Edgar citado por Loures está ligado ao Porto de Santos, dizem investigadores

temer_ministros_alan_santos_pr_1.jpg
 
Foto: Alan Santos/PR
 
Jornal GGN – O “Edgard” citado em uma gravação entre Ricardo Saud, executivo da J&F, e Rodrigo Roucha Loures, ex-assessor de Michel Temer, pode ser o diretor jurídico de uma empresa que trabalha no Porto de Santos, Edgard Laborde Gomes.
 
De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, investigadores da Operação Patmos afirmam que essa é uma das linhas de investigação sobre quem seria Edgard. Nas 82 perguntas da Polícia Federal enviadas para Temer, uma delas questiona o presidente sobre o nome citado na conversa entre Saud e Loures.
 
Por meio de nota, Egdard Laborde afirmou que manteve um escritório na mesmo prédio de uma sala de Michel Temer “há mais de 20 anos”. Ele também afirma que, desde então, não teve qualquer contato com o peemedebista. Entretanto, os dois se encontraram na cerimônia em que foi assinado documento que prorrogou por 70 anos as concessões do Porto de Santos. 

Já o presidente Michel Temer negou contato com Edgard e afirmou, por meio de sua assessoria, que “desconhece a empresa citada e os personagens a ela relacionados”.Sobre a cerimônia do Porto de Santos, o Palácio do Planalto disse que o presidente “tem contato contato com milhares de pessoas todos os anos” e que cabe a cada ministério fazer os “convites relacionados aos assuntos da pasta”.
 
Outros ‘Edgares’
 
Há cerca de uma semana, o Jornal GGN analisou quem poderia ser o Edgar usado por Rodrigo Rocha Loures para receber propina em espécie da JBS, em nome do governo Temer. Edgar Silveira Bueno Filho, especialista em “agências reguladoras e concorrenciais” e desembargador aposentado do Tribunal Regional Federal de São Paulo, “dividiu escritório de advocacia com o deputado federal Michel Temer (PMDB-SP)”, segundo reportagem da Folha de S. Paulo de 2001. 
 
Bueno Filho aparece ligado a escândalo envolvendo a desapropriação de um prédio pelo TRF, em 1990. O Ministério Público considerou a expropriação indevida porque o imóvel teria sido superfaturado. 
 
Outro nome aventado para ser o ‘misterioso Edgar’ seria seria Edgar Santos Neto, citado em delação de um um ex-diretor da Odebrecht como o operador do PMDB que recebeu propina destinada a Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil de Temer.
 
Leia também: 
 
 
Assine
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fachin determina que Força Nacional deixe a Bahia

7 comentários

  1. Se o Edgar, Temer e Loures

    Se o Edgar, Temer e Loures cumprir as “obrigações” corretamente, estarão logo logo livres. Vide o catão de Goias, a Paraty house, etc,etc,etc…

  2. …”Entretanto, os dois se

    …”Entretanto, os dois se encontraram na cerimônia em que foi assinado documento que prorrogou por 70 anos as concessões do Porto de Santos. “…

    Encontrar no evento não é nada, vergonha é o próprio evento: Concessão prorrogada por 70 anos? Mais que uma vida. Isto não é concessão é doação. E por quanto tempo antes já detinha o direito?

    #Governo de ladrões.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome