Com pedido de vista de Lewandowski, recurso de Lula vai a plenário

Jornal GGN – Ricardo Lewandowski, ministro do Supremo Tribuanal Federal, pediu ontem, dia 14, vista do julgamento virtual de mais um recurso que tinha por objetivo a garantia de liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com seu pedido, o caso deverá ser julgado presencialmente, porém a data ainda não foi definida.

O placar do julgamento está em 7 a 1, formando maioria contra Lula, mas realizado em ambiente virtual. Nesse tipo de julgamento, os ministros podem decidir remotamente sobre uma questão que trate de temas com jurisprudência já consolidada.

De acordo com assessores de Lewandowski, o pedido de vista foi feito diante da divergência apresentado pelo ministro Marco Aurélio, que votou pela soltura de Lula. Após liberar o caso para julgamento, Dias Toffoli, como presidente da Corte, deverá marcar a data de apreciação do recurso.

O recurso protocolado pela defesa de Lula é contra a decisão do plenário, que negou habeas corpus ao ex-presidente antes de sua prisão, em abril.

Já votaram até agora, no ambiente virtual, os ministros Edson Fachin, o relator Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes e Rosa Weber.

Lula está preso desde o dia 7 de abril na superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Lula quer abrir diálogo com membros das Forças Armadas, diz Bergamo

2 comentários

  1. Vai, não; irá, algum dia, daqui a alguns anos, quem sabe…

    Os juízes julgam o que querem e quando querem. Isso precisa mudar!

  2. Aqui tem mutreta da grossa.

    Ontem o Lula perdeu no stf, na votação eletrônica, por 7 x 1.
    IMPOSSÌVEL!!   Houve roubo.
    Os incríveis 7 x 1 que o país vem sempre perdendo da Alemanha ou do stf.
    Mas este foi claramente ROUBADO, por que: sabemos que na questão da prisão antes do julgamento definitivo, lá no stf, a proporção dos juizes pró e contra é de 6 x 5 ou 5 x 6, dependendo da convicção “do dia” da senhora rosa.

    Alí nunca dá sete para um ou outro lado.

    Então por convicção o 7 x 1 é impossível, ou foi roubado, ou um dos juizes que tinha inquestionável convicção que a constituição ainda tem a tal “Presunção de Inocência” antes do julgamento definitivo roeu a corda e mudou de time, o que é impossível ou improvável, por ser vergonhosa.
     

    Acho que foi por isso que o Levandowski interrompeu o julgamento e chamou o “var” do futebol. Claro que tem mutreta. O “var” mostrará.
     

    Penso que o ladrão de votos, aquele que burla o resultado do “algoritmo” que distribui os processos no stf (entrega os do psdb sempre ao gilmar), voltou a roubar. Mesmo por que a sra carmen contratou uma verificação do “algorítimo” depois da denúncia do Nassif, gastou nosso dinheiro e estranhamente escondeu o resultado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome