Barroso, o STF como palanque de um maneirista a serviço do Estado autocrático, por Luis Nassif

Foto Migalhas (modificado)

O líder do governo, Carlos Marun, é um ogro. Mas quem está pretendendo deformar a Constituição a marteladas é o Ministro Luís Roberto Barroso e seus maneirismos.

Sua interferência no indulto de Natal do Presidente é um abuso que seria denunciado em outros tempos pela mídia, não fizesse parte do mesmo jogo de encenação dos “virtuosos” contra os “corruptos”.

Como bem colocado no artigo “Ação Direta de Inconstitucionalidade não é bagunça, por Márcio Ortiz Meinberg” não há nenhum amparo legal na intenção de Barroso de considerar inconstitucional o indulto presidencial. Sem entrar no mérito do indulto, sem entrar no mérito do deplorável Michel Temer, Barroso  incidiu em abuso contra a separação entre os poderes. Tentou se apossar de prerrogativas do Executivo, tentou atropelar os Constituintes, tentou utilizar o poder do Supremo para se sobrepor ao Legislativo. A arrogância política do Ministro “ilusionista” – apelido bem lançado por um jurista, incomodado com sua insistência em se declarar “iluminista” – suplantou até os deveres de moderação e de discernimento que se exige de um Ministro do Supremo, especialmente quando faz uso do poder que lhe foi conferido.

Fosse um país sério, Barroso seria impichado. O nível de atrevimento, a falta de semancol, o oportunismo político não dariam outra opção ao Congresso do que o impeachment, mesmo sendo proposto por um sujeito do nível de Marun.

Antes de iniciar essa sua escalada, Barroso invocou os juristas-políticos históricos, como Joaquim Nabuco, Ruy Barbosa e San Thiago Dantas. Ali Barroso “espelho, espelho meu” já dava indicações de sua falta de discernimento sobre sua própria dimensão intelectual e política.

Depois, tratou de espalhar suas interpretações de almanaque sobre os brasilianistas e o Brasil, um vexame! Esse simulacro de brasilianista foi reduzido a pó por diversos artigos acadêmicos, espantados com sua superficialidade. Enveredou pelo direito do trabalho, invocando um brasilianista à sua altura, Flávio Rocha, das Lojas Riachuelo. As estatísticas apregoadas foram desmentidas. E sua defesa foi a de que os números não eram dele, mas de terceiros – como se o autor não fosse responsável pelas fontes citadas.

Finalmente, apresentou estatísticas sobre reformas de decisão em 3ª Instância totalmente distintas daquelas levantadas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) – e entregues a cada Ministro do STF pelo então presidente Ricardo Lewandowski. Ou seja, tendo estatísticas oficiais que não endossavam sua tese, montou uma pesquisa com outro advogado, sem revelar a metodologia, e passou a utilizá-la da maneira que quis, do mesmo modo de quem tira conceitos da cachola para investir contra a Constituição. Recentemente, autodefiniu-se como uma pessoa que “só quer fazer o bem”.

Leia também:  A Zelotes acaba, vítima de seus próprios abusos, por Luis Nassif

Cáspite! É muita desmoralização para a casa que deveria ser o último reduto da Constituição.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

52 comentários

  1. O pior dos ministros

    Não há dúvidas de que se o STF ainda tem alguns ministros competentes, conhecedores do Direito e dos seus limites, há os iluminados  como o ministro Barroso. Esse não sabe nada da Constituição e das leis, atropela uma ou outra com a certeza de que é uma mente superior. Sua capacidade de declarar qualquer coisa inconstitucional e legislar qualquer absurdo vem de suas formulações rasas e sempre baseadas na ideia de um suposto iluminismo que definitivamente não combina com seu autoritarismo.

  2. Barroso é um fenômeno =

    Barroso é um fenômeno = conseguiu fazer que dois antípodas do jornalismo feito em blogs ( Nassif e o black-blog Reinaldo Azevedo ) entrassem no coro  “Impeachment no Borroso”  rss

     

     

    • Bem lembrado. Ilustra também

      Bem lembrado. Ilustra também essa deterioração extrema das instituições o encontro fora da agenda da presidente do STF-Cármem Lúcia – com um potencial réu a quem a distinta irá julgar, no caso o presidente Temer.  

      Vivemos atualmente na República Despudorada. 

  3. Assim como no Caso de Veja,se
    Assim como no Caso de Veja,se Barroso for detonado como tudo está a indicar,deva-se a isso a um único personagem:Luis Nassif,o maior jornalista de sua geração.

    • Que Don Atobello é o chefete

      Que Don Atobello é o chefete da Máfia Palaciana,é do conhecimento até do mundo mineral.As prerrogativas do “Indulto Natalino” cabe unica e exclusivamente ao Presidente da Republica por dispositivo Constitucional.Barroso,além mau carater é um désposta de quinta categoria.O unico desses onze parlapatões e parlapatãs,para o bem ou para o mal,que utiliza-se com maestria o vernaculo portugues/juridico é Celso de Melo.

  4. Assim como no Caso de Veja,se
    Assim como no Caso de Veja,se Barroso for detonado como tudo está a indicar,deva-se a isso a um único personagem:Luis Nassif,o maior jornalista de sua geração.

  5. Jurisprudência

    Não creio que o ministro seja idiota para produzir tamanho absurdo. Acontece que por certo ganhará a eleição quem se comprometer a conceder indulto ao Lula ainda no primeiro dia do mandato. Então, já haverá precedente para anular o decreto…

  6. Se o Temer é um quadrilheiro
    Se o Temer é um quadrilheiro , como disse Ciro Gomes em entrevista, ou chefe de organização criminosa como citado aqui no blog , Barroso apenas espelhou a indignação da sociedade.A decisão do ministro, ficou bem clara, é liminar.O plenário decidirá. Aí veremos que a voz do povo não é nada e nunca foi.Em 2018 elegeremos muitos Maruns.

    • Adailton.
      Esse é que o

      Adailton.

      Esse é que o problema: juízes, magistrados e ministros não tem o DIREITO; repito, DIREITO. de fazerem nenhum juízo de valor – seja positivo ou negativo – acerca de temas, personagens e situações que direta ou indiretamente estejam ou possam estar sob escrutínio dos mesmos. O ônus de quem opta pelo ofício é a discrição, o distanciamento e a mais absoluta neutralidade.

      Há, de sobra, outros atores sociais e políticos para expressar ou traduzir a indignação do povo: a Política, os meios de comunicação, os movimentos sociais etc. Juiz(sentido lato) é para julgar conforme as leis. Se pronuncia só nos autos. Somente de uns tempos para cá, mais exatamente após a Esquerda(PT) no Poder, é que o Judiciário passa a ignorar essa “ascese” jurídica. Coincidência.

  7. Sem querer ser o chato e já

    Sem querer ser o chato e já sendo.

    Quem colocou o Barroso lá? E a Carmen? E o Fux? E o Toffoli? E o Fachin? E o Joaquim Barbosa?

    • E daí? Por acaso o

      E daí? Por acaso o responsável pela indicação tinha bola de cristal? À época das indicações, todas chanceladas pelo Senado, nenhum dos indicados antecipou como agiria depois de empossado. 

        • Efetivamente, me expressei

          Efetivamente, me expressei mal. Reafirmo que Lula e Dilma tiveram, sim, as melhores das intenções quando dessas nomeações. A Corte Suprema do país se ressentia, sim, de nomeações que refletissem o espectro social ,e não só o político-ideológico. As nomeações de Joaquim Barbosa, negro; Carmém Lúcia e Rosa Weber, mulheres; Tóffoli, juventude; Carlos Ayres de Brito, nordestino; NESSE SENTIDO foram mais do que pertinentes: simbólicas. Se os nomeados não corresponderam; se se deixaram encantar pelo canto da sereia da mídia, ou, o que é pior, se acovardaram simplesmente perante a mesma, aí é que entra a alegada “bola de cristal”. 

          Se formos analisar unicamente pelo prisma do pragmatismo político, evidente que os mandatários petistas foram ingênuos. E ingenuidade em política é um crime(a máxima não é minha; não cito o autor por não lembrar agora). 

      • Pela primeira vez vou

        Pela primeira vez vou discordar de meu amigo Costa. As indicações de Ministros para o Supremo nos governos do PT foram DESCUIDADAS. Para indicar alguem para um posto onde não se pode demitir, o Presidente precisriaa conhecer profundamente a personalidade, o carater, a cultura do indicado. Esse cuidado NUNCA foi tomado, Lula e Dilma na maioria dos casos não conheciam o indicado e muito menos conversaram com o sujeito, se fiaram em palpites de companheiros de churrasco. Roosevelt passava quatro ou cinco fins de semana em Hyde Park com potenciais canidatos à Suprema Corte para sentir a personalidade do fulano,  é possivel a um bom observador experiente analisar alguem conversando horas, dá para sentir.

        É um cargo onde não se pode demitir depois de nomeado e esse indicado pode acabar com a vida de quem indica, então todo cuidado é pouco. Lula pedia a esse conselheiro tipo “agora quero indicar alguem do Nordeste” e lá veio Ayres Brito, “agora quero um afro descendente” e lá veio Barbosa, escolher assim alguem para um cargo crucial é muita leviandade, o STF

        não é lugar para cotas e regionalismos, os indicados pelo PT, salvo engano,  foram  12 (os 8 de agora mais Barbosa, Peluso, Ayres, Direito)  havia nos respectivos momentos juristas de muito maior desnidade à disposição para serem indicados.

        Nota zero para o Senado, que nunca reprovou um indicado desde 1891, quando o STF foi instalado, O Senado americano REPROVOU um quinto dos indicados e as sabatinas lá podem durar meses, a ultima indicada por Obama, Sonia Sottomayor

        ficou OITO meses em sabatina e quase foi reprovada, passou por um voto, viraram ela do avesso para saber o que pensava.

        • Ultimamente tenho restringido

          Ultimamente tenho restringido ao mínimo minhas intervenções tanto neste espaço como nas ditas redes sociais. Quando o faço é de maneira suscinta o que certamente prejudica a análise mais acurada do tema em destaque. 

          De qualquer modo, é um  prazer quando colegas divergem do meu ponto de vista. Em especial quando são detentores de conhecimento melhor que o meu. 

          • Mas o que que ha, meu nego ? 🙂

            Bom, ja que você falou e eu nem sempre sou discreta, qual o motivo de restringir seus comentarios no Blog? Se não for por razões pessoais, claro.

          • Grato pelo interesse, Maria

            Grato pelo interesse, Maria Luisa. Problemas pessoais e, confesso, também um pouco de enfado pelo debate monotemático que por sua vez nos induz a repetir  comentários. Fruto da conjuntura de um país travado pelas mesmas questões e contenciosos: golpe, eleições, corrupção, moralismosf9also e verdadeiro), fascismo, protagonismos, forjados,  reacionarismos repugnentes, e por aí vai. 

          • Eu que agradeço a gentileza da resposta

            Entendo perfeitamente, JB. E penso que você não é o unico. Todos nos sentimos, em graus variados, esse cansaço e desânimo com esse processo politico e sua derivas. Mas toda vez que penso sobre isso me ocorre que “um filho teu não foge a luta”.  Posso ser ingênua, mas sou incapaz de abaixar os braços ao ver que sem nos aqui, sem jornalistas como Luis Nassif ou pessoas como você, que é uma pessoa experiente, lucida e generosa, o Brasil caira de vez nas garras dessas elites que expoliam o Pais e não cuidam do povo.

            A gente faz a parte que nos cabe neste latifundio. Por nossos filhos e um dia, quiça, netos. Para não dizer que não falei das flores: “Combati o bom combate, encerrei minha carreira e guardei a fé”.

        • Brilhante como sempre André,

          Apenas uma correção histórica para ficar consignado. Ocorreram 5 recusas do Senado a Ministros indicados ao STF, todas no governo Floriano Peixoto (1891-1894) na novel República, conforme o livro ´NOTAS SOBRE O STF – IMPÉRIO e REPÚBLICA´ (2014) de autoria do Ministro Celso de Mello:

          ” INDICAÇÕES PRESIDENCIAIS, PARA O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, REJEITADAS PELO SENADO DA REPÚBLICA –

          Na história republicana brasileira, ao longo de 125 anos (1889 a 2014), o Senado Federal, durante o governo Floriano Peixoto (1891 a 1894), rejeitou cinco (5) indicações presidenciais, negando aprovação a atos de nomeação, para o cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal, das seguintes pessoas: (1) Barata Ribeiro, (2) Innocêncio Galvão de Queiroz, (3) Ewerton Quadros, (4) Antônio Sève Navarro e (5) Demosthenes da Silveira Lobo.

          Nota: Cabe registrar que, nos Estados Unidos da América, no período compreendido entre 1789 e 2014 (225 anos), o Senado norte-americano rejeitou 12 (doze) indicações presidenciais para a Suprema Corte americana.”

          http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/publicacaoPublicacaoInstitucionalCuriosidade/anexo/Notas_sobre_o_Supremo_Tribunal_2014_eletronica.pdf 

           

      • Normal que todo agraciado com

        Normal que todo agraciado com um alto, bem remunerado, prestigioso e vitalício cargo, acredite estar ali por mérito próprio e não pela campanha realizada para a indicação. Assim, trata logo de morder seu benfeitor para mostrar independência. A humanidade ainda tem muitas pequenezas.

  8. Calma, Nassif

    Acho que sua implicância com o Ministro Barroso já virou coisa pessoal. Várias de suas críticas são pertinentes, e no começo estava muito na sua onda. Mas vendo com mais calma, ele – com todo o pedantismo, e apesar de ter falado muita bobagem ‘pagando’ de iluminista – está tentando enfrentar o Temer, teve a história da quebra do sigilo e ESSE É O REAL MOTIVO de quererem impitimá-lo. 

    Apesar de tudo, estou me convencendo cada vez mais que ele ainda é um dos menos piores que temos ali dentro. Vamos tirá-lo e quem Temer vai indicar?? Pelamor, assim fica parecendo aquela esquerda que gritava “Fora Todos, Fora Dilma!”, e que ficavam com cara de bobos quando perguntávamos: “Legal, tira a Dilma e põe quem no lugar?”

    Menos Nassif, Menos…. tente ver de que lado ele está nessa batalha

  9. Não é coincidência que

    Não é coincidência que figuras toscas e sinistras como Barroso e Moro tenham assumido tanto poder. Há um traço comum que os qualifica para a tarefa que desempanham: são pró-mercado.

  10. Barroso pratica diversionismo

    Barroso pratica diversionismo. Quer prender Lula, impedi-lo de influenciar na eleição. Quer, além disso, demolir o que rest da esquerda brasileira na sua luta contra o desmonte do estado nacional e das parcas garantias individuais que tinhamos. Para cumprir esse objetivo, vale tudo. Batendo em Temer, ele ganha legitimidade, até em alguns setores da própria esquerda que mal compreendem a guerra em que estamos. Venhamos e convenhamos, bater em Temer é simples. Ganhar dele Barroso sabe que não tem as fichas necessárias. Nem mesmo no próprio stf. 

  11. Precisamos ser sincero, o PT

    Precisamos ser sincero, o PT não acertou uma indicação para o STF.  I’m sorry, mais o replublicalismo do PT, que eu mesmo achava louvavel foi um do seus maiores erros….Espero que esta cag%#a não se repita, é dar MUITA chance! 

     

    • Infelizmente qualquer um lá faria a mesma coisa

      Duvido muito que qualquer pessoa no lugar desses ministros faria algo diferente diante dessa tática de “Pressão Total” anti-esquerda, anti-PT por parte da mídia e de todas as outras instituições.

      Esse fenômeno social e cultural que tomou conta do Brasil não aceita nenhuma voz dissoante… é uma desgraça!

      Somente alguém muuuuito “politizado” e idealista seria capaz de confrontar esse “status quo”. Se algum ministro ali sair um pouco do script as consequências são óbvias: capa da Veja, capa da IstoÉ, vida pessoal revirada, passado investigado, ataques em todas as redes sociais, em blogs fascistas, etc.

      Nunca podemos esquecer que esses ministros são chantageados pelos meios de comunicação… jornalistas conhecem os podres do ministros e sabem o que eles fizeram para chegar ali… 

      É necessário se corrigir várias distorçoes no sistema: Proibir premiação para juízes, investigar o sorteio do STF, acabar com as indicações políticas, etc.

      O caminho é longo… e estamos caminhando para trás.

    • não tem nada a ver uma coisa

      não tem nada a ver uma coisa com a outra, essa é uma ideia absurda, “a culpa é do pt”, que loucura.. a porcaria é ruim porque o sistema é ruim.. cada ministro desses, uma vez tornado ministro, o é pelo resto da vida, e depois de morto ainda deixa pensões para família, ou seja, não tem responsabilidade nenhuma com ninguém, a não ser com um poder imediato que possa atingi-lo, positiva ou negativamente, durante o exercício, esse é o problema.. pŕecisa mudar o sistema.. não tem nada a ver com indicação de PT..

  12. Não foi esse sujeito que extraditou uma brasileira nata pros EUA

    Não foi esse sujeito que extraditou uma brasileira nata pros EUA, contrariando expressamente a constituição brasileira, com base numa duvidosa interpretação sobre perda da nacionalidade brasileira? 

    Este parece ser o pior STF desde sua criação.  Estão se julgando onipotentes, criando leis, alterando decretos, fazendo leituras equivocadas da constituição.  Foram as piores escolhas possíveis as que a Dilma e o MJ Cardoso fizeram. 

    Para dar um basta nisso é preciso que o Legislativo estabeleça limites muito claros pra essa gente, alterando a CF.

    Se não der, o próximo presidente deverá agir para convocar uma nova A.N. Constituinte.  

    Sem segurança jurídica não dá pra viver neste país.

     

     

     

  13. NASSIF, comentaristas: duvidei do ´iluminismo´ do professor

    O ´direito´ de ser diferente?

    NASSIF, em 14/12/2012, antes da indicação ao Supremo do ´iluminista´ prof. LUÍS ROBERTO BARROSO, postei aqui uma crítica por sua defesa de leis de segregação de direitos raciais – cotas raciais – quando sua indicação ao STF era uma unanimidade festejada pelas esquerdas. Para mim estava evidenciado que seria sempre um defensor de suas convicções pessoais e jamais um guardião da Carta Magna, o papel substancial de membro do Supremo Tribunal Federal.

    Contido no post: https://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/as-cotas-e-o-direito-de-ser-diferente

    Copio aqui a parte relativa ao professor:

            “O DIREITO DE SER DIFERENTE – uma tese do Ministro Barroso a favor das ´cotas raciais´”

            “A propósito de comentários no post “O racismo contido no ´politicamente correto´ –  http://http://www.advivo.com.br/blog/luis nassif/o-racismo-contido-no-politicamente-cor...  – em que se defendeu o direito de tratamento diferenciado em razão de características pessoais dentre a espécie humana.

    Ouso trazer minha reflexão que faço a partir de NANCY FRASER, a filósofa feminista, que desde os anos 1990 tem apontado os vícios e virtudes dessa tendência de políticas públicas em que, sob a questão racial, trago a evidencia delas serem reacionárias. Não tenho dúvidas: a segregação de direito raciais é uma opção de direita visando minar os ideais iluministas da igualdade e unicidade da espécie humana e os sonhos socialistas da mais proveitosa e substancial igualdade material para todos.

    Para contextualizar a marcha das cotas raciais no Brasil que tem sido patrocinada a partir de 2003 pelos governos mais comprometidos com as mudanças sociais, consagrando os esforços e os investimentos das ´Foundacion´s´ norte-americanas, lembro que as primeiras iniciativas de segregação de cotas raciais, possuem DNAs que apontam para a pior direita: aquela que se esconde no populismo e não faz o discurso da direita.

    Pois bem, a primeira lei de cotas raciais nas universidades, surge no Rio de Janeiro em 2001, por decreto do governador Garotinho, então no PDT. E o primeiro projeto de lei de cotas raciais na universidade e concursos públicos foi proposto no Senado em 1997, pelo Senador SARNEY, conhecido líder populista do Maranhão.

    Por essa razão, na presidência do Congresso SARNEY foi o grande fiador e impulsionador do PLC 180/2008 de autoria de outra maranhense a Deputada NICE LOBÃO do PFL-MA, que aprovou em 2012 a Lei de Cotas nas universidades.

    Os afro-brasileiros que viveram e vivem sob influência dos governos Garotinho e Sarney, disputam a liderança de ausência do estado, violência policial, degradação dos direitos sociais, milícias institucionalizadas, territórios sob controle do crime organizado.

    Os afro-maranhenses são vítimas do mais baixo IDH dentre todos os afro-brasileiros, de 0,488, no mesmo nível dos africanos mais pobres. Com o maior número de terras de Remanescentes de Quilombos já identificadas pela Fundação Palmares, cerca de 45% das mais de 1.000 comunidades, decorridos vinte e quatro anos, não tem sido reconhecida nem recebido os títulos das terras conforme determinou o artigo 68 das Disposições Transitórias Constitucionais de 1988.

    O festejado jurista LUIS ROBERTO BARROSO em alentado parecer a favor da segregação de direitos pelas cotas raciais, não encontrou outra convincente base constitucional nem razões na filosofia jurídica para justifica-las, que não fosse discutível, senão esse duvidoso direito ao reconhecimento de ser diferente que será ainda mais pernicioso se aplicado pelo estado pela consideração de diferença ´racial´ conforme tem sido empregado nas leis e políticas públicas no Brasil. Desde o fim da 2a guerra mundial, a luta contra o racismo estatal, impõe aos estados nacionais a abstenção em políticas públicas raciais.

    A despeito da decisão unânime do Supremo Tribunal, de abril passado, que veio impulsionar os defensores de políticas raciais segregadas continua valendo a expressão do sentimento nacional outorgada pelo povo constituinte que está inscrito como uma cláusula de direitos humanos, portanto, não passível de emenda supressiva.

    Diz no art. 19 da CF/88:

    “É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

    …. III – criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si.      

     

    Ao contrário do que muitos pensam, esse é um debate que não terminou.

    Esse debate apenas começa. A vigência das leis raciais produzirão muito sofrimento para os afro-brasileiros vítimas sistemática da perversidade das classificações raciais.

    A unanimidade do plenário do STF, onde deveria imperar a sabedoria e o dever de honrar, cumprir e fazer cumprir a Carta Cidadã, apenas confirma a máxima de Nelson Rodrigues. No Alcorão, fonte do direito hebraico, se um Tribunal decidisse por unanimidade o julgamento era, automaticamente anulado e outro julgamento procedido: a unanimidade significava que o assunto em pauta não havia sido examinado com as minúcias necessária.

    Algum dia no futuro teremos uma composição da Corte Alta comprometida com os ditames expressos na Carta que tem sido reiterada e sistematicamente violada por seus membros que não receberam essa incumbência do constituinte originário: o povo.

    (Era o que afirmava em 14/12/2012 aqui no Portal).

     

     

  14. Não conhecia o lada
    Não conhecia o lada messiânico do Barroso, com direito a citacoes biblicas. Mas, dito isto, a tese levantada pela gargola do inominável para pedir impeachment do Barroso é muito ruim. Se todo o ministro que tomasse decisões inconstitucionais pudesse levar um impeachment cairiam todos os 11. O pitpoodle de Temer está querendo apenas fazer bobulhas.

    • não vejo sentido no seu

      não vejo sentido no seu raciocínio, “Se todo o ministro que tomasse decisões inconstitucionais pudesse levar um impeachment cairiam todos os 11”.. por certo que sim! Eles estão lá única e exclusivamente para defenderem a constituição, se ao invés disso a atacam, tem que ser afastados.. é a mesma coisa de vc levar uma pessoa em um hospital, ao invés de assisti-la o médico resolve matá-la.. será que ele deve ser demitido? Oh, mas e se todos os médicos fizerem isso, vamos demitir todos? É óbvio que sim.

  15. Escolha de mais um coxinha dentro da elite meritocática

    Mesmo algum deles vindo do Brejo da Cruz (Chico Buarque), o sistema meritocrático torna-os coxinhas. Alguns aproveitam o cargo para arrumar a vida de familiares e, em alguns casos, compram propriedade em Miami seguindo o caminho de qualquer coxinha deslumbrado. Hoje defendem os seus privilégios e alguns, especialmente, agem em forma corporativa evitando que delatores abram o jogo da histórica convivência do judiciário com a corrupção. Lula não teria como escolher um Juiz que faça dessa profissão um apostolado em favor do povo, pois há falta espantosa de juízes comprometidos com o seu papel. Não é o pior STF do mundo, mas sim a pior elite do mundo.

  16. impeachment?

    impeachment? A questão principal é que eu, e certamente a maioria do povo brasileiro, não queremos mais pagar o salário do barroso, nem da carmem, nem do fachin, enfim, não queremos pagar e ainda queremos restituição.. essa é a única questão importante neste momento.. precisamos descobrir como fazer isso..

  17. pecados capitais……..

    Sendo un “ateu praticante e assumido”, a ponto de “envenenar ” o clima na ultima festa de natal familiar, quando uma parente, olhando-me nos olhos, teve a “boa ideia” de propor que todos, de mão dadas, agradecêssemos a Deus………O que provocou meia hora de discurso anti-religioso de minha parte e consequente saida da “casa dos parente”, de barriga vazia e a minha cara metade me perguntando(com razão) se eu não teria perdido uma boa oportunidade de ficar calado……

    Voltando ao assunto, me parece muito “interessante” a utilização do discurso religioso na boca de juizes e mps nestes tempos………….Tenho a impressão de assistir um serie policial americana de péssima qualidade…….. E tambem me parece “divertido” essa maneira algo “por quilo/self service” na utilização do discurso e “preceitos religiosos, pego o que gosto e o que me covem, o resto não vem ao caso….

    Relembro aos “nobres do judiciario” e assemelhados alguns dos 7 pecados capitais:

    O orgulho ou soberba…..sem comentarios…

    A ira……o punitivismo reinante…….

    A avareza ou ganancia…….auxilios e penduricalhos…..

    Realmente, pelo bem das almas do “nobres do judiciario”, espero ter razão no meu ateismo……se não , vai ter superpopulação carceraria(de juizes e assemelhados) la no quinto do infernos…..

     

  18. Barroso ou Temeroso?

    Sem entrar no mérito da questão: Quando nos esquecemos do Temeroso para focar no Barroso a coisa tá feia mesmo. The perfect world é uma utopia. Ou focamos no maior mal que nos aflige ou vamos cada vez mais pro fundo. Eu prefiro um milhão de Barrosos do que um só Temeroso.

  19. Barroso, um nome que viria nos redimir!

    Eu me lembro, como não?

    Quando o juiz barroso, ex-procurador do Estado do RJ (atenção, atuava como na PGE e não no mp) estava para ser indicado, e logo depois, em alguma celeuma jurídica desses tempos de ditadura civil-judicialista-financista e agora também militar, li vários elogios aqui, incluindo do editor Luis Nassif.

    Alguém usou a expressão “ponto fora da curva”, acho que foi o próprio Nassif, dizendo que barroso seria uma correção daquilo que era (ainda) ingenuamente considerado uma “aberração” do stf, em algum julagamento, creio eu sobre a ação 470.

    Por que estou a lembrar isso?

    Ora, para ratificar aqui o argumento de vários comentaristas, que a mer ver não se excluem:

    Uns, como o André Araújo, alegam que o PT foi descuidado. Outros, que fomos enganados.

    Nem uma coisa nem outra, foram as duas coisas juntas e talvez outras tantas.

    E a expressão de júbilo de Nassif na época quando barroso foi ungido revela isso.

    Nassif não é um interlocutor comum, como nós. Nassif circula por terrenos que os seus comentaristas (salvo exceções) não têm acesso.

    Por isso também detém ferramentas de análises mais poderosas.

    E se ele, com tudo isso, “caiu do cavalo” e agora mete o malho no homem da capa preta, o que dizer do PT e de tantas pessoas atarantadas com as múltiplas agendas e demandas que assombram quem tem a tarefa de governar esse paquidérmico país?

    Ao mesmo tempo, boa parte das indicações também serviram para alimentar as expiações de culpa do PT e da esquerda e dos movimentos de gênero e raça que parasitam governos.

    Deu no que deu.

    E simples, questões de gênero, ou raciais ou quaisquer outras setoriais não PODEM orientar escolhas desse tipo, aliás, servem  para orientar muito poucas questões e todas elas atinentes aos limites das agendas desses setores!

    Se fosse um sindicalista da CUT um ministro, estaríamos na mesma merda!

    Foi um negro, e ele se mostrou mais “branco” que os demais, e “cagou” para o fato de presidir uma caçada a um governo que mais fez pelos negros em todos os tempos, incluindo ele!

    A imposição de mostrar que não era “grato”, nem agia impelido pelas questões setoriais ou políticas de solidariedade a quem o indicou (Lula) fez joaquim barbosa ser o pior capitão do mato possível.

    Assim como no caso das mulheres!

    Olhem a carmen lúcia, ela é tão machista e misógina que eu até proponho que façamos nela aquele horrível teste de feminilidade imposto a atletas. Os hormônios “jurídicos” que ela andou tomando devem ser proibidos!

    E tais questões atingiram até o setor partidário. As indicações de levandowski e toffoli foram pelas “esquerdas”, e o resultado? Vergonha, vergonha!

    toffoli é um gilmar mendes sem talento e sem coragem!

    levandowski, bem, levandowski…deixa pr’á lá!

    E o que fazer?

    Olha, nessa estrutura de juízes com (cargos) mandatos vitalícios, com a configuração da nossa CRFB e, pior, considerando que os estamentos jurídicos servem a conservação e exacerbação da ordem imposta (capitalista-financista), há pouco o que fazer!

    Só criando mecanismos de tempo (mandato por tempo determinado), e aumentando o poder do executivo (e subsidiariamente do legislativo) sobre tais cortes é que vamos recuperar alguma coisa.

    Ah, e claro, o fim do pudor hipócrita:

    Para ser juiz das cortes mais altas indicados por governos mais à esquerda, tem que rezar na cartilha dos interesses coletivos, na acepção de que o judiciário NUNCA pode estar a serviço dos interesses dos que têm grana, a não ser, residualmente!

    Não tem ponto fora da curva, nem curva. O papo tem que ser reto!

    • Parabéns! Disse tudo!

      Esta é uma tecla em que abto desde o começo: Se houve casos claros em que Lula e Dilma erraram e foram ingênuos, há outros em qeu fizeram sim o que aprecia mais correto, e foram traídos literalmente.

      Barroso, Zavaschi e Fachin pareciam pessoas extemamente técnicas e imparciais. Não havi nada que indicasse antes sua clara tendêncai conservadora e mediocre.

      Fux e Toffoli foram escolhidos por se mostrarem como agentes do PT no STF. Janot, quando ainda pretendia concorrer ao PGR, se encontrou com todos os principais líders do PT e se mostrou esquerdista e solidário. Aí vem o pessoa dizer que o PT foi ingênuo em não escolher alguém “amigo do Partido”. Mas eles escolheram, mas o pessoal simplsmente mudou de lado!

      Não dá pra negar que também as fraquezas e incomeptências da Dilma fizeram muitos destes apoios trocarem de lado por deduzirem que ela não teria futuro e que o lado golpista seria o lado vencedor. Mas esta é outra discussão.

      O caso de Joaquim Barbosa é emblemático: Chegou onde chegou porque Lula o bancou e quis um Ministro do STF negro. E o cara paga isto caçando Lula e o PT? É algo tão baixo, ilógico e inimaginável que tem que ser muito mal-intencionado pra ainda culpar o PT por uma escolha destas, ou por não “prever” o que ocorreria.

      Na verdade, o qeu vem gritando é que o PT quis sim preencher os cargos chave com gente parcial e técnica, ou com gente alinhada à Esquerda, mas o fato é que esta é a pior geração de brasileiros da História, uam geração mediocre e medonha, formada por gente pequena, mesquinha, falsa, hipócrita, egoísta, ultra-conservadora, ganaciosa e cheia de rabos presos facilmente identificáveis pela mídia. Como preencher tantos cargos com gente tão desprezível ( e estes ainda eram os melhroes, imagine os piores).

    • Prezadoa sabatina permitiu

      Prezado

      a sabatina permitiu um teste de conhecimento, não de caráter. O cuidado para avaliar solidez de caráter, compromisso político e amadurecimento caberia a quem escolheu. Me enganei terrivelmente duas vezes, confiando no discernimento de lula e Dilma: com Barroso e com o próprio Temer. No caso de Barroso com o agravante de ter sido o primeiro a tratá-lo por iluminista. O ilusionista me passou a perna e em todos os juristas que consultei na época sobre ele. Até em seu colega de classe Wadih

      • Data vênia, Nassif.

        É essa a questão!

        Olha, temo ser arrogante, mas não reconheço nenhum, eu repito, nenhum conhecimento que possa ser sabatinado no senado a respeito da defesa da Constituição!

        Nem nas referências oferecidas por você.

        O nível da indigência intelectual de nossa advocacia (uma caixa de repercussão do que acontece nos EUA, e um pouquinho na Europa) são sofríveis.

        Nossa “contribuição” moderna e recente ao Direito é criar excrescências e violações a golpes do tacape hemernêutico!

        Temos também a “tese” do processo com escuta ilegal validado, que celebra a “tese” do aproveitamento de parte das provas ilegais ou das partes do processo que vêm depois, com a inversão criminosa da Teoria dos Frutos da Árvore Envenenada (The Fruits of the Poison Tree), onde sdecepamos a árvore, os frutos, as folhas, e salgamos a terra!

        E tantas outras!

        Começamos tudo por considerarmoa que Direito é uma ciência! Arf! Como se esse rótulo (errado, totalmente errado) conferisse alguma seriedade ao que fazem!!!!

        Voltando ao tema principal.

        Não vou me estender, claro que a prerrogativa de avaliar (e de se enganar não era sua).

        Mas o que quis dizer é que o engano é factível a todos e por vários motivos, disse isso no meu comentários.

        Aqui, nas questões do stf e demais cortes, precisamos entender primeiro:

        – O estamento jurídico serve a conservação e manutenção da ordem como ela é, elitista e segregadora. 

        Escolher alguém que faça a defesa da CRFB para além dos salamaleques e mimetismos cerimoniais e processualísticos é difícil, porque é preciso caráter para entender que JUSTIÇA é algo muito além do judiciário e das sentenças.

        É preciso caráter para enfrentar o desafio de defender uma ordem constitucional caótica e esquizofrênica (como nós, a sociedade que a gerou) sabendo desde o princípio que o formalismo ou a heremêutica não podem sufocar a certeza de que o sistema para o qual as leis foram criadas é, por sua natureza, INJUSTO, e para fazer JUSTIÇA é preciso, ás vezes, atacar esse sistema e suas leis ou digressões sobre elas.

        E como avaliar caráter?

        Desculpe de novo a arrogância, mas o atual estágio da OAB, da magistratura, enfim, do ministério público mostra que estamos na idade da pedra no tocante ao Direito.

        Só em um ambiente cretinizante como o nosso teríamos um lex luthor como juiz supremo!

        Ou uma sentença que diga (ver rosa weber na ção 470), SEM QUALQUER CENSURA OU SENÃO DE SEUS PARES, que condena o réu pela literatura e não pelas provas!

        Ou ainda, um ambiente onde hada dúvidas e debate sobre a possibilidade de, vou citar ipsi literis: “execução provisória da pena”, sem a definição definitiva da CULPA!!!!!!

        “EXECUÇÃO PROVISÓRIA DA SENTENÇA”!!!!! E a OAB ainda não queimou em praça pública TODAS as caretiriinhas de seus associados???????????

        Como assim?

        Em qualquer outro país onde houvesse advogados e servidores públicos com um mínimo de caráter e inteligência, os tribunais que emitiram essa excrescência já teriam sido fechados e empalados!!!!

        Então, caímos no abismo: Nem temos conhecimento a ser avaliado, e o caráter exigido inexiste!

        Um abraço.

  20. O ponto fora da curva no supremo

    A trajetoria de Luis Roberto Barroso é a de alguém que tem muita ambição. Ambição em si não é ruim, mas quando se trata de uma pessoa orgulhosa, que precisa, por razões que nos escampam, provar a todo momento que esta à altura da posição social que ocupa, acaba chegando em afirmações em palestras com citações da Biblia… Jamais pensei ver isto de um Ministro do Supremo.

    Quando estava em campanha para chegar ao STF, durante um vôo, Barroso contou à uma amiga, que na época era reporter de O Globo, sobre sua filha e coisas um tanto intimas, mas num tom de que “veja como sou um cara moderno, legal, paizão, boa pessoa”.

    E desde que essa amiga me contou esse historia, que não saiu na reportagem, eu vejo essas mesmas atribuições nas entrelinhas das falas de Luis Barroso. No entanto nada disso interessa realmente ao Supremo Tribunal Federal. Nos precisamos de juizes que estejam além das aparências, que tenham firmeza de carater e proposito republicano. 

  21. NENHUMA das figuras que o PT

    NENHUMA das figuras que o PT indicou para o STF era “de esquerda”. Sequer progressistas no sentido clássico. O PT desprezou, por exemplo, Rui Portanova, um dos ícones da corrente do “direito alternativo”, que, honesta e explicitamente, fez campanha de seu nome, publicamente, para ser indicado para o Supremo, não em reuniões de gabinete e beija-mãos!

    http://www.espacovital.com.br/publicacao-28171-desembargador-gaucho-rui-portanova-e-candidato-ao-stf

    cavaleiroconde.blogspot.com/2008/08/rui-portanova-e-luta-de-classes-das.html

    https://www.estantevirtual.com.br/livros/rui-portanova/motivacoes-ideologicas-da-sentenca/2325248341

     

     

     

  22. O Barroso está em vias de

    O Barroso está em vias de lascar-se, e levar junto o stf.  Isso ocorre quando a fantasia pretensiosa de seu Iluminismo desmoronou por conta de recorrentes apagões. A falta de luz desse rapaz ocorre à vista de todos. No mais das vezes, em pleno jogo, o estádio, digo, o plenário do stf, basta o homi abrir a boca e, o stf entra em completo blackout.

    Diz Nassif, sem nominar, que num intervalo entre curto-circuitos provocados pelo Barroso, um generoso intelectual o acudiu e o presenteou com uma varinha mágica de Ilusionista. Ora, o cabra vive todo frajola atazanando a vida daqueles que são obrigados por dever de ofício, a ter que ouví-lo. É realmente muito desconforto ter que passar por situações vexaminosas, assistindo, as platitudes e trapalhadas autoritárias desse gajo. É um vexame após o outro. Um horror!

    Ao final, o prejú fica com a população brasileira que paga caríssimo, para ter um serviço jurisdicional de merda.

    Orlando

  23. Se o Fernando Henrique nomeou

    Se o Fernando Henrique nomeou o Nelson Jobim, com longa carreira como político, e o Temer, o Alexandre de Moraes,  para o STF, porque o PT não nomeou o Tarso Genro? Seguramente, tem mais saber jurídico do que uma Rosa Weber, uma Cármen Lúcia, um Alexandre de Moraes ou um Tóffoli.

    Não nomeou por estupidez ou covardia. Ou as duas coisas. Não tem como mascarar!

     

  24. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome