Celso de Mello desempata o julgamento do “mensalão” nesta quarta

Jornal GGN – Após o sim do ministro Celso de Mello, nesta quarta-feira (18), os 12 réus condenados na AP (Ação Penal) 470, conhecido como “mensalão”, terão direito a um novo julgamento.

O último voto sobre os embargos infringentes foi proferido pelo ministro decano Celso de Mello, em sessão plenária do STF (Supremo Tribunal Federal). Celso de Mello tem sob sua responsabilidade desempatar o placar de 5 a 5.  

Os ministros Luís Roberto Barroso, Teori Zavascki, Rosa Weber, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski votaram a favor dos recursos. Joaquim Barbosa, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Marco Aurélio foram contra.

STF agora deverá

Assista ao vivo:

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Moro reinterpreta lei para justificar conversas sobre as delações negociadas na Lava Jato

70 comentários

  1. Mas esse decano….decidiu

    Mas esse decano….decidiu falar tudo que nunca falou.  E os abutres se calam…sem gracinha!!!  Ainda por cima, dá uma aula para os mequetrefes…..tipo Fux…..que só sabe votar com o relator.  Vamos retomando a justiça……afinal, FlaxFlu só na cabeça doente do MAM!!!

  2. Julgamento embargos infrigentes

    E para variar, o covarde do ministro Gilmar Mendes, foge do plenário durante a leitura do voto do ministro Celso de Mello, e que neste instante está “lembrando” aos demais ministros o projeto de lei enviado pela presidência da República (FHC) em que o ministro Gilmar Mendes era o advogado geral da união, ou seja, foi o responsável pela feitura o projeto de lei, abolindo, acabando com os embargos infrigentes,e foi rejeitado pela Câmara Federal e pelo Senado Federal.

  3. Celso de Mello. Direito e democracia

    Celso de Mello dá uma aula de democracia aplicada ao direito.

    Todo o seu pronunciamento parte da apreciação de que é o próprio Estado democrático que cria instrumentos para coibir os seus excessos.

    Dentro deste controle preventivo está o amplo direito de defesa do cidadão e todas as garantias que o Estado dá ao poder judiciário para que os juizes não julguem acovardados por pressões.

    Neste sentido ele diz:

    “Estado constitucional brasileiro é caracterizado pelo solo fértil da liberdade”.

    “Essa Suprema Corte constitui por excelência a garantia das liberdades fundamentais”.

    “Para que sejam isentos e independentes, os juízes não podem se curvar à vontade popular, à multidão”.

    “A questão da legitimidade do Poder Judiciário não repousa na vontade de maioria contingente, mas pelas regras do Direito”.

    Ele critica com violência os colegas que fizeram uma interpretação restritiva e reduziram a possibilidade de defesa dos reus:

    “A resposta do poder público ao fenômeno criminoso, resposta essa, insisto, não pode se manifestar de modo cego e instintivo, há de ser uma reação pautada por regras, perante juízes imparciais e isentos”

    “Aquela velha e clássica definição aristotélica, de que o direito ‘há de ser compreendido em sua compreensão racional, da razão desprovida de paixão’. Neste sentido, diante do processo penal, (…) devem ser assegurados todos os meios e recursos permitidos a defesa”.

    Relata o que os ministros que votaram a favor já tinham alertado quanto à intenção do poder legislativo de manter os Embargos Infringentes e que os outros procuraram esconder:

    “Todos os regimentos internos do Supremo Tribunal Feral, notadamente em 1909, 1940 (…) todos eles dispuseram sobre os embargos infringentes”.

    “Essa é uma questão de política legislativa. De competência do Congresso Nacional (…) É uma questão que diz respeito ao parlamento brasileiro. Esse juízo há de ser formulado pela instância legislativa”.

    “O silêncio da lei de 1990 é “eloquente, consciente e intencional” pela manutenção dos recursos.”

    Celso de Mello ainda lembrou a proposta do Executivo, na época em que o próprio ministro Gilmar Mendes era subchefe para Assuntos Jurídicos da Casa Civil e por onde deveria passar todas essas matérias e suas tramitações no Congresso Nacional, para que constasse em lei a revogação expressa dos embargos infringentes. Ela foi negada pelo Congresso.

    Celso de Mello vai além:

    “Essa rejeição teve apoio de PFL, PSDB, PT, PTB, PP… O único líder a favor foi do PDT”.

    O voto de Celso de Mello não apenas é contrário aos dos ministros que negaram o recurso, mas demonstra a parcialidade ou falta de mínimo conhecimento indispensável para o exercíco de magistrado da Suprema Corte ou ainda o partidarismo político daqueles ministros.

  4. UMA DECISÃO COERENTE

    Finalmente uma decisão mais contundente e juridicamente lógica. Um longo voto em defesa da democracia, da isenção dos juízes e imparcialidade diante da “opinião pública” e pelo duplo grau de jurisdição. Sempre disse aqui: pode-se discordar de Celso de Mello, inclusive de suas convicções pessoais, mas nunca acusá-lo de faltar com o tecnicismo, o decoro ou a coerência em seus votos.

  5. Que AULA….

    Ao Ministro Celso de Mello deu-se as honras da Justiça. Além do voto pautado na LEI e históricos, desmascarou alguns, entre eles:  FUX (o Ministro que mata no peito), J.Mendes (aquele que apresentou um projeto para suprimir os E.Is. e não foi aprovado pelo Congresso Nacional em 1998) e, saiu do palanque, o bravateiro e letreiro moleque antigo do STF, aquele que desconhece o próprio regimento interno do STF e para finalizar o próprio presidente do STF que desconhece o seu regimento. Que aula…………….

  6. corte interamericana de direitos humanos

    Bom, se estou entendendo bem o que está acontecendo.

    Celso de Mello está abrindo a porta não só para os embargos mas também para um recurso à Corte Interamericana de Direitos Humanos.

     

    Direito ao duplo grau de juriscição para todos os réus já!

  7. E o homem gritou…….E DE

    E o homem gritou…….E DE BOA FÉ!!!    Pronto…..GM, JB, Fux, MAM e a CL, ficaram sem entender!!!  Oxê….que ele  fez barba, cabelo e bigode……não se cuida em discutir filigranas jurídicas num debate tão sério como esse…….palavras do decano……..um tribunal de princípios……coitado, ele não conhece seus colegas!!  E…disse mais…legitimou a Corte Internacional….. !!!  

     

    • Aula de quê? De impunidade? O

      Aula de quê? De impunidade? O mundo, que sabe muito bem que o Brasil é um país profundamente corrupto, deve estar dando gargalhadas agora. Vendo que neste país roubar sempre dá resultado. E quanto mais se rouba, maior a certeza de impunidade. Que o povo ignaro não perceba isso é compreensível, mas o que me espanta é gente que lê, que se informa, apoiar uma enormidade dessas. Argumentos jurídicos há de ambos os lados. Ambos sustentáveis. O que se esperava era uma sinalização por parte do STF de que algo poderia estar mudando. Mas não. A sinalização foi no sentido contrário: corruptos de todo o Brasil, uni-vos na roubalheira generalizada. Chegando aqui a gente dá um jeitinho. Hoje foi um dos dias mais tristes da história já bastante melancólica deste país. Mas o PT consegue superar-se a cada dia. E é só o começo. Marchamos céleres rumo ao totalistarismo de esquerda, o regime que mais infelcitou, matou, perseguiu e afundou economias na história da humanidade. Mas é o egoísmo humano. Neste blog vemos a reunião daqueles que estão se locupletando nessa festa ignóbil, a começar de seu proprietário, jornalista puxa-saco do poder. Que seus filhos possam perdoá-los um dia, pelo mal que fazem a este país, pelo desprezo que devotam à moral e aos bons costumes.

  8. Voto finalizado. Celso de

    Voto finalizado. Celso de Mello desempatou a votação e o STF acata os Embargos Infringentes. A nossa velha e decadente Grande Mídia enfia a viola no saco.

  9. A Cármen Lúcia deve ter se

    A Cármen Lúcia deve ter se envergonhado do seu próprio voto após a aula do decano. Os demais que votaram contra certamente não se importaram, devido à falta de caráter.

  10. Renuncia Já!!!!

     

     

    Vai JB, renuncia já. Tome coragem saia deste STF.

     

    RENUNCIA JÁ!!!!!!!!

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Assim a Dilma coloca outro melhor lá

  11. Um exaustivo, mas belo,

    Um exaustivo, mas belo, didático e, porque não escrever, corajoso voto. 

    Os vencidos não foram só os cinco ministros que votaram pelo não acatamento dos embargos. As diversas alusões à prevalência do Direito frente às turbas de qualquer origem, popular, midiática ou de instâncias de Poder, foram uma resposta contundente; diria até mais, de caráter restritivo aos votos de Gilmar Mendes e Marcos A. Mello. 

    Sobre o primeiro, foi sintomática(e sem sombra de dúvida, ofensiva) a sua ausência do Plenário enquanto Celso de Mello expunha seu veredito. . Se não existir desculpa pertinente, é mais uma prova da inadaptibilidade de Gilmar Mendes a ambientes civilizados. 

    Critiquei,e muito, os votos condenatórios anteriores do decano do STF em função da alta carga de extrapolações, em especial de caráter político, contida nas suas exortações; recheadas ainda de adjetivações que certamente seriam – como foram – capturadas e instrumentalizadas por parte da mídia partidarizada e seus truculentos prepostos.

    Por esse voto a meu ver, repito, corajoso e contra majoritário frente ao rolo compressor da mídia convencional, tenho esperança de que se apresentados argumentos, e principalmente provas cabais, na nova fase onde serão analisados 12 condenações, decerto ele seguirá, como seguiu agora, os ditames do Direito, e por consequência, da Justiça. 

    A propósito, já começou a onda de desmoralização do decano do STF. Talvez nunca mais consiga frequentar, sem ser apupado, um restaurante ou outro lugar público. 

    Temo, sem exagero, pela sua própria integridade física nesses próximos dias. Nunca assisti uma onda de ódio tão grande como essa agora que permeia os círculos das chamadas classes média e alta. 

  12. A julgar pelo luto proclamado

    A julgar pelo luto proclamado pela imprensa oligárquica o número de defuntos é grande e vai ser preciso um alerta à vigilância sanitária e à defesa civil. Morreram de Raiva. E isso é altamente contagioso. 

  13. A importância desse voto

    O mais importante deste voto é que foi proferido não por algum juiz que a mídia possa dizer que é um “suspeito”, mas por um juiz que passou o julgamento todo atacando ferrenhamente os réus. 

  14. Um marco para o rumo da Justiça.

    Justiça. Para quem anda com a fé abalada a primeira parte do voto de Celso de Melo foi uma lavagem de alma. 
    Esse voto é um marco. Afirma, nestes tempos da sociedade do espetáculo, da manipulação a serviço do mercado e da política, a posição de princípio do Supremo Tribunal Federal: O judiciário está a serviço da adjucaçao dos conflitos, isto é, faz parte da solução e não do problema. Do lado de fora, no ambiente que circunda o sistema jurídico, o que se espera é isso: equidistância, racionalidade, serenidade e prudência no comportamento dos juízes. 

    O produto do trabalho de juízes e tribunais é a segurança jurídica. 

    Fora do primado da lei, o caos.

    É preciso tratar os jurisdicionados com impessoalidade, sem casuísmos, sem paixões.

    Grandioso e simbolicamente relevante, este voto histórico.

    18 de Setembro: dia da afirmação da coragem e da independência do judiciário!

     

  15. Venceu a democracia

    Perderam os ministros Tião Medonho, Boca Mole, João Plenário, Madre Superiora e Zé Bonitinho. 

    Ganharam os direitos humanos, a democracia, a legalidade e a sociedade brasileira como um todo!

    • Eu ficou impressionado é com

      Eu ficou impressionado é com a capacidade de distorção dos fatos mais elementares por parte de algumas petistas. Você tem algum cargo comissionado? É amante de alguém no governo? O que venceu hoje foi a corrupção e a impunidade, tão somente. O país marcha célere rumo ao totalitarismo de esquerda — o regime mais nefasto que já infelcitou a humanidad, o mais sórdido, corrupto, sanguinário, cruento e fracassado — e o sujeito vem aqui louvar a “democracia”? A democracia poderia ter alguma chance de respirar caso a corrupção e a impunidade tivessem alguma esperança de encontrar termo neste país. E o que vimos hoje foi precisamente o contrário. Uma sinalização óbvia do STF de que, sim, podem os petistas continuar roubando à vontade, que quando o processo chegar lá em cima eles dão um jeito.

  16. Eu disse outro dia, aqui

    Eu disse outro dia, aqui mesmo o blog, que o Ministro Celso de Melo votaria a favor dos EI, mas, que depois reforçaria seu voto anterior e com mais força e virulência contra os réus do que teve na primeira fase do processo. Hoje, depois desse voto, inclusive reconhecendo as Cortes Internacionais, me pairou uma pontinha de dúvida. Será que o Ministro quer recolocar o stf no lugar onde ele deveria estar, ou seja como o Supremo Tribunal Federal? Independente do que possa ocorrer daqui para frente, hoje, Celso de Melo dignificou seu status de Ministro do STF, parabéns!

    • Esquizitissima, a coisa toda.

      Esquizitissima, a coisa toda.  Nada nem ninguem pegou fogo no voto dele, pra comeco de conversa, nao houve intervencoes de ninguem/barbosa e por mais que o voto de CM tenha sido superbo, foi tambem…  teatral demais e eu que nem conhecia a cara dele ate hoje nao sei se esse eh o normal dele.

      Agora, a “discussao” sobre os embargos esta tao “civilizada” e curiosamente direcionada que eu tou achando que a aceitacao dos embargos foi golpe.  So nao descobri a natureza dele ainda.

      • Esquisito é

        Essa decisão acontecer aos 47 do segundo tempo; o golpe foi que alguns, entre julgados e julgadores encheram o rabo de dinheiro no processo e um monte de bobão fica aqui se o ministro x está 1 cm à direita ou à esquerda do ministro y.

        best regards

  17. Alea jacta est

    Então Celso de Mello disse a que veio! Não pude acompanhar ao vivo a fala do Ministro, mas pelo que ja li aqui, o decano fez uma bela defesa do Direito e demonstrou cabalmente aos colegas porque a corte deveria votar a favor dos Embargos Infringintes.

    E como ficam esses ministros que votaram contra, dando como desculpas de que a população quer a condenação, de que o julgamento esta se alongando muito e outras leviandandes, que jamais, um Juiz responsavel e cioso da importância de um julgamento, proferiria tal absurdo em jornais, pressionando um colega e indo contra a deontologia do cargo ocupado.

    A AP 470 entrou para a historia do Brasil. Os Ministros também. 

  18. Nunca ditados populares foram

    Nunca ditados populares foram tão verdadeiros.

    Não há bem que sempre dure, e mal que nunca se acabe.

    A justiça tarda mas não falha ( as vezes).

  19. Belíssima a defesa do seu

    Belíssima a defesa do seu voto. Ele não quis fazer feio diante dos novos ministros recentemente chegados e que já entraram brilhando. Foi brilhante. Parabéns Ministro Celso de Mello!

  20. PERDEU tio!!!
    Palavras chave:

    PERDEU tio!!!

    Palavras chave: domínio do fato, a verdade é uma quimera, opinião publica—-da, Ali Babá e os quarenta ladrões…

  21. Noite da garrafada

    Rapaz, e agora onde aqueles meninos que apostaram garrafas de vinhos caros, irão enfiar as tais garrafas?

    Se abrirem as garrafas aproveitem pelo menos as rolhas… serão últeis.

    Mas não deveremos comemorar nada, pois o julgamento e a pressão da mídia vão continuar e com mais força.

  22.  
    assim sim!  esse é o Brasil

     

    assim sim!  esse é o Brasil que eu conheço,  onde poderoso jamais vai para a prisão!  onde rico não sabe o que é ser condenado e corrupto e corruptos gozam de uma impunidade infinita!  

    a justiça desse pais não foi feita para defender o povo, mas sim para oprimi-lo!  

  23. Que se abra novo processo,

    Que se abra novo processo, novas investigações, pois ficou provado que só com o que há não existe prova para condendar ninguém. Dirceu pode comemorar e mais um vez mostrou que é um vencedor

  24. Disse tudo

    Celso de Mello

    “O encerramento da sessão do dia 12 de setembro, quinta-feira, independentemente da causa que o motivou, teve, para mim, Senhor Presidente, um efeito virtuoso, pois me permitiu aprofundar, ainda mais, a minha convicção”

  25. Voto do Celso

    Um desmentido ao colega que aqui embaixo aponta que o voto é de um ministro insuspeito. Minha mulher leu no Feicibúqui o comentário de um sujeito indignado com o voto do Celso de Mello: “Também o que se poderia esperar de um ministro indicado pelo Sarney?”

  26. Saca Rolha

    Senhores, imaginem a cena: O Merval dando entrada no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, com
    ma garrafa entalada no fiofó, e aquela correria… Um grita “quebra a garraf” um outro diz “Não vamos primeiro tirar a rolha, pra perder a pressão”. “Gente, vamos logo, ele tá ficando roxo e virando olhos mais rápido que bomba de combustível” “Meu Deus, chegou outro paciente com o mesmo problema…”ah é um tal de Sardenberg, ele é da Globo” “É artista? não sei… se for deve ser do Globo Rural” Que maldade.

    “Podem preparar mais leitos, pois As Meninas do Jó também sofrerão algum tipo surto.

     

  27. Que pena!

    Que pena, né?
    Uma garrafa de vinho de ótima qualidade, bem envelhecidas, de uma boa safra, enfiadas nos fundilhos dos rapazes.

    Ô dó. 

    Sanderberg, o que você foi aprontar rapaz? Você imaginou que tinha uma estaticidade maior, é isso? hummmm

    Fica assim não, o julgamento vai continuar.

    Ô Nassif, quem não souber muito bem… Matemática, não consegue comentar mais no Blog?

     

  28. O voto do ministro comunista

    Nassif: no jornalismo, uma das interessantes formas de mostrar pensamento ou fazer análise está na sátira e na ironia de quem valem com excelência alguns de nossos blogs chamados “sujos”. Entre eles, o “Comendas & Quinquilharias” se esmera hoje na naálise do voto do ministro José Celso de Mello:

     

    E o ministro virou comunista…  Mikhail Bordunov (*) Neste último fim de semana assistimos aqui neste Brasil que nos acolheu de forma tão amigável, a mais um ato extremado de cooptação de um juiz do Supremo Tribunal federal pelas ordas comunistas que vindas da falecida URSS se preparam para tomar o país e impor a todos nós esse regime sangrento que come criancinhas e afronta nossos mais caros princípios da civilização cristão ocidental.  O ministro José Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, hoje mostrou que aderiu inteiramente aos postulados moscovitas do cruel comunismo ao votar a favor da aceitação por aquela corte dos tais “embargos infringentes” que nada mais são do que a porta da rua pela qual fugirão o comunista-mor José Dirceu e seus satélites como José Genoíno e outros como o tal Pizollato.  O fato é ainda mais comprovável pelas imagens da TV Justiça que mostra o ministro votando com sua mão direita ostentando uma caneta marca-texto na cor vermelha, a cor do capeta-mor, símbolo do comunismo opressor que lhe foi dado por Fidel Castro a mando do falecido bolivariano Hugo Chavez como se vê nesta imagem:    É um absurdo que deve ser combatido com urgente pedido de ajuda ao democrata presidente norte-americano, Dom Barack El Obama, O Bom, ganhador do Nobel da Paz, para que ele possa jogar sobre o STF e a cadeira do decano o máximo de misseis BGM-109 Tomahawk (note-se que não mencionei BMG, o banco fatídico do mensalão e sim BGM-109) para dar fim a essa distorção no nosso princípio do domínio do fato pelo qual os réus dessa ação devem ser esquartejados e com suas partes cortadas expostas em público diante das sedes regionais da Rede Globo de Televisão, reservada a cabeça para ser exposta na Marginal do Tietê, defronte à sede da redação da Veja.  Viva A liberdade de espionar!!! Viva o Estates!!!

     

    (*) Mikhail Bordunov é ex-expião da NSA e da CIA em Moscou, expulso pelo chefe da KGB Vladimir Putin e hoje vive escondido em São Paulo onde ainda presta serviços ao aparelho de espionagem americano.

     

     

    O endereço do Blog é: http://comendadorphyntias.blogspot.com.br/

     

  29.  Já que não puderam degustar

     Já que não puderam degustar um bom vinho, Merval e Sandenberg, foram vistos enchendo a cara de cachaça, e cachaça da braba tipo pitú, num bar pé sujo no Jardim Botânico próximo à Globo, aqui no RJ.Os dois chorando copiosamente, indagavam entre si, onde foi que nós erramos.Sandenberg dizia: com os meus gráficos auto-explicativo eu detoneio o governo, disse claramente que o Brasil estava quebrado, e pus a culpa no Lula, Dilma, Dirceu e em todos os petralhas de menor envergadura.O Merval por sua vez, com notório saber jurídico, dizia: eu bem que avisei àqueles juízes de bosta, para seguirem o meu conselho, não seguiram, veja o merdelê que deu.Ao final, os dois ícones globais levantaram-se, bêbados, trôpegos, abraçadinhos, um vomitando na cara do outro os petiscos que comeram.Por esta razão o Sandenberg não irá apresentar o Jonal da Globo logo mais. 

  30. Opções de vinho para a aposta entre Sardenberg e Merval Pereira

    Quarta, 14/08/2013, 14:07

    Opções de vinho para a aposta entre Sardenberg e Merval Pereira

    A aposta é a seguinte: se os mensaleiros ‘entrarem em cana’ até o fim do ano, Sardenberg pagará um vinho ao Merval. Caso contrário, Merval paga ao Sardenberg.

    Jorge Lucki apresenta três opções: o barolo de Bartolo Mascarello, um camponês muito intelectual e politizado; o Châteauneuf-du-Pape, em homenagem à pureza e justiça de papa Francisco; por último, o vinho Borgonha é uma boa opção por ser produzido com a uva Pinot Noir, que reflete cruelmente o trabalho do produtor. 

    Leia mais: http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/jorge-lucki/2013/08/14/OPCOES-DE-VINHO-PARA-A-APOSTA-ENTRE-SARDENBERG-E-MERVAL-PEREIRA.htm#ixzz2fHurVi8g

     

  31. Não é jogo de futebol

    Não estamos falando de um jogo de futebol!

    O único que ganhou foi nosso judiciário cuja função primordial é fazer justiça, com a devida cacofonia!

    Temos ‘condenados’ que devem provar sua inocência e isso não é motivo de foguetório!

  32. Ao contrário do que o PIG e

    Ao contrário do que o PIG e seus consultores  afirmavam, o que estava em jogo hoje, não era o destino dos 12 condenados como já os quer o PIG mas, sim, a validade de embargos infringentes. O que isto significa para a sociedade eu não consigo sequer vislumbrar – desconfio sempre de coisas que valem para todos mas deixa de valer  para os 4 p’s, mas, após ouvir o voto do ministro Celso, dentro de minha leiguice, deduzi que o que ele quis preservar da lama , foi tão e tão  sómente a imagem do STF, o que já não é pouca coisa. O que vem pela frente, não consigo imaginar também mas, sei que, independente do resultado final, o STF conseguiu legitimar uma ação que começou irregular,colocando no mesmo julgamento pessoas que não tinham foro especial e, que foram condenados em apenas uma instância  além de aplicar penas que se efetivamente aplicadas e cumpridas colocam um publicitário espertalhão condenado a ficar preso o dobro do tempo que um homicida estrupador ficaria. E pagar multas milionárias, ao contrário de médico acusado  de estrupo que com o benefício de um HC a jato, sumiu e leiloou por procuração todos os seus bens para não pagar as indenizações solicitadas por uma centena de reclamantes que não serão pagas se ganharem a ação. E, mais, com uma possibilidade bastante concreta e próxima de ser absolvido pelo mesmo crime, mas executado junto ao partido das massas cheirosas o imaculado PSDB.

  33. E viva a concorrência! Quando

    E viva a concorrência! Quando só tinha que ser o contraponto às baixarias de Barbosa e Gilmar, o decano surfava na onda da superioridade e do berço. Agora que Ricardo Lewandowski não está mais sozinho, pois tem a luxuosa companhia de Teori Zavascki para recolocar o Direito no devido lugar de destaque que merece no STF, Celso de Mello parece querer construir uma biografia mais próxima aos grandes, é isso ou o ostracismo da história, ele não é bobo.

  34. Não estou entendendo o louvor

    Não estou entendendo o louvor que estão fazendo em relação ao voto de Celso de Mello, uma vez que ele também é um dos responsáveis de condenar réus sem provas. Além de fazer politicagem em favor da direita. Digo ainda, o seu voto foi favorável aos embargos porque falou demais no início do julgamento. Se não fosse a defesa que já tinha feito do recurso ele votaria contra o recebimento dos embargos.  Não há como STF sair da lama em que entrou, seja qual for o resultado final. Vamos nos preparar para novas decepções que viram com relação a esse julgamento.

  35. Era tudo que Dona Dilma e seu

    Era tudo que Dona Dilma e seu padrinho não queriam. 

    Com essa decisão, a ferida mantém-se aberta e o lulopetismo continuará sangrando por todo o ano eleitoral de 2014. 

  36. O Decano bateu com luva de

    O Decano bateu com luva de pelica em Gilmar. Falou de prisão preventiva e o grito da multidão, ou seja, caso DD. Lembrou a parte rejeitada do Projeto de Lei de FHC, inclusive pelo PSDB e PFL. E relatou que GM comandou a corrente que colocou a Convenção Americana em superioridade às Leis Brasileiras, exceto a Constituição. Ensinou ainda o motivo de 4 votos necessários, ignorados por Gilmar.

  37. Muito legal a sessão de hoje!

    Muito legal a sessão de hoje! O que será que  colocaram na água do STF??? Tava todo mundo tão estranho… Aconteceu alguma coisa. …Até a Carmem Lucia, achou de encarar o Barbosa!!!!!  O Voto do decano foi desmontando cada um dos outros mas o silêncio em plenário, estava tão esquisito… Eu me preparei para ouvir todos os xingamenos possíveis aos réus e… Nada! Barbosa, não saiu, quem saiu foi o GM… Sei lá, não entendi nada dessa sessão mas fiquei feliz pq JD, JG e Delúbio ( JPC, tb né? ) terão mais uma chance. Não reconheci NENHUM dos magistrados.

  38. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome