Banqueiro André Esteves quer recuperar controle do BTG Pactual


O banqueiro tem relação próxima com a família de Aécio Neves – Foto: Reprodução
 
Jornal GGN – O banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, foi preso em desdobramento da Operação Lava Jato acusado de interferir e prejudicar as investigações. Mas enquanto espera que a Justiça decida sobre o seu caso, o fundador e maior sócio individual do banco de investimento estaria se preparando para voltar a assumir o controle oficial da instituição.
 
Ele foi acusado de tentar comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, no fim de 2015. Mas o Ministério Público Federal (MPF) mudou de ideia e considerou que não havia provas materiais para incriminá-lo, pedindo a sua absolvição.
 
De acordo com reportagens da Reuters e do Estadão, Esteves estaria esperando a absolvição da Justiça para pedir um cargo na Presidência do Conselho do BTG Pactual de volta. Ele já retomou parte de suas funções, desde abril de 2016, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou o recolhimento domiciliar a André Esteves.
 
Mas para ocupar o posto oficial ele precisa de uma autorização também da Justiça, neste caso da Vara Federal do Distrito Federal. As acusações contra ele partiram do ex-senador Delcídio do Amaral, que perdeu a credibilidade dos investigadores desde que parte de suas delações não puderam ser comprovadas e foram contrariadas. Ele também foi acusado por Cerveró de ter pago propina ao senador Fernando Collor (PTB-AL).
 
O advogado de Esteves, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, está confiante do resultado positivo da Justiça Federal para que o banqueiro possa voltar ao comando do banco.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Reunião de Bolsonaro com ministros deve ser completamente pública? O que diz a lei

4 comentários

  1. vocês têm certeza de que é só ele que quer?

    recomendo que deixem da lado este fio da meada e passem a surfar as marolas geradas pelos potentes motores de lanchas repletas de estrangeiros e nacionais dispostos a investirem em portos e aproveitar por tudo pago, estadia, putaria, transporte em primeira classe e alimentação governamental

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome