Desembargadora solta empresário que foi preso junto com Temer

Simone Schreiber, durante o plantão do Tribunal Regional da 2 Região (TRF2), afirmou que a prisão "viola frontalmente a Constituição Federal". Ela é crítica das detenções da Lava Jato

Jornal GGN – A desembargadora Simone Schreiber, durante o plantão do Tribunal Regional da 2 Região (TRF2), decidiu liberar o empresário Rodrigo Castro Alves Neves, que havia sido preso temporariamente, na mesma operação que prendeu o ex-presidente Michel Temer e o ex-ministro Moreira Franco.

Para a desembargadora, a prisão temporária do empresário “viola frontalmente a Constituição Federal”, apontou em despacho, assinado neste sábado (23). Ela aceitou o Habeas Corpus apresentado pela defesa do investigado.

Neves foi detido em prisão temporária, diferente de Michel Temer e Moreira Franco, que foram presos preventivamente. Outras sete pessoas também foram detidas na ação do Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, com a Polícia Federal, na Lava Jato do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (21).

O empresário foi acusado de ter uma de suas empresas envolvidas na suposta contratação ilícita com a PDA Projetos, do coronel Lima, amigo pessoal de Temer e que também foi preso na Operação Descontaminação.

A desembargadora é a mesma que criticou duramente as conduções coercitivas da Operação Lava Jato em texto divulgado em dezembro de 2017, chamando-as de “ato violentíssimo e ilegal” e que “só tem razão de ser por sua dimensão de espetáculo”.

“É extremamente grave o que está acontecendo, não sei bem como chegamos até aqui, mas é preciso que os juízes façam essa reflexão. O mais impressionante é que pessoas que se tornaram juízes já sob a égide da Constituição de 1988 não aplicam normas de garantia previstas no Código de Processo Penal da ditadura Vargas!”, havia manifestado, à época.

 

7 comentários

  1. Qual a diferença entre um juiz que se acha “Deus”, com poder quase total sobre a vida de mais de 200 milhões de pessoas e uma pessoa comum, como eu e você? Um concurso público. O cara passou no concurso e virou um “Deus”.

    Eu calo a minha boca se alguém apresentar alguma pesquisa ou algum estudo científico que demonstre que passar em um concurso público é garantida de caráter.

  2. Somente com união entre TODOS os democratas (liberais, socialistas, cafés-com-leite) será possível enfrentar o bando da República de Curitiba e as milícias de Bolsonaro.
    A Constituição já foi rasgada. É preciso coragem para derrotar a extrema-direita e restituir o Estado Democrático de Direito.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome