Celso de Mello prorroga inquérito da interferência de Bolsonaro na PF

A prorrogação, por 30 dias, atendeu a pedido da delegada que conduz o inquérito, com a concordância do procurador-geral da República

Agência Brasil

Jornal GGN – O ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, prorrogou nesta segunda (8) o inquérito 4831, mais conhecido como o inquérito da interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal. A investigação sobre as declarações de Sergio Moro contra o ex-chefe serão estendidas por mais 30 dias, definiu o relator.

O pedido de prorrogação foi formulado pela chefe do Serviço de Inquéritos da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal, delegada Christiane Correa Machado, que preside o inquérito, e teve a concordância do procurador-geral da República, Augusto Aras.

Moro acusou Bolsonaro de fazer mudanças em cargos estratégicos da PF com o intuito de obter informações privilegiadas, especialmente a respeito de investigações que tramitam no Rio de Janeiro.

INQUÉRITO 4.831

Leia também:

Nova prática em inquérito contra Bolsonaro permite advogado questionar depoimentos

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  "Sem dúvidas há uma crise no bolsonarismo moderado", diz Esther Solano ao GGN

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome