilão dessa historia é o congresso .E que moral tem esses senhores pra julgar alguém?

    • Chocada tô eu…. a

      Chocada tô eu…. a crentaiada pirou pqo min. MAM tocou no ungido. Pode ser que eu me engane mas acho que o min. MAM tá pouco se lixando pros chiliques do Cunha. Mais nojento foi o papel do recalcado do GM, dizendo que não sabia que existia impeachment de vice. O lado bom é que como foi o GM que começou MAM está livre pra fazer o que ele faz melhor, ou seja, zoar, trollar, tirar onda e deixar o beiçola irado.

       

  25. Composição do Congresso Nacional a pior da História do Brasil
    É vergonhoso, pois está é a verdade tem-se a pior composição de deputados do Congresso Nacional na História do Brasil. A bancada da beatice, a bancada da bala e a bancada do boi representam os eleitores retrográdos, recionários e violentos. Cunha levará um susto quando o STF julgar o pedido do seu afastamento da Presidência da Câmara antes da votação do impeachment de Dilma no plenário no dia 15. Ele escutará no julgamento o pronunciamento de alguns ministros sobre o seu desvio de conduta e caráter e com certeza dará chilique. E como disse Mello o único ministro do STF que não tem se esquivado das perguntas dos jornalistas sobre o impeachment de Dilma, quando Cunha negou-se a cumprir a ordem de aceitar o pedido de processo de impeachment contra Temer ele respondeu ao jornalista citando o grande Rui Barbosa “fora da lei não há salvação”.

  26. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome